Pela primeira vez, fome no Brasil ultrapassa média global

Pesquisa Gallup equipara níveis de insegurança alimentar entre os mais pobres ao visto em países africanos

Agência Brasil

A insegurança alimentar no Brasil bateu níveis recordes em 2021 e, pela primeira vez, ultrapassou a média global, segundo dados da pesquisa global Gallup.

A taxa vem piorando desde 2014, quando a economia brasileira entrou em recessão durante o governo Dilma, e tem avançado desde então.

Os dados mostram que a taxa de insegurança alimentar saltou de 17% para 36% ao final de 2021 – acima da média global, que foi de 35%.

Quando se avaliam os 20% mais pobres brasileiros, 75% afirmaram que chegaram a ficar sem dinheiro para a compra de comida nos últimos 12 meses.

A taxa entre as mulheres bateu 47%, e foi igualmente elevada entre as pessoas de 30 a 49 anos, chegando a 45%. Ambos percentuais ficaram acima da média global.

Outro dado que impressionou os pesquisadores foi o aumento da desigualdade de insegurança alimentar, com o nível dos 20% mais pobres no Brasil ficar próximo do visto nos países com países como Zimbábue [80%].

No caso dos 20% mais ricos, a queda foi para 7%, um patamar próximo do visto na Suécia, país com menos insegurança alimentar.

A pesquisa global Gallup é realizada em cerca de 160 países desde 2016, e os dados brasileiros foram analisados pelo Centro de Políticas Sociais do FGV Social. A média global é aferida a partir de 125 mil questionários aplicados.

Com informações da Folha de São Paulo

Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente

Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn

Leia Também

A volta da fome, uma tragédia anunciada, por Ricardo Abramovay

Contra a fome, movimento “Vamos Juntos Pelo Brasil” defende Reforma Agrária Popular

Opulência, segregação social e fome nas capitais do agronegócio, por João Peres e Tatiana Merlino

Câmbio e isenção tributária favorece exportação e aumenta fome

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ciro Araujo

- 2022-05-26 08:11:16

Se a pesquisa Gallup começou a ser feita em 2016, como ela pode aferir que a piora começou em 2014, como afirma a matéria no segundo parágrafo?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador