Conflito entre o Alto Comando do Exército e o comando de Meirelles, por J. Carlos de Assis

Conflito entre o Alto Comando do Exército e o comando de Meirelles

por J. Carlos de Assis

Ave, Temer, os  que vão morrer te saúdam!

Essa era a saudação dos gladiadores ao imperador romano. Aplica-se literalmente ao projeto de Temer de colocar sob o comando das Forças Armadas a segurança no Rio e, progressivamente, em outros Estados da Federação. Muitos morrerão. Alguns inocentes. Outros apenas suspeitos. Vários bandidos precoces. Para quem está  perto da zona de tiro e não  tem como escapar não resta muita coisa a fazer senão saudar o governo Temer e cair morto.  

Confesso que não sou contra a intervenção em si. A degradação do sistema de segurança no Rio, numa situação de alta criminalidade, exigia alguma providência, mesmo que fosse de um Temer, e estimulada pela rede Globo. Acontece que não há esperança de solução para o problema de segurança no Rio como fato isolado. É fundamental atacar o entorno social. E não é pela linha demagógica de César Maia com seu programa perfunctório conhecido como Favela Bairro, limitado às periferias das comunidades. O Estado tem a responsabilidade de atacar com recursos suficientes o coração do problema das favelas.

Há uma ponta de esperança: o Alto Comando do Exército sabe dessas limitações. De fato, o general Braga vocalizou a exigência de recursos públicos para reequipamento da polícia e garantia do salário de policiais. É um começo. Acontece que isso contraria frontalmente a política fiscal de Meirelles, centrada no congelamento dos gastos orçamentários primários segundo a emenda constitucional 95. Aliás, Meirelles  já havia adiantado que não haveria recursos novos federais para a segurança do Rio. Haveria apenas remanejamentos dentro do orçamento do próprio Estado. Mas como, se o Estado está quebrado?

Veremos um conflito interessante. De um lado um general quatro estrelas  responsável, nacionalista, discreto, razoavelmente informado sobre políticas públicas. De outro um tecnocrata insolente, colonizado pelos Estados Unidos, totalmente ignorante de políticas públicas, e viciado em especulação financeira. Façam suas apostas: quem vai ganhar? Por enquanto, tomando por base a desnacionalização do controle da Embraer, nossa principal ex-empresa de alta tecnologia,  é possível que o Alto Comando do Exército se renda a Meirelles sob a  desculpa de que tem que obedecer  à hierarquia formal do governo. O problema  é que, no ritmo de desnacionalização e do estrangulamento dos interesses  do país em que estamos indo, não haverá no Brasil outro Alto Comando do Exército senão o que comanda soldadinhos de chumbo.

 

13 comentários

  1. Quando li a notícia de que o

    Quando li a notícia de que o comando da intervenção solicitou  mais equipamentos e armamenrtos,na hora,sem pestanejar,pensei que já estavam de olho,como sempre,nas compras milionárias e seus benfícios indiretos.

    A polícia do RJ é bem equipada,ou pelo menos finge ser. Andam sempre com grandes fuzis de guerra para cima e para baixo.

    É mais fácil legalizar as drogas e investir pesado em campanhas e políticas de saúde do que torrar dinheiro público com armamentos e contaminação de nossas forças armadas.

    O tráfico de drogas,hoje,é reponsável pelo tráfico de drogas,armas e demais ilícitos,e só é possível devido a cumplicidade oficial em todos os níveis possíveis e imágináveis.

  2. Não vai dar em nada … TUDO

    Não vai dar em nada … TUDO ISSO é TEATRINHO pra DISTRAIR o POVO: um seriado “velho de TV” para que os “cucas-frescas” assistam o “besteirol” e com isso, se mantenham ocupados enquanto o GOLPE AVANÇA ! 

    E é isso que interessa aos GOLPISTAS e aos GRINGOS !

    Que se dane FAVELA, POVO, BRASIL-nação, empresas nacionas, emprego, politicas sociais, etc. e tudo mais daqui !

  3. Prezado Mouro
    Bom dia 
    Pra

    Prezado Mouro

    Bom dia 

    Pra variar o missivista esta redondamente enganado, o que esta por tras dessa intervenção é uma enorme distração para esconder as bandalheiras em todos os estados da federação, claro que as petistas não!!!!

    A Suiça informa nossa PGR sobre $ 153 milhões de Operador Tucano de SP,  e a Globo manda a PF invadir a Casa de Petista na BA.

    Somos midiotizados e imbecis !!!

    Abração

      •  Caro Frederico69
        Por

         Caro Frederico69

        Por favor,não fale assim de judas, pois este viu a cagada que fez, devolveu o dinheiro, pegou uma corda e se enforcou.

        Esses trairas não fazem isso não. Senão, faltariam cordas e postes.

         Na falta da corda, podem pegar as camisas verdes e amarelas, e seguirem o exemplo de judas. 

        Saudações

  4. Conflito Coisa Nenhuma

    Nassif: esse “Ave, Temer…” dá a tônica exata ao teatrinho armado pelo Mordomo de Filme de Terror (ACM), que está atuando com toda intensidade criminosa e política a favor dos asseclas, e os homens da Caserna.

    É isso mesmo. Que mal faz um ou outro civil ser baleado ou agredido em seus direitos? Povo serve para isto, segundo os princípios contidos nos ensinamentos do grupo PSDB/PPS/DEM+mdb, sempre adeptos ao raciocínio do Presidente de Paris.

    Matar bandidinho, pé de chinelo, isso já éra feito, se não pagasse as taxas.

    O Assis até que foi simpático ao colocar os da farda como coadjuvante do palco de ação. Aqui e ali podemos, como no Judiciário, encontrar oficial de alta patente que reconheça as armações do Jaburu e até sonhe em corrigi-los. Mas são exceção, como no Judiciário. A quase totalidade desses oficiais tem seu ódio pelo chamado “popular” muito maior que o amor à Nação ou a princípios humanitários. Rezam hoje pela Cartilha do “pirão pouco…”. E desde que não falte o seu, uns tirinhos, umas bordoadas (ao sopé do morro ou dentro da favela) não levará a nada, agora que MT (versão Odebrecht) decretou a imunidade e impunidade da classe.

    Pode até haver umas desintelingências previamente combinadas entre o do Mercado e os das Armas. É pra dar clima ao caso e a grande mídia vender comercial Mas como somos fundo de quintal, logo o dono da gleba da ordem para seus lacaios e os soldadinhos de chumbo a se comporem. E tudo termina… Sempre foi assim. Mudar pra quê?

    Você que manja do babado mais que todos nós, já ouviu falar de golpe político nessa proporção sem a bênção dum Quartel?

     

  5. Conflito? Onde?

    “um general quatro estrelas  responsável, nacionalista, discreto, razoavelmente informado sobre políticas públicas”, afirma o articulista. O mesmo não poderia ter ser dito sobre o gen. Mourão antes de sua palestra reveladora? 

    Será que os articulistas deste site ainda não perceberam que os generais são neoliberais até a medula? Ainda vivem presos na lógica da Guerra Fria, com receio da tomada do poder pelos “comunistas” – seja lá o que isso signifique na cabeça dessa gente – e repetem acriticamente “Foro de São Paulo!” como prova cabal da ameaça vermelha.

    Os nossos generais não sabem de onde vem o trem. Informam-se pela mídia grande, absorvendo TODOS os seus estereótipos como verdades insofismáveis – “contra fatos não há argumentos” preceitua a “certeza lógica” militar. São a personificação dos manifestoches da Sapucaí, só que fardados e armados. Entendeu o perigo?

    O Golpe de 64 exterminou a vertente progressista, mais ligada ao nacionalismo dentro das FA. Os vitoriosos do Golpe, os entreguistas – lembrem do “o que é bom para os EUA é bom para o Brasil”, “sanitizaram” as FA e garantiram a uniformidade de pensamento na caserna. Hoje, “modernizados”, são hegemonicamente neoliberais e têm nos EUA seu modelo de nação grande. O “nacionalismo” dos militares está reduzido a um nacionalismo meramente territorial. São incapazes de entender conceitos como superexploração do trabalho e subimperialismo.

    Não há qualquer conflito entre Meirelles e o general, eles são aliados. E, não nos iludamos, o primeiro manda no segundo.

    O articulista que não entendeu nada.

         

  6. Um golpista explicita seu golpismo

    O sr. JCA apoiou o traidor da presidenta eleita Dilma Rousseff, depois de perpetrado o ato de traição, à prefeitura da Mui Sofrida São Sebastião do Rio de Janeiro, o atual Prefeito Universal do Reino de Deus.

    Agora, apoia mais uma etapa do Golpe de Estado de 2016, ao se declarar a favor da “intervenção em si”, como se houvesse uma outra intervenção, a “fora de si”.

    Trata-se, portanto, o sr. JCA, de um jornalista a serviço do Golpe de 2016. Esse é dos tais que apoiam golpes em um momento para faturarem o arrependimento mais tarde.

    Essa conversa canalha é manjadérrima.

  7. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome