Sem licença, touro de ouro da Bolsa é guinchado do centro de São Paulo

O bicho, embalado em plástico bolha, foi levado para local não divulgado.

Reprodução Redes Sociais

Jornal GGN – O touro de ouro da Bolsa de Valores de São Paulo, adorado por alguns e criticado por muitos, foi removido. A decisão foi da Comissão de Proteção à Paisagem Urbana (CPPU), da Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento (SMUL) que também multou a empresa que responde pela obra por falta de licença urbanística do órgão.

O bicho, embalado em plástico bolha, foi levado para local não divulgado.

O Movimentos dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) em postagem nas redes sociais, comemorou a perda de emprego do animal. “O gado de ouro acabou de perder o emprego, mas passou tanto tempo na frente da B3 que daqui a pouco tem texto dele no linkedin falando que foi tirar um ano sabático”, diz a publicação do movimento.

Os artigos infringidos pelo animal são o 39 e 40 da Lei Cidade Limpa. O valor da multa será definido pela Subprefeitura da Sé, responsável pela área onde o touro ficou assentado.

O órgão que removeu o bicho o fez por considerar que existem ali elementos de peça publicitária. O entendimento dos conselheiros é que o boi remete a uma das patrocinadoras da obra, a empresa de educação financeira Vai Tourinho, do economista Pablo Spyer e da XP Investimentos.

A Vai Tourinho carrega um touro dourado muito parecido com o boi da B3 como logomarca e colocaram uma placa no pé do bicho fazendo referência à empresa. No frigir da votação dos conselheiros, cinco votos pediram a remoção, quatro votos pediram a permanência e uma pessoa se absteve.

O CPPU não tem poder de sanção, mas os conselheiros entenderam que houve uma inserção irregular na paisagem urbana da cidade sem concordância do órgão. Assim, as sanções são necessárias.

Primo pobre do touro de ouro que fica no centro financeiro de Wall Street, em Nova York, o animal foi inaugurado no dia 15 de novembro, e colocado em frente à Bolsa de São Paulo. Desde que aportou, o bicho tem sido alvo de protestos contra a fome, miséria e precarização do trabalho.

Com informações do G1

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

4 comentários

  1. Colocar um touro de ouro desses em frente à Bolsa de Valores de São Paulo neste momento em que a fome se tornou epidêmica no Brasil como há muito não víamos, em que o sistema financeiro tem concentrado riqueza extraindo-a justamente das camadas mais pobres, é de tanta falta de sensibilidade e discernimento, que só posso concluir que é burrice mesmo. Simples assim.

  2. Colocar um touro de ouro desses em frente à Bolsa de Valores de São Paulo neste momento em que a fome se tornou epidêmica no Brasil com há muito não víamos, em que o sistema financeiro tem concentrado riqueza extraindo-a justamente das camadas mais pobres, é de tanta falta de sensibilidade e discernimento, que só posso concluir que é burrice mesmo. Simples assim.

  3. Levem-no para aquela fazenda em Brotas-SP, onde os búfalos velhos foram deixados para morrer, por uma decisão humanitária do proprietário, que assim os poupou da crueldade do sacrifício.
    Provavelmente, dado o nível de humanidade demonstrado por esse homem, não por ser de ouro (?), mas por ter sido cruelmente enxotado, ganhará um lugar de honra, na porteira da fazenda, ou, quem sabe, na sala da casa grande.
    E brilhará, como lhe é de direto.
    Os búfalos que apodreçam, já que deles nada mais pode-se extrair.
    Qualquer semelhança com seres humanos dessa imensa “animal farm” terá sido meramente proposital, creio eu.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome