Mito 2 da economia: a curva de Phillips, por Luis Nassif

No caso brasileiro, os dois maiores fatores de pressão, nas últimas décadas, foram os chamados produtos comercializáveis, cujos preços são fixados internacionalmente em dólares.

A revista Alternatives Économiques elaborou um conjunto de artigos destinados a expor dez mitos econômicos que foram  desmentidos pelos fatos nos últimos anos. O primeiro Mito é o que define correlações diretas entre emissão de moeda e inflação.

O segundo mito é o da chamada curva de Phillips, um dos princípios mais mencionados pelos economistas do século 20, um enunciado do economista neozelandês Alban William Phillips (1914-1975).

Em 1958 ele publicou um estudo empírico, baseado em dados britânicos, estabelecendo uma relação direta entre desemprego e salários, baseado em uma interpretação da lei da oferta e da procura. Quanto menor o desemprego, maior o salário. Quanto maior o salário, maior a inflação. Portanto, seria incompatível pleno emprego e estabilidade inflacionaria. Essa constatação fazia com que, sempre que a economia estava perto do pleno emprego, a política econômica trataria de utilizar instrumentos monetários e fiscais para desaquecer a economia.

Uma análise dos grandes países industrializados  mostra que a partir do início da década de 1990, a Lei se enfraqueceu, diz a revista.

Nos anos 2.000 o desemprego caiu e os preços permaneceram estáveis. Com a flexibilização do mercado de trabalho, pequenos empregos de meio período ganharam expressão, assim como o trabalho autônomo. Pessoas saíram das taxas de desemprego, sem conseguirem trabalhar mais. Antes da pandemia, a força de trabalho disponível nos EUA era de 6,7% da força e trabalho total, contra uma taxa oficial de desemprego de 3,5%.

Mesmo quando cai o número de pessoas procurando trabalho, os aumentos salariais não ocorrem automaticamente. Houve perda de força dos sindicatos, O aumento da concentração de empresas em muitos setores reduziu a quantidade de empregadores aumentando o poder de fixação de salário para os empregadores remanescentes.

Conclui-se, portanto, que a curva de Phillips deixou de ser uma lei universal das economias desenvolvidas. É possível ter baixo desemprego sem inflação.

Leia também:  Objetivos do Milênio: a busca da produtividade perdida

No caso brasileiro, os dois maiores fatores de pressão, nas últimas décadas, foram os chamados produtos comercializáveis, cujos preços são fixados internacionalmente em dólares.

Por isso mesmo, o efeito principal da política de metas inflacionárias consistia em aumentar as taxas de juros, com isso atrair capital externo que, entrando em abundância, apreciava o câmbio, derrubando os impactos das altas dos comercializáveis. Esse tipo de política produziu enormes distorções no tecido industrial brasileiro.

Recomendado:

Os 10 Mitos da Economia – Mito 1: emissão de moeda e inflação, por Luis Nassif

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

8 comentários

  1. EM CIMA DA PINTA.

    1) Lula comete um erro crasso em não apoiar a candidatura de Boulos.Se está deixando para o segundo turno e Boulos não passar por falta de alguns caraminguás,nunca mais ele terá condições de se queixar de Ciro Gomes,

    2) Olá meu diletos aprendizes de política do Blog.
    Invés de ficar com dor daquilo, depois da evaporação de arks,depois Arks Brasil ,procurem um comentário que o acima assinado fez sobre o defunto lavado Celso Russomano.Quem sabe se depois de lerem minhas previsões que fiz sobre a candidatura dele,parem me encher os bagos.Esse cavalo paraguaio nem vocês querem.

  2. Nassif.
    Todod estes mitos vão dar no mesmo lugar:
    O capitalismo tem por natureza intrínseca a desigualdade no seu processo de funcionamento, economicamente falando, e como resultado, na forma como organiza e hierarquiza a sociedade.

    Todos os mitos derivam da demanda ideológica para esconder esta premissa.
    E tal premissa serva a análise de todos eles.
    No primeiro: o mito monetário inflacionário esconde que são as assimetrias (desigualdades) entre agentes financeiros, individualizados e hierarquicamente dispostos entre si, que influenciam preços e depreciação das unidades de troca.
    Neste aqui, novamente não são processos lineares opostos, demanda e oferta( mão de obra e salários) mas as hierarquias cambiais mundiais que levam os mais pobres a comprarem reservas monetárias dos mais ricos (que auto financiam suas dívidas com as moedas que emitem), ao mesmo tempo que vendem seus produtos (commodities) depreciado aos mais ricos, aumentando o empobrecimento interno rumo a recorrentes processos estagflacionários.

    Ou seja, é a desiguldade estúpidos.
    O capitalismo se realiza plenamente com o ápice da desigualdade e morre quando a atinge.

    Paradoxo psicanalítico da morte e pulsão pela morte (in Vivendo No Fim Dos Tempos, de Slavoj Zizeck).

  3. EM CIMA DA PINTA

    Que os meus adoradores daqui leiam a entrevista do grande Antônio Fagundes nas páginas amarelas da Veja.Não sujo minhas lendo aquele pasquim vagabundo,mas pra isto existe rede social.
    Fagundes vai na linha do que escrevi em comentário acima.Nas entrelinhas da entrevista da-se para perceber que a Globo está banbeando as pernas,no linguajar de onde vim.A situação dela é bem pior do que se imagina.A Operação Lava Jato não destroçou só o Brasil,mas arrastou ela junto.Há coisas desta Operação Lava Jato que começarão a aparecer se Biden prevalecer sobre Trump.
    A única coisa aproveitável nas previsões de Dilma Rousseff,verdade seja dita,ela vaticínou que,quando a barragem rompesse não ficaria pedra sobre pedra.Acertou essa,e Lula vai fazer o maior cú doce.

  4. EM CIMA DA PINTA

    Uma pergunta simples.Até onde esses Generais do Exército Brasileiro suportarão tanto desrespeito,humilhação e sacanagens?.Se se lembram os filhos milicianos de Jair,praticamente expulsaram o Gal.Santa Cruz do Palácio do Planalto a ponta pés.O Gal.Rego Barros,com aquela cara de retardado mental,foi chutado sem a menor condescendência porta afora.O Gal.de Exército Eduardo Pazzuelo é desautorizado,desmoralizado e cancelado moralmente quando abriu a cloaca para dizer,que um manda o outro obedece.Nem uma coisa nem outra,ele é um safadão.O Gal.Ramos que parecia o mais equilibrado,é chamado de Maria Fofoca por um moleque vagabundo,corrupto até a medula, que é esse Ministro do Meio Ambiente,Ricardo Salles,laranja dos filhos de Jair.Esse Gal.Heleno o mais perigoso deles,é um elemento deletério e canalha,que praticou no pobre Haiti crimes de guerra e contra a humanidade.O Vice-Presidente Gal.Hamilton Mourão com aquela máscara rubro negra ridícula no rosto,não passa de um parlapatão de marca maior,que o único acerto que teve foi nominar o 02 de Eduardo Bananinha.Ao que parece quem manda é um cadeirante,Gal.Villas Boas um nazi-fascista para Hitleriano nenhum botar defeito.O Comandante em Chefe um tal de Gal.Edson Pujol tem um estoque de fraldas guardadas na caserna.Quando chamado a opinar,diz que a função do Exército é patrulhar fronteiras.Se cagam de medo de um Capitão miliciano,psicopata e cretino.Todos cuzões,no sentido oposto usado a torto e a direito para definir o furico do Senador Chico Rodrígues.

    • Faltou o Gal.Braga Neto.Tem o semblante do menino maluquinho,em verdade um come quieto que não entra em bola dividida,nem quer saber de rachadinhas.Manda botar todo na conta.

      1
      1
  5. Duas observações:

    1) O nome do Gal.é Santos Cruz,não Santa Cruz;

    2) Brasileiros e brasileiras são tão frouxos, cagões mesmo,que não apareceu um mísero dedinho,pra cima muito menos pra baixo,para opinar sobre Generais.Em termos,não lhes tiro a razão.Aquele tamborete de puta não está para brincadeiras.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome