Raio X do IPCA que não para de subir, por Luis Nassif

Os produtos em alta têm aumentado a cada trimestre. Já são 195 na pesquisa de Abril, contra apenas 58 em queda e 26 estáveis.

Foto: Reprodução

Vamos a um levantamento sobre o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Ampliado) de abril de 2022. O índice mensal foi de 1,06%; em 12 meses, de 12,13%.

É o maior índice mensal desde abril de 1996, já sob efeito do Plano Real. E o maior índice trimestral, semestral e anual desde abril de 2003 – sob os efeitos da inflação de 2002.

Alimentação e Bebidas (2,06%), Transportes (1,91%) e Saúde (1,77%) lideraram as altas nominais.

Já o impacto maior – isto é, o peso no índice final – foi de Transportes (com 0,4188 dos 1,06) e Alimentação e Bebidas (0,4105)

Em 12 meses, as maiores altas foram Saúde (19,70%), Vestuário (15,34%) e Transportes (14,73%). Mas o impacto maior foi o de Habitação (7,05 dos 12,13), Saúde (5,36).

O gráfico da variação de 12 meses dá uma ideia melhor da aceleração a partir de junho de 2020.

Nesse gráfico, levantamos todos os produtos que fazem parte da cesta do IPCA e analisamos seu comportamento a cada 3 meses. Os produtos em alta têm aumentado a cada trimestre. Já são 195 na pesquisa de Abril, contra apenas 58 em queda e 26 estáveis.

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Oikos

- 2022-05-12 13:19:38

https://www.bloomberg.com/news/articles/2022-05-11/russian-ruble-surpasses-brazilian-real-as-world-s-best-currency Nassif, no link acima grafico mostra desempenho do rublo frente ao dólar americano. Na mesma matéria o real fica em 2o (sic!?) Muita instabilidade ainda. Outra coisa é lembrar de dois especialistas no tema Inflação: o Friedman que culpava a emissão de moeda acima da produção, e o maranhense Ignacio Rangel que com sua curva demonstrou que no Brasil está inversamente relacionada com a produção industrial. A Curva de Rangel parece se manifestar de novo com a desindustrialização não?

jossimar

- 2022-05-12 09:37:48

Na verdade começou a subir a partir de abril/2020. Com certeza é culpa da guerra na Ucrânia e da pandemia. Podem perguntar ao Bostanaro e o Guedes.

Bruno Cabral

- 2022-05-12 09:29:37

Cade o raio X? Quais seriam os motivos? Represados pela pandemia, agora em busca de repor perdas? Refluxo da alta acumulada dos combustiveis?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador