Bancada evangélica pressiona novo ministro da Educação a demissões

Milton Ribeiro está sendo pressionado a fazer "uma limpa" e demitir pessoas supostamente ligadas a partidos de esquerda ou progressistas

Foto: Reprodução/Redes

Jornal GGN – Pastor evangélico da igreja presbiteriana, o novo ministro da Educação, Milton Ribeiro, está sendo pressionado pela bancada evangélica a fazer “uma limpa” na pasta, retirando nomes que supostamente seriam ligados a partidos de esquerda ou progressistas.

A informação, divulgada pela CNN Brasil, é que as mudanças ocorram nos próximos 30 dias. Apesar de agradar a bancada evangélica por ser pastor da igreja prebiteriana, Milton Ribeiro já estaria sob pressão dos parlamentares, que tinham outras indicações de preferência para o cargo. O momento, segundo analistas, é de fase de testes do novo ministro frente ao Congresso.

Entre os possíveis demitidos da Educação, são listados a secretária nacional de Educação Básica, Ilona Becskeházy, que participou da equipe de campanha eleitoral de Ciro Gomes, em 2018; o secretário executivo Antonio Vogel, que é o atual interino, mas integrou a gestão de Haddad em São Paulo; e o secretário nacional do Ensino Superior, Wagner Vilas Boas, que já esteve no Ministério durante o governo de Dilma Rousseff.

“Estou na torcida para que o Ministro da Educação, Milton Ribeiro, retire a educação dos últimos lugares que a esquerda deixou”, admitiu o deputado federal Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), ao canal de televisão.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora