Garantindo comissões, PT decide apoiar candidato do DEM na Presidência do Senado

Adversário histórico do DEM, o PT anunciou o apoio à candidatura de Rodrigo Pacheco (DEM-MG) na Presidência do Senado

Pacheco (DEM-MG) e o atual presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) - Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Jornal GGN – Adversário histórico do DEM, o PT anunciou o apoio à candidatura de Rodrigo Pacheco (DEM-MG) na Presidência do Senado. Pachecho tem também o apoio do presidente Jair Bolsonaro. O anúncio, feito nesta segunda (11), ocorre após a negociação de duas comissões de interesse da sigla.

Apesar de contar com o apoio do presidente, o PT tinha como objetivo evitar a vitória de outros nomes de maior segurança ao mandatário, mesmo dentro da bancada do MDB, como o líder do governo no Congresso, Eduardo Gomes (MDB-TO), e o líde do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE).

Segundo a bancada, tanto Gomes quanto Bezerra são vistos como excessivamente alinhados ao governo Bolsonaro e também perderam força nos últimos dias. Entre os cotados também estava a opção de Smone Tebet (MDB-MS), alinhada à pautas lavajatistas.

Segundo o senador Humberto Costa (PT), apesar de deter hoje o apoio de Bolsonaro, Pacheco não teria compromisso com as pautas bolsonaristas: “esse foi um dos principais pontos que nos levou a prestar esse apoio”, disse ao Uol.

As negociações, ainda, foram feitas com algumas condições. A bancada do PT no Senado apresentou ao senador uma lista de compromissos, como a independência do Legislativo, defesa da Constituição, dos direitos humanos e liberdades individuais.

Todos estes itens foram expostos em nota oficial da bancada, divulgada horas após o anúncio. “A Bancada do PT no Senado, considerando a grave situação econômica, social e política do país; e, considerando a necessidade de reforçar a institucionalidade e a legalidade democráticas no âmbito do Estado brasileiro, decidiu por unanimidade apoiar a candidatura do Senador Rodrigo Pacheco (DEM/MG) para a Presidência do Senado Federal.”

O partido indicou, também, que o apoio teve como garantia a contribuição da sigla na agenda da Casa, com o objetivo de “contribuir com a superação da gravíssima crise que o Brasil atravessa, que perpassa esforço corrente para rejeitar iniciativas voltadas para o desmonte do Estado Democrático de Direito, incluindo propostas visando minar direitos civis, políticos, sociais e econômicos, muitas delas carentes de transparência e estofo técnico e científico”.

Além disso, segundo reportagem do Valor, o PT garantiu o controle da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) e de outros dois colegiados, caso Pacheco obtenha a vitória: as comissões de Direitos Humanos (CDH) e do Meio Ambiente (CMA), importantes nos esforços das garantias de direitos e também na proteção da Amazônia.

Pacheco é ainda a escolha do atual presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Na nota, a bancada afirmou que o apoio não significa uma aliança no campo político.

“O PT tem bastante claro que a aliança com partidos dos quais divergimos politicamente, ideologicamente e ao longo do processo histórico se dá exclusivamente em torno da eleição da Mesa Diretora do Senado Federal, não se estendendo a qualquer outro tipo de entendimento, muito menos às eleições presidenciais.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

10 comentários

  1. Humberto Costa já virou a página do golpe faz muito tempo.
    Acredito que o tenha feito tão logo acabou a votação do impeachment de Dilma no Senado.
    O arrazoado justificador é conversinha mole pra boi dormir.

    Observação feita hoje por Breno Altman no FB.
    “A bancada do PT no Senado fechou apoio a Rodrigo Pacheco (DEM-MG), sustentado pelo atual presidente da casa, David Alcolumbre, e por Jair Bolsonaro. Mas a lógica de apoiar Baleia Rossi não é derrotar o Planalto a qualquer custo? Por que uma política na Câmara e outra no Senado?”
    Carguinhos?

  2. É desanimador. Desde a década de 80 voto em candidatos do PT em níveis municipal estadual e federal. O Haddad foi último petista a receber meu voto. Chega! Não da +. Depois de ver o partido abraçar seus algozes DEMoníacos joguei a toalha. Senadores e deputados do partido estão parecendo o Menino da Porteira. O DEM jogou umas moedas (“controle” de uma ou outra comissão) e eles saíram pulando, lépidos e fagueiros.

  3. O apoio da bancada de senadores do PT ao candidato de Bolsonaro é uma infâmia. Um desrespeito àqueles que construíram esse partido com luta, sacrifício e esperança. As “condições” elencadas para o apoio são tão patéticas que não enganam sequer uma criança. Na verdade, grande parte da bancada do PT, no Senado sobretudo, deixou de lado qualquer decência. Vale tudo por comissões e cargos para abrigar seus apaniguados. Vergonha. O mínimo que se poderia fazer, já que a oposição é minoria, seria se abster em bloco da votação. Essas pessoas, mais do que a direita, são aqueles que vão sepultar o PT. Mas até lá, com um mandato de oito anos, no mínimo, dá para ganhar um bom dinheiro, empregar os amigos e ter muitas mordomias.

  4. E ainda tem petista que fica muito descontente quando o partido é qualificado como “partido da boquinha”.
    Há muito tempo esse partido perdeu suas origens e seu projeto histórico, revolucionário e transformador e virou a mesmice da política partidária nacional: um carguinho aqui, outro acolá e toda trajetória daqueles que construíram uma perspectiva política diferente para o país é jogada na lata do lixo. Por isso, está cada vez mais distante das lutas reais da sociedade, ficando apenas atado à perspectiva institucional. E para sobreviver nesta esfera faz-se esses tipos de acordos políticos vergonhosos…Chegam a ser risíveis os argumentos para justificar essa traição política….PT cada vez mais se aproximando dos partidos do centrão…Botafogo, Baleia, Alcolumbre…só faltou o Temer…O que faz o gosto pelos carguinhos….

  5. O fato é que o PT perdeu no VOTO.
    Petistas passaram a falar mal do PT…
    Outros petistas fizeram pouco para explicar aos conhecidos, na sociedade, que o outro barco era furado.
    Agora reclamamos da “pouca força” que temos seja na Câmara, seja no Senado.
    Com pouca força, e sem os ELEITORES, que haviam se tornado “preguiçosos” na atividade politica, tambem a de contrôle dos seus politicos ja durante o reino do PT… não há mais, hoje, por que reclamar.
    Fica até feio petista “lavando a camisa” e dizendo que não vota PT nunca mais.
    O mesmo jogo de ANTES das eleições para Presidente.
    Errou antes e continua a errar agora.
    Cadê numero na Câmara e no Senado?
    Não tem?!
    Então que façam acordos sim.
    E aos que continuam a falar mal… a direitona geral, e misturada, vos agradece mais ainda.
    Para a direita pensante, que projeta perfeitamente seu poder… “petista nunca mais” É A MAIOR DE TODAS AS VITORIAS.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome