Governo deve liberar R$ 4,5 bi para Senado avalizar pautas polêmicas

Nos próximos dias, senadores precisam referendar indicação do novo procurador-geral da República, reforma da Previdência e indicação de Eduardo à embaixada nos EUA

Jornal GGN – A abertura de crédito suplementar deve funcionar como moeda de troca entre o governo Bolsonaro e o Senado para conseguir a aprovação de matérias polêmicas no Congresso.

Segundo informações da coluna Painel, da Folha de S.Paulo, senadores aguardam o presidente enviar ao Congresso um decreto para um reforço na dotação orçamentária de R$ 4,5 bilhões, recursos que serão usados em ministérios para atender à demanda de senadores por verbas nas suas bases eleitorais.

Os parlamentares querem que o dinheiro seja aplicado especialmente em programas como o Minhas Casa e Minha Vida e Luz para Todos. “A ideia é reunir recursos dispersos em emendas e elevar o volume disponível para essas rubricas, permitindo que parlamentares indiquem suas prioridades. O pedido por cargos também não se esgotou”, escreve Daniela Lima que assina a coluna Painel.

Nos próximos dias o Senado irá avalizar a indicação do novo procurador-geral da República Augusto Aras, a reforma da Previdência e analisar a indicação de Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, para a embaixada do Brasil nos EUA.

“O combinado é que o crédito extra seja liberado antes de a indicação do filho 03 chegar ao Parlamento”, conclui a coluna.

O GGN prepara uma série de vídeos explicando a interferência dos EUA na Lava Jato. Quer apoiar esse projeto? Acesse www.catarse.me/LavaJatoLadoB e saiba mais.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome