Servidores podem ter salários congelados por três anos

Alternativa é cogitada nos bastidores do poder para compensar impacto do auxílio emergencial nas contas públicas

Jornal GGN – Conversas entre o Congresso e o Poder Executivo cogitam o congelamento dos salários no serviço público federal por um período de três anos, como forma de compensar o impacto da concessão de um auxílio emergencial mais amplo nas contas públicas.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, o congelamento dos salários do funcionalismo federal é uma das alternativas de contrapartidas fiscais para conceder o auxílio e também para liberar gastos para o combate à pandemia.

Além disso, integrantes do Executivo defendem a filtragem dos beneficiários do auxílio emergencial ante aqueles que receberam a ajuda em 2020, para manter o custo sob controle e direcionar o programa aos mais pobres.

Também está em debate restringir o pagamento para um período de três a quatro meses, uma vez que autoridades acreditam que haverá vacinação em massa da população idosa e queda no número de internações ao longo do período.

Quanto ao valor pago, discute-se o pagamento entre R$ 200 e R$ 250 mensais por beneficiário, muito abaixo dos R$ 600 mensais concedidos nas cinco primeiras parcelas pagas em 2020 e dos R$ 300 creditados nos últimos quatro pagamentos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora