A diferença entre medidas de mitigação e supressão do coronavírus

O que os fatos mostram é que só os países que impuseram distanciamento social e testaram maciçamente sua população tiveram sucesso na pandemia

Jornal GGN – Na comunidade acadêmica internacional, as medidas adotadas por países contra o coronavírus já são separadas em dois blocos. Há cenários de mitigação da doença e outros que pedem decisões mais radicais, de supressão.

Com base em estudos estrangeiros, Folha de S. Paulo publicou reportagem nesta quinta (19) explicando que as medidas de mitigação visam “diminuir o avanço da pandemia, sem necessariamente detê-la”. A meta é “resguardar os sistemas de saúde”, reduzindo a pressão por atendimento, e também diminuir os riscos de exposição de pessoas em grupos de risco, principalmente idosos.

É neste contexto que governos sugerem quarentena para quem pode ter sido infectado, distanciamento social, redução de aglomerações públicas e outras ações que dependem da disposição da sociedade em cumprir.

Já no cenário de supressão, mais radical, o distanciamento social precisa envolver quase toda a população, a quarentena de todos os casos identificados é imperativa, os testes são feitos em massa, e há fechamento de escolas, universidades, comércios.

O diário citou especialistas que são contra ou a favor das medidas mais radicais de supressão, ponderando que elas têm impacto sobre a economia e dinâmica social do País e, por isso, dificilmente podem ser adotadas por muito tempo.

O brasileiro Paolo Zanotto, virologista da USP, pensa diferente: “Não quero saber de debate entre especialistas. O que me interessa são os fatos, e o que os fatos mostram é que só os países que impuseram distanciamento social e testaram maciçamente sua população, como a Coreia do Sul e Singapura, tiveram sucesso no combate à pandemia.”

3 comentários

  1. Esse especialista que me perdoe, mas a questão aqui no Brasil não pode ser comparada com os países que nomeia, seja no clima seja nas condições econômicas, dizendo nada mais interessar. É a pura verdade a preocupação de muitos, achando que os golpistas no poder estão armando alguma ação para não ter seu poder diminuído. Basta ver o cerco programado de grandes contingentes da população mais pobre. Tem o dedo do famigerado e fascistoide Sérgio Moro e das Forças Armadas nessa questão, para facilitar o uso do aparato repressivo que têm nas mãos. Estão organizando um verdadeiro genocídio, se tudo evoluir como dizem. Tenho, lá no fundo, uma esperança de que haja muito exagero, porque o sistema econômico mundial, e o brasileiro em particular, necessitam se reciclar, corrigir rumos e estão mascarando os números do impacto do vírus, para esconder os movimentos na economia. Basta dizer que os EUA apoio, indutor e principal beneficiário do golpe de estado que aqui se desenvolve, apesar de ser o país mais rico do mundo, tem seu sistema de saúde insuficiente para atender sua população, e está anunciando ajudas da ordem de US$ 1 trilhão, mas a maior parte para socorrer empresas e o sistema financeiro em dificuldades. No Brasil, além do mais, ainda não se deve ter exatamente, por óbvio, se esse vírus apresentará o mesmo comportamento de expansão e letalidade num ambiente mais quente, já que ainda vamos entrar (amanhã) no outono. Estiverem certas as previsões, nunca foi tão benfazejo uma previsão não acontecer, gostaria de saber como esse plano de isolar os pobres em suas áreas de residência, geralmente pequenas casa de 30 m² ou menos, com 4 ou mais pessoas residindo, locais de difícil acesso, muitos localizados em morros, sem saneamento básico, muitos sem água corrente, dificultando, dadas os problemas de locomoção que estão sendo impostos, o trabalho da maioria, são mais de 50 milhões (um quarto de nossa população) nessa aflição. Os que, mesmo assim, sejam obrigados se deslocar somente farão através de condução apinhadas, verdadeiras sardinhas em lata. Nesses ambientes e nessas condições, impossível atender as recomendações da OMS para enfrentar o coronavírus. Está mais do que claro que a infestação vai ser generalizada, que a almejada segregação não vai funcionar, e ainda, depois da tragédia toda, escassez de mão de obra. Se for o que planejam, matar e diminuir os contingentes de mão de obra, não poderiam fazer melhor. Para os demais, que convivem com essas camadas mais pobres da população, que se julgam seguros e estão de gracinhas na rede, sobrará acrescentar números ao genocídio programado.

  2. Deixando claro que sou LEIGO, embora ávido por (boa e plural) informação e construção de conhecimento, faço as seguintes considerações do que tenho lido, ouvido e visto até o momento, não para estabelecer “verdades”, mas para ESTIMULAR que o leitor VALIDE e PROVOCAR aumente o conhecimento de aspectos que não tenho visto tanto destaque, contribuindo para um comportamento mais consciente:
    1) Vírus é como uma “sujeira inteligente”, que depende de uma célula / bactéria para “agir”. Só “funciona” ao se conectar à “bateria” de um “ser vivo”.
    2) Embora alguns cientistas se dividam entre um vírus ser um “ser vivo” e outros NÃO, eu fico com estes últimos porque os vírus NÃO SE REPRODUZEM SOZINHOS (fora de uma célula / hospedeiro vivo), mesmo que estejam em uma “orgia” de milhões deles juntos.
    3) Esta compreensão ajuda a perceber que uma pessoa contaminada com o vírus não está consequentemente doente, desde que se “limpe” da sujeira” antes que ela tenha chance de se ligar à uma célula / bactéria, etc.
    4) No caso do corona virus, ele só causará a doença (Covid-19) SE alcançar o sistema respiratório, pois a letalidade se dá através de insuficiência respiratória (pulmões), que são alcançados através do nariz, da boca e dos olhos (estes não sei por que, alguém pode explicar melhor).
    5) Portanto, entendendo o vírus como uma “sujeira malandra”, ninguém ficará doente de Covid-19 se apenas contaminar os pés, as costas, a roupa, o telefone, etc. MAS se ATRAVÈS destes, passar esta “sujeira” para o sistema respiratório (nariz, boca e ‘olhos”).
    6) A dificuldade de se evitar o contágio (se “sujar”) fora de um isolamento é IMENSA, mesmo além dos espirros e tosses (dinheiro, cartões, sacolas, prateleiras, embalagens, assentos, corrimãos, balaustres, teclados, etc.). Mas o principal veículo da “sujeira” até o sistema respiratório, fora o aéreo direto da tosse, espirros e quetais) são AS NOSSAS MÃOS, que esfregam e coçam os olhos, o nariz e a boca.
    7) Portanto, esta campanha é corretamente adequada e essencial (além dos mais perigosos espirros e tosses no ar comum), mas as pessoas estão sendo induzidas a precisar “MATAR” o vírus e não a se manterem limpas, bem como às coisas que possam contaminar suas mãos, o veículo mais comum e inevitável (tosses e espirros já se tornaram mais controláveis).
    8) O vírus não “MORRE” (pois não está “vivo”), mas se DEGRADA sozinho, se não encontrar um HOSPEDEIRO vivo. O tempo de degradação (e não “sobrevivência” no sentido estrito) varia de acordo com o material onde estiver depositado. Aço e plástico mais tempo (5 a 6 dias). Em cobre e outros materiais, pode degraadar até em algumas horas.
    9) O álcool gel e os sabões comuns destroem a “capa”do vírus e ele passa de uma “sujeira inteligente” (malandra) à um sujeira morta, posto que destruída.
    10) O consumo exagerado de álcool gel (e sua falta) pode se dar pelo uso doméstico DESNECESSÀRIO, já que em casa, água e sabão é tãobom ou melhor que o álcool gel. Outros limpadores (ou desinfetantes) nem sempre serão adequados para a limpeza pessoal por agredirem a pele.
    11) Para limpar “coisas”, basta usar limpadores comuns (detergentes, desinfetantes, etc.)
    12) Há 3 fatores de mitigação da pandemia:
    a) A auto-imunização humana natural (imprevisível).
    b) Um remédio para a doença, que viabilize a cura (talvez alguns meses).
    c) Uma vacina para prevenir a doença para ESTE vítus (meses ou anos).
    13) As medidas de contágio social, embora certamente necessárias, devem sempre estar cotejadas com efeitos colaterais (ex. economia, autônomos, desassistidos, etc.
    14) Tais medidas acima não irão necessariamente diminuir os “danos’, mas vão permitir que os sistemas de saúde possam lidar com um volume mais diluído no tempo, pois não aguentariam um pico de, por ex. alguns milhões em poucos dias. Por sua vez, este melhor tratamento pode até diminuir os danos.
    15) Utilizando o excelente painel de estatísticas globais da John Hopkins (*) vemos que até o momento tivemos no mundo 220 mil casos chegando a 10 mil mortes (Itália empatando com a China!). Considerando os cuidados e conhecimentos ora já sendo estados no combate, se multiplicarmos os dados da China multiplicados por sua proporção populacional mundial (1/5) e ainda dobrarmos os números e tempos (Itália européia muito mais letal) chegaríamos :
    Casos em ~4 meses (dez/19 a mar/20) x 5 x 2= 1 milhão e 100 mil casos
    Mortes em 4 meses: 10 mil x 5 x 2 = 100 mil mortes.
    Duração da pandemia, considerando a queda da curva chinesa: mais ~4 meses (jun – jul 20)

    Resumo da ópera.
    a) O importante (além de não ter conato “aéreo”) é LIMPAR, LIMPAR ,LIMPAR. Não há o que “matar”, portanto desinfetantes, bactericidas e similares não são necessários.
    b) Estar contaminado não significa estar doente. O importante é LIMPAR LIMPAR, LIMPAR a contaminação antes que ela se espalhe (afinal para as nossas atualmente “perigosíssimas” mãos).
    c) Coisas (mesas, roupas, copos, etc.) “infectadas” (sujas) estarão livres do vírus após um tempo de degradação (dias até horas) ou, principalmente, LIMPEZA! LIMPEZA! LIMPEZA!
    Ajustes e correções serão bem vindas. Boa sorte e ação consciente e eficaz à nós todos!

    (*) versão para smartphone, melhor usar deitado):
    https://gisanddata.maps.arcgis.com/apps/opsdashboard/index.html#/85320e2ea5424dfaaa75ae62e5c06e61

    • Versão ajustada e corrigida do comentário acima, se possível substituí-lo. com esta linha. Obrigado:

      O adolinquente de sérias limitações para o cargo em que foi colocado por braZileiros drogados e intoxicados por longas e intensas campanhas de míRdia manipulativa e redes robotizadas de fake-news, não consegue sequer entender o que é a a palavra “contágio”.
      Pensa que ele (supostamente) não contaminado, não contamina ninguém. Provavelmente nunca brincou de “passar anel”.
      Não compreende que, por ex., ao cumprimentar um contaminado e depois outros 270, contaminará a TODOS em seguida.
      “Vomita” que se eventualmente “se” contaminar, é um problema “dele”. Não, não é porque TUDO na sua vida “profissional”, desde SEMPRE, foi e é pago com dinheiro público (incluindo seus exames e tratamentos de saúde) e ocupa o cargo máximo do país (infeliz e vergonhosamente).
      E frente à gravidade geral do problema, desprezando-o, ainda consegue achar que é “exemplo”.
      Enfim, ou tem má fé, é burro ou mentiroso.
      Ou qualquer combinação acima.
      —————————————————
      Deixando claro que sou LEIGO, embora ávido por (boa e plural) informação e construção de conhecimento, faço as seguintes considerações do que tenho lido, ouvido e visto até o momento, não para estabelecer “verdades”, mas para ESTIMULAR que o leitor VALIDE e PROVOQUE o aumento do conhecimento de aspectos que não tenho visto tanto destaque, contribuindo para um comportamento mais consciente:
      1) Vírus é como uma “sujeira inteligente”, que depende de uma célula / bactéria para “agir”. Só “funciona” ao se conectar à “bateria” de um “ser vivo”.
      2) Embora alguns cientistas se dividam entre um vírus ser um “ser vivo” e outros NÃO, eu fico com estes últimos porque os vírus NÃO SE REPRODUZEM SOZINHOS (fora de uma célula / hospedeiro vivo), mesmo que estejam em uma “orgia” de milhões deles juntos. Uma sujeira orgânica, mas não viva.
      3) Esta compreensão ajuda a perceber que uma pessoa contaminada com o vírus não está consequentemente doente, desde que se “limpe” da sujeira” antes que ela tenha chance de se ligar à uma célula / bactéria, etc.
      4) No caso do corona virus, ele só causará a doença (Covid-19) SE alcançar o sistema respiratório, pois a letalidade se dá através de insuficiência respiratória (pulmões), que são alcançados através do nariz, da boca e dos olhos (estes não sei por que, alguém pode explicar melhor).
      5) Portanto, entendendo o vírus como uma “sujeira malandra”, ninguém ficará doente de Covid-19 se apenas contaminar os pés, as costas, a roupa, o telefone, etc. MAS se, ATRAVÈS destes, passar esta “sujeira” para o sistema respiratório (nariz, boca e “olhos”).
      6) A dificuldade de se evitar o contágio (se “sujar”) fora de um isolamento é IMENSA, mesmo além dos espirros e tosses (dinheiro, cartões, sacolas, prateleiras, embalagens, assentos, corrimãos, balaustres, teclados, etc.). Mas o principal veículo da “sujeira” até o sistema respiratório, fora o aéreo direto da tosse, espirros e quetais, são AS NOSSAS MÃOS, que quase inevitavelmente, esfregam e coçam os olhos, o nariz e a boca.
      7) Portanto, esta campanha e limpar as mãos é corretamente adequada e essencial (além dos mais perigosos espirros e tosses no ar comum), mas as pessoas estão sendo induzidas a precisar “MATAR” o vírus e não a se manterem limpas, bem como às coisas que possam contaminar suas mãos, o veículo mais comum e inevitável (tosses e espirros já se tornaram mais controláveis).
      8) O vírus não “MORRE” (pois não está “vivo”), mas se DEGRADA sozinho, se não “encontrar” um HOSPEDEIRO vivo. O tempo de degradação (e não “sobrevivência” no sentido estrito) varia de acordo com o material onde estiver depositado. Aço e plástico, mais tempo (5 a 6 dias). Em cobre e outros materiais, pode degradar até em algumas horas.
      9) O álcool gel e os sabões comuns destroem a “capa”do vírus e ele passa de uma “sujeira inteligente” (malandra) à um sujeira inofensiva, posto que destruída.
      10) O consumo exagerado de álcool gel (e sua falta) pode se dar pelo uso doméstico DESNECESSÀRIO, já que em casa, água e sabão é tão bom ou melhor que o álcool gel. Outros limpadores (ou desinfetantes) nem sempre serão adequados para a limpeza pessoal por agredirem a pele.
      11) Para limpar “coisas”, basta usar limpadores comuns (detergentes, desinfetantes, etc.)
      12) Há 3 fatores de mitigação da pandemia:
      a) A auto-imunização humana natural (imprevisível).
      b) Um remédio para a doença, que viabilize a cura (talvez alguns meses).
      c) Uma vacina para prevenir a doença para ESTE vírus (meses ou anos).
      13) As medidas de contágio social, embora certamente necessárias, devem sempre estar cotejadas com efeitos colaterais (ex. economia, autônomos, desassistidos, etc.
      14) Tais medidas acima não irão necessariamente diminuir os “danos’, mas vão permitir que os sistemas de saúde possam lidar com um volume mais diluído no tempo, pois não aguentariam um pico de, por ex. alguns milhões em poucos dias. Por sua vez, este melhor tratamento pode até diminuir os danos.
      15) Não encontrei muitas informações por aí sobre como descartar adequadamente máscaras e outros EPI’s.
      16) Utilizando o excelente painel de estatísticas globais da John Hopkins (*) vemos que até o momento tivemos no mundo ~220 mil casos chegando a ~10 mil mortes (Itália empatando com a China!). Considerando os cuidados, conhecimentos e experiência ora já sendo usados no combate, se multiplicarmos os dados da China por sua proporção populacional mundial (1/5) e ainda dobrarmos os números e tempos (ex. Itália européia muito mais letal) chegaríamos à:
      . Duração da pandemia, considerando a queda da curva chinesa: mais uns ~4 meses (jun – jul 20)
      . Casos em ~4 meses (dez/19 a mar/20) x 5 x 2= 2 milhões e 200 mil casos
      . Mortes em ~4 meses: 10 mil x 5 x 2 = 100 mil mortes.

      Resumo da ópera:
      a) O importante (além de não ter contato “aéreo”) é LIMPAR, LIMPAR ,LIMPAR! Não há o que “matar”, portanto desinfetantes, bactericidas e similares não são necessários e evita-se agressão à pele.
      b) Estar contaminado não significa estar doente. O importante é LIMPAR LIMPAR, LIMPAR a contaminação (“sujeira”) antes que ela se espalhe (afinal para as nossas atualmente “perigosíssimas” mãos).
      c) Coisas (mesas, roupas, copos, etc.) “infectadas” (sujas) estarão livres do vírus após um tempo de degradação (dias até horas) ou, principalmente, LIMPEZA! LIMPEZA! LIMPEZA!

      Ajustes e correções serão bem vindas. Boa sorte e ação consciente e eficaz à nós todos!

      (*) versão para smartphone, melhor usar deitado):
      https://gisanddata.maps.arcgis.com/apps/opsdashboard/index.html#/85320e2ea5424dfaaa75ae62e5c06e61

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome