Bolsonaro pediu liberação de insumos de cloroquina para premiê da Índia

Presidente cita empresas de aliados para solicitar liberação de exportação dos produtos para remédio sem eficácia comprovada contra covid-19

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro atuou diretamente a favor das farmacêuticas EMS e Apsen ao solicitar ao premiê da Índia, Narendra Modi, a aceleração da exportação de insumos para produção de hidroxicloroquina, mesmo com as comprovações de que o medicamento não é eficiente contra a covid-19.

A revelação foi feita pelo jornal O Globo, a partir de telegrama do Ministério das Relações Exteriores e que está nas mãos da CPI da Covid-19 no Senado Federal. O documento transcreve um telefona feito por Bolsonaro, onde ele cita as empresas EMS e Apsen ao solicitar a liberação de tais produtos.

Essa intervenção já tinha sido confirmada pelo ex-chanceler Ernesto Araújo em seu depoimento à CPI da Covid, que tem como foco de investigação a fabricação, distribuição e estímulo ao uso de medicamentos sem comprovação científica no tratamento de covid-19.

As empresas citadas são comandadas por empresários diretamente ligados com o bolsonarismo, tanto que o presidente da Apsen, Renato Spallicci, chegou a declarar voto no atual presidente e foi convocado a prestar depoimento na CPI. Já o CEO da EMS, Carlos Sanchez, chegou a ser recebido por Bolsonaro no Palácio do Planalto e esteve em jantar com empresários em São Paulo no qual o presidente foi ovacionado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome