CPI deve pedir acareação entre Emanuela Medrades e Luis Ricardo Miranda

Diretora da Precisa Medicamentos desafiou servidor sobre envio de invoice em 18 de março – segundo ela, documento foi encaminhado dia 22

Diretora técnica da Precisa Medicamentos, Emanuela Batista de Souza Medrades. Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Jornal GGN – O presidente da CPI da Pandemia, senador Omar Aziz (PSD), e outros senadores do colegiado pedirão a acareação entre a diretora da Precisa Medicamentos, Emanuela Medrades, e o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda, irmão do deputado Luis Miranda (DEM-DF). 

Em depoimento no Senado Federal, Emanuela desafiou o servidor público a provar que a invoice (nota fiscal em negociações internacionais) à pasta no dia 18 de março quando, segundo ela, o envio foi feito em 22 de março.

Segundo a Agência Senado, tal informação é importante uma vez que Luis Ricardo e seu irmão, o deputado Luis Miranda (DEM) se reuniram com o presidente Jair Bolsonaro em 20 de março e, na ocasião, os dois relataram supostas irregularidades nas negociações em torno da compra da vacina Covaxin.

“Provei e provo, mais uma vez, que essa invoice só foi enviada no dia 22. Desafio William Santana e Luis Ricardo a provarem que receberam no dia 18, porque eles não vão conseguir. Estou disposta inclusive a fazer uma acareação junto com as informações que eles passaram e com os fatos, se é que eles as têm”, disse Emanuela.

Aziz garantiu que a acareação será realizada, mas não adiantou a data. Simone Tebet (MDB-MS) também apoiou a acareação e disse estar convencida que o contrato com a Covaxin foi fraudulento. A acareação também teve o apoio de Renan, Marcos Rogério (DEM-RO), Eduardo Braga (MDB-AM).

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome