Adeus à Pátria Educadora?, por Wagner Iglecias

Adeus à Pátria Educadora?, por Wagner Iglecias

Meio ano. Foi o que durou a passagem do Professor Renato Janine Ribeiro no Ministério da Educação. Estou entre aqueles que comemoraram a sua indicação, ocorrida no final de março. Afinal teríamos a frente de um ministério estratégico como a Educação um intelectual de formação sólida, postura política independente, capacidade de diálogo e nenhuma mácula relativa a mau uso de dinheiro público. Àquela altura, com Dilma mal completando três meses de segundo mandato, a nomeação de Janine foi comemorada também por ser uma das poucas boas notícias que o governo dava à sociedade. E como se sabe, de lá pra cá as más notícias só pioraram.

A ida de Janine para o Ministério foi reconhecida como boa medida até por alguns adversários. Ou ao menos por aqueles que pensam mais no país do que nos seus próprios interesses. E foi um fio de esperança em todos nós, que imaginamos que com aquela sinalização Dilma estivesse começando a se livrar das tantas amarras que lhe foram e lhe têm sido postas por seus inimigos e por alguns de seus aliados. Com Janine imaginamos que Dilma estava começando a mudar a direção de seu governo, indo ao encontro da agenda progressista que as urnas haviam pedido poucos meses antes.

Sua demissão é compreensível. Janine dará lugar a Mercadante, político que mesmo desgastado conta ainda com relativa força e tem uma longa ficha de serviços prestados ao petismo. A imprensa diz que Mercadante volta para a Educação porque à frente da Casa Civil era motivo de criação de muitas arestas com o PMDB. De novo, compreensível, diante de uma situação em que ou Dilma entrega mais anéis aos aliados e recompõe sua capacidade de governar, ou cai. Pelas mãos deste mesmo PMDB e dos inimigos de sempre, aqueles que a esta altura já se postam sem veleidade alguma em sua aposta no quanto pior, melhor. A situação é tão delicada que dois outros ministérios estratégicos, como Saúde e Ciência e Tecnologia, também entraram na barganha. Uma lástima.

Leia também:  Uma oposição sonolenta, por Aldo Fornazieri

Enfim, prevaleceu a ética da política. Foi derrotada, uma vez mais, a ética da convicção. Janine chegou a ser ironizado nas redes sociais ontem, por conta de post em que afirmou que mandou publicar no site do MEC a informação sobre sua saída. Provavelmente seu último ato, num momento em que já não mandava mais. Mas as ironias a ele foram mais que desnecessárias. Afinal Janine mal assumiu o Ministério e já foi recepcionado por um brutal corte de orçamento. Sim, ele não é um político e tampouco tem uma experiência de décadas como gestor público. Mas fez o que esteve ao seu alcance a frente do Ministério. Janine provavelmente volte para a sala de aula em breve. O que provavelmente não volte mais, infelizmente, é o lema com o qual este governo imaginava se consagrar e ficar marcado na História: Pátria Educadora.

Wagner Iglecias é doutor em Sociologia e professor da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

20 comentários

  1. Se houve alguma coisa de boa

    Se houve alguma coisa de boa no afastamento de Janine foi que, pelo tamanho da crise política, não houve tempo para desgastá-lo. E assim, segue sendo um bom nome para um futuro e possível Ministério da Educação. Quem sai tosquiado ao voltar para o Ministério e o Senhor Mercadante, Que pobreza.

  2. Demitir o Renato Janine

    Demitir o Renato Janine Ribeiro para arranjar um lugar onde encostar o mercadante, um boçal inútil. Isso foi uma piada de muito mal gosto. Dilma, você é indefensável. Vai entrar para a história do Brasil por dois motivos: 1) ser a primeira mulher presidente; 2) Ser o presidente mais trapalhão que este país já teve. Sorte a sua (azar o nosso?) que a oposição consegue ser pior. 

  3. Pátria educadora tirando todo dinheiro da

    educação pública para transferi-lo para pagamento de juros e para o sistema particular de educação, de péssima qualidade, através do fies? Alguém ainda acredita que a Dilma tem alguma intenção boa em relação à educação? Ela já deixou claro que seu único interesse é se manter presidenta,como gosta de ser tratada.

  4. É serio?

    É serio?

     Que Janine era a esperança da educação e eu pensava que eram as verbas.

    Goastaria de saber o que Janine mudou até agora?

    Não que Mercadante seja melhor, mas nas atual situação, para mim não faz a menor diferença.

  5. Adeus coragem? Deu mole e

    Adeus coragem? Deu mole e agora entrega de bandeja ministerios estratégicos. Estou desiludido, cansado desta mesma politicagem.

  6. Um professor, que também é

    Um professor, que também é doutor em sociologia, disse exatamente o mesmo que eu, num comentário que fiz sobre a ‘reforma ministerial’; é claro que o professor se expresou com mais detalhamento e elegância, mas na essência ele disse exatamente o mesmo que eu.

  7. Brasilianas.org

    Perdeu tempo quem assistiu ao Brasilianas.org com Janine Ribeiro, achando que o papo era coisa séria.

    É aquilo: Cinco Pactos, Pátria Educadora e bobagens semelhantes dão ensejo a uma efêmera infinidade de postagens.

    Em brevíssimo tempo, o distinto público rende-se ao óbvio: É tudo conversa fiada pra boi dormir.

    Quanto à indicação de Mercadante, fecho com a fala do Boechat:

    http://noticias.band.uol.com.br/cafe-com-jornal/sp/video/15629343/boechat-sobre-eduardo-cunha-suica-tem-alguma-coisa-muito-concreta.html

  8. Jamine é muito bom, mas a

    Jamine é muito bom, mas a saída dele significa obrigatoriamente a piora na Educação? Quer dizer que todos os programas vão acabar com um novo ministro que não é “do ramo”? É esse cenário catastrófico que se aproxima devido a uma indicação política? 

    Um minstro pode fazer muito, mas não faz sozinho. Existem cabeça, para pensar com (no caso de ser um ministro da área) ou por ele ( no caso de uma indicação política). A crença no individualismo do gestor público é uma merda mesmo. Como se no ministério não houvesse quadros pensantes capazes de influenciar o ministro em boas direções. 

    As vezes fica no ar a ideia de que ninguém sabe o que é Política, ou que se considera incapaz de fazer política por se uma coisa ruim. Com muito atraso, Dilma percebeu que sem agradar o PMDB não dá. Atrasou tanto que viu a ratazana evangélica carioca crescer e virar chefe da Casa Baixa. Resta saber se as medidas arrefeceram a sanha peemedebista. Agora, finalmente, Dilma está fazendo a MESMA política de FHC e Lula, mas estes começaram mais cedo do que ela.

    Curioso, é que a inaptidão política de qual Dilma foi acusada no primeiro mandato vinha justamente por não conseguir controlar a fome do PMDB, que parecia não ligar para a Política e etc. Contraditorimente, os mesmo que acusavam agora a acusam por fazer o contrário do primeiro mandato. 

    Saberemos em breve como essas indicações foram bem sucedidas. O primeiro parâmetro é o enterro do Projeto de Poder por meio do Impeachment. Segundo é a aprovação dos vetos de Dilma. O terceiro será a saída de Cunha da presidência da Câmara e volta de alguém mais afinada com o Governo. Esses quatro pontos podem ser a pá de cal que faltava para a oposição midiática e partidária. 

    Cunha é octacampeã, mas provavelemente não será julgado ou perderá o mandato, afinal, não é do PT. Mas ficará insustentável. A ratazana será abandonada pela sua bancada “fiel” de roedores. O fim do fianciamento privado foi um tiro no peito de Cunha, as denúncias são mais farinha, nem mesmo o mais imbecil antipetista poderá argumentar ao seu favor sem atestar o que de fato é, um imbecil.

  9. Janine, o breve ministro, foi uma lástima durante esse período

    Janine nem tomou posse no ministério. Todo o dia a da do MEC continuava sendo comandado pelo secretário executivo herdado do fim do primeiro mandato Dilma. Nem isso ele teve força para alterar. Os docentes e os TAs das ifes estão em greve fazem 4 meses e ele não recebeu os comandos de greve. É o primeiro ministro da educação no período democrático que não recebe o comando de greve do andes ou a diretoria do andes. Nada fez durante esse período para implementar o PNE. Aceitou, passivamente, os cortes de recursos das ifes, os cortes absurdos no proap, ele, que foi diretor de avaliação da capes e sabe a importância desse recurso para a manutenção dos programas de pós. Na verdade, Janine, o breve ministro, foi uma lástima durante esse período. 

    • Poucos docentes de poucas

      Poucos docentes de poucas instituições entraram em greve. E os que entraram já voltaram às salas de aula. Quanto aos funcionários, houve e ainda há greve de verdade, embora as universidades tenham funcionado assim mesmo, ainda que com alguns problemas.

    • se FHC tivesse entregue ao

      se FHC tivesse entregue ao Lula o Brasil como mais de  4000 universidades públicas, não  precisaria aumentar o repaasse para rede privada de ensino

      • Mas o governo do PT manteve e

        Mas o governo do PT manteve e aprofundou a privatização do ensino superior – nem no governo FHC corporações privadas de ensino tiveram lucros dessa monta. Isso só demonstra que PT e PSDB são partidos do ‘extremo centro’, a diferença entre eles é minima.

    • ocorre que Fies , Prouni e

      ocorre que Fies , Prouni e outras formas do governo ter que gastar com ensino privado  não foi criado por governo petista, mas por FHC

  10. Esse ministro me parece ser

    Esse ministro me parece ser um dos melhores quadros do PT. Na verdade nem parece petista. Civilizado, cordato, trabalhador, equilibrado, carismático… Parece mais com perfil de político dos países nórdicos.  Renato Janine Ribeiro, Fernando Haddad, Fernando Henrique Cardoso deveriam conversar mais entre si. Eles transmitem uma certa civilidade, à qual os eleitores brasileiros, principalmente os petistas, ainda não conseguiram se adaptar. Vida longa para Renato Janine Ribeiro.

  11. Mercadante já provou ser um

    Mercadante já provou ser um excelente ministro da educação,. Pena que Aécio não ganhou para ele ser o melhor ministro da fazenda de todos os tempos.

  12. Tá de brincadeira amigo?

    Depois de centenas de novas escolas técnicas e universidades terem sido creadas, depois da lei de cotas e do prouni, depois de haver enviado milhares de estudantes para o exterior, depois de incluir milhões de brasileiros, incentivando a permanência das crianças nas escolas, você vem despejar este fel sobre nós?

    Pois saiba que se o governo não conseguir estabilidade política, aí mesmo que a vaca vai pro  brejo!

    • ta de brincadeira amigo.

      O Prof. janine em sua coluna no estadao denunciou que colegas seus veiculava boatos na internet estilo filho do lula dono da friboi e da oi  e ate mostravam a sede da fazenda da esalq como do filho do Lula.Gosto dele.Alem disso.Porem todavia contudo,cada macaco no seu galho.Pele dentro de campo é um monstro,como presdente de clube e secretario de esportes e´como o Janine jogando futebol.Todos os politicos sao idiotas imbecil e os menos dementes , montam uma puta assessoria. Dona Dilma,nao politica,estranha no ninho, ta provando que integridade moral ,puta tecnica, nao resolve a repipoca da parafuseta.Ainda mais na terra de ladroes legalizados e selecionados. Professor Janine ,fique na sua.

  13. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome