Bolsonaro distorce manifestação da OMS: “Queremos mesmo que tudo volte à normalidade”, diz

"Queremos sim, o mais rápido possível, senhores prefeitos e governadores, que decidam o mais rápido possível voltar à normalidade", disse Bolsonaro, distorcendo declarações da OMS

Foto: Marcos Correa/PR/Divulgação

Jornal GGN – “Economia é vida. Queremos, sim, a volta à normalidade o mais rápido possível”, disse o presidente Jair Bolsonaro, em coletiva na manhã desta terça (09). A declaração de Bolsonaro foi a conclusão que ele teve, após interpretar de forma equivocada o relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Essa informação, da OMS, que há pouco tempo voltou atrás com a pesquisa da hidroxicloroquina, e essa agora que os assintomáticos não transmitem o vírus, vai mudar, sim, com toda a certeza a posição de governadores e prefeitos, no tocante a confinamento, a lock down. Queremos mais mesmo que tudo volte à nossa atividade econômica, porque economia é vida, queremos sim, o mais rápido possível, senhores prefeitos e governadores, que decidam o mais rápido possível voltar à normalidade”, cobrou Bolsonaro.

Nesta segunda (08), a chefe do programa de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Maria van Kerkhove, havia informado que estudos ainda estavam em andamento, e um deles indicava que a transmissão por pessoas assintomáticas, ou seja, pacientes Covid-19 que não possuem sintomas, era “rara” [entenda].

Em nenhum momento, a representante da OMS informou que “é praticamente zero” ou “nula” a capacidade de contágio por aqueles que não têm sintomas [leia aqui]. Mas assim distorceu Jair Bolsonaro que, em declaração na manhã de hoje, ainda informou ser este o argumento necessário para prefeitos e governadores acabarem com as políticas de quarentena.

“Foi noticiado ontem declaração da OMS, onde diz a OMS que entre os assintomáticos a chance de transmissão do vírus é próximo de zero, o dado não é comprovado, como nada é comprovado na questão do coronavírus, mas é bastante importante”, disse o mandatário, na mesa, ao lado dos ministros, e após o interino da Saúde, Eduardo Pazuello, utilizar o espaço para rebater as críticas sobre as divergências de dados do coronavírus pela pasta nos últimos dias.

Leia também:  Para reabrir escolas é preciso fazer testagem em massa e rastreamento, diz estudo da UCL

“Desde lá atrás eu dizia que as medidas para combater o vírus não poderiam fazer com que o efeito colateral deve ser maior, na economia”, continuou. “Isso pode mudar rapidamente as medidas preventivas, de restrição, de isolamento, de confinamento, determinados pelos governadores e prefeitos”, completou.

Segundo Bolsonaro, a interpretação equivocada que ele teve da declaração da OMS sobre os casos de pacientes Covid-19 sem sintomas “deve” fazer os prefeitos e governadores mudarem de opinião e flexibilizarem o isolamento social, com “a volta à normalidade”, que segundo ele, “é o que todo mundo quer”.

Nas suas falas, Bolsonaro quis “deixar bem claro” que as medidas determinadas no Brasil de restrição de locomoção, que ao contrário do que sustenta, são ainda a forma mais eficaz de combate ao coronavírus segundo a própria OMS, não foram uma decisão do governo federal. “Afinal, quem decidiu não fomos nós, conforme decisão do Supremo Tribunal Federal. Nós ficamos somente relegados de dispensar recursos para estados e municípios”.

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Anormais falando em normalidades é o que mais vemos hoje em dia.
    Desde o golpe de estado de 2016 ouvimos esses discursos.
    De lá para cá, o país só desfigurou-se, mergulhado numa desconstrução jamais vista, nem no golpe de 1964!

    São características principais desse desmonte:

    1)Extinção do programa “Mais Médicos” de Dilma Rousseff, com participação do
    mengele maçom golpista mandeta, jogando 25 milhões de pobres brasileiros
    nas valas dos sofrimentos, doenças e mortes por TOTAL falta de assistência
    médica, um verdadeiro holocausto pior do que o do nazista Hitler que executou
    6 milhões de judeus praticamente todos de forma sumária.

    2) Tráfico de cocaína diário em boings presidenciais, com apreensão de 39k no
    boing da presidência em Sevilha, sem maiores informações. Quem são os
    donos traficantes desses 39k??? Quem são os receptadores desses 39k???
    Óbviamente que são os generais heleno, mourão, braga, vilas boas e tantos
    outros
    oficiais, bem como o próprio milico-miliciano boçalnaro.
    3) Combate zero à pandemia em curso, agora chegando a 2.000 mortes ao dia
    mas com sumiços dos mortos nos informativos diários bem como das
    estatísticas, em parceria macabra e inusitada com a grande imprensa (globo,
    estadão, folha, uol etc…) principal responsável por essa maquiagem de dados
    já que são participantes da farsa e do aval / endosso aos seus parças milicos
    maçons ditadores que piratearam os 3 poderes da ex-república.
    4)Total subserviência aos eua, numa demonstração clara e nítida de que esses
    golpistas podem ser qualquer coisa, menos brasileiros, sendo inclusive espiões
    responsáveis por todo esse desmonte, tendo como um dos principais espiões o
    filhodumaputa larápio até de apaes o maçom sérgio moro + sua cunhada vaca
    vagabunda rosângela moro, aquela que mandou Dilma Rousseff tomandocú,
    mas que quando ouviu o boçalnaro dizer que gosta de cú de galinha, votou
    nele e passou a ser seu aliado.
    5)Privatarias aos moldes tucanos, “doando” comissionadamente empresas
    públicas aos amigos e aos piratas internacionais de plantão.

    Deus nos salve desses MAÇONS MILICOS crápulas dos inférnos!!!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome