Bolsonaro: “Moro tem compromisso com seu ego”

"Falava-se em interferência, oras bolas, se eu posso trocar um ministro, porque eu não posso trocar o diretor da Polícia Federal?"

Jornal GGN – “Sabia que não seria fácil. Uma coisa é você admirar uma pessoa, outra é conviver com ela, trabalhar com ela. Hoje vocês conheceram aquela pessoa que tem o compromisso consigo próprio, com seu ego, e não o Brasil. Hoje, essa pessoa vai buscar uma maneira de botar uma cunha entre eu e o povo brasileiro. Isso aconteceu há poucas horas”, foi a resposta de Jair Bolsonaro, sobre a declaração de Sérgio Moro na manhã desta sexta (24).

Em coletiva de imprensa, o mandatário tentou negar as acusações de Moro de que a troca no comando da Polícia Federal era uma “clara interferência política” [leia mais aqui]. “Falava-se em interferência, oras bolas, se eu posso trocar um ministro, porque eu não posso trocar o diretor da Polícia Federal?”.

“Eu não tenho que pedir autorização de ninguém para trocar o diretor ou qualquer outro que esteja na pirâmide hierárquica do poder Executivo. Será que é interferência pedir que investigue quem mandou matar Jair Bolsonaro?”, disse, em ironia à frase “quem mandou matar Marielle”.

No discurso oficial, Bolsonaro contrariou a versão de Moro de que tenha fechado um compromisso com o ex-juiz de conceder “carta branca” para nomear sua equipe no Ministério da Justiça. Relatou que, após a sua vitória no segundo turno das eleições presidenciais, recebeu Moro e, juntamente com o ministro da Economia, Paulo Guedes, traçaram “alguma coisa” caso ele aceitaria o cargo para ser ministro da Justiça.

“Acertamos, como fizemos com todos os ministros, que vai ter autonomia no seu Ministério, mas autonomia não é soberania. Falei do meu poder de veto, que os cargos-chave passariam pelas minhas mãos”, disse o mandatário.

Ainda, Bolsonaro aproveitou para atacar o ex-juiz da Lava Jato, ao dizer que Maurício Valeixo, o diretor exonerado da Polícia Federal (PF), foi escolhido por Moro, “apesar de que essa indicação é exclusiva do sr. Presidente da República”, assim como “toda a sua equipe”. “Todos os cargos-chave [da pasta] são de Curitiba, inclusive. Lógico que me surpreendeu, será que todos os profissionais competentes estão em Curitiba?”, provocou.

 


Acompanhe:

É ilegal Moro receber adicional como forma de “pensão”, segundo a Constituição

Moro revela “segredo”: pediu pensão para a família em troca de trabalhar com Bolsonaro
Moro: Falei que seria interferência política, Bolsonaro disse que seria mesmo
Moro acusa Bolsonaro de interferir em investigações no STF, Rio e Pernambuco
As frases mais bombásticas da despedida demolidora de Sergio Moro
Obstrução de Justiça, falsidade ideológica: Moro fez “delação” contra Bolsonaro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

  1. Agora se inicia outro capítulo da novela animada: o justiçamento. Se segue a tese de que o cavaleiro MOR do justiçamento, sabedor que é, já que conta com o auxilio do olho do grande brother, aceitou a capanga ministerial para combater o grande combate. Final? Também não se sabe. Sob a proteção do seu escudo “made in América”, o país será libertado das garras e das presas dos corruptores. Bem vindos a saga das séries animadas – cavaleiros da justiça 2022, cavaleiros do zodíaco de cu-ritiba, cavaleiros da távola quadrada do reino verde-amarelo. Impuseram um herói colorido, um herói pistoleiro e, agora, em um futuro não muito distante, um herói justiceiro. É Brasil de mãos dadas com o Sebastianismo. O gado segue mugindo embalado pela cantilena moralista do justiçamento ante o brilho do punhal do seu herói justiceiro. Não se sabe se dor ou prazer. Hoje, Sérgio Moro viveu a sua Nacht der langen Messer.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome