Brasil registra primeira morte por coronavírus

A vítima era um homem de 62 anos que estava sob cuidados em São Paulo

Jornal GGN – O Brasil registrou nesta terça (17) a primeira morte por coronavírus. A vítima era um homem de 62 anos que estava sob cuidados em São Paulo.

O secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann, e o coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo, David Uip, farão coletiva de imprensa às 13 horas para informar os detalhes.

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

luiz pontes

- 2020-03-17 11:28:51

Lamentável. As pedras do dominó da vida começam a cair. Enquanto isso, no maior produtor de álcool do mundo, uma pequena garrafa do produto está custando 30 Reais no câmbio negro. Ora, por que não carrear a maior parte da produção de álcool para o combate à doença? Diminuanos a produção do álcool combustível para disponibilizarmos álcool gratuito à população. Na ditadura, o proálcool subsidiava o produto para incentivar o uso em carros, por que agora nada é feito para salvar vidas? A face cruel do Brasil se mostra mais contundente nesses momentos e nos mostra que estamos longe, muito longe de sermos aquele povo hospitaleiro cantado em verso e prosa nas marchinhas de carnaval. Aqui no RJ, principalmente nas comunidades mais pobres, onde a tuberculose aflora em cada barraco, motivada pela aids, a fome ou drogas, com certeza, jazem doentes e corpos que sequer aparecerão nos jornais, pois não passaram pelo Einstein, Copa D or ou Samaritano. Todos no RJ temiam que o morro, tomado por consciência, descesse um dia para cobrar as injustiças cometidas contra ele. Mas, agora, o que dele descerá será a peste e a morte caso nada seja feito a tempo. A quantidade enorme de pessoas nas ruas do RJ, as vezes famílias inteiras, cracudos, doentes mentais, engrossarão o número de vítimas sem que nada seja feito para minimizar esse drama. Nem a violência de um Pereira Passos moderno deterá o avanço dessa tragedia sobre o RJ, governado por outro louco que diz que essa doença é "obra do demônio". Bem, se ele se referir ao demônio que aboletou se no Palãcio da cidade, concordo.

jcordeiro

- 2020-03-17 11:16:30

Nassif: à parte da tragédia, o Coronavirus é democrático. Não distingue quem prejudica ou mata. Entra e pimba... Perigo mesmo é a praga do BolsonaVirus. Esse, sim, é seletivo. Mata e mutila tão somente negros (com mais de 4 arroubas), pobres (de esquerda), índios (que têm terras com minerais raros e madeira) e boa parcela daqueles 91 milhões de eleitores que disseram não aos VerdeSauvas, no ano passado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador