E-farsas: Lula foi expulso por manifestantes de restaurante em Natal?

do E-farsas

Lula foi expulso por manifestantes de restaurante em Natal?

Será verdade que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi expulso por manifestantes sob gritos de “ladrão” de um restaurante em Natal (RN)?

O vídeo apareceu no YouTube no dia 19 de agosto de 2017, e já foi visto centenas de milhares de vezes! Nele podemos ver os clientes de um restaurante gritando palavras de ordem contra os políticos que se encontravam no local!

De acordo com o texto que circulou juntamente com as imagens,o ex-presidente Lula teria sido expulso do restaurante localizado no Shopping Midway, em Natal (RN), onde Lula estaria almoçando junto com o prefeito da cidade de São Paulo João Doria, e ambos teriam sido expulsos do estabelecimento sob vaias e xingamentos dos presentes!

Será que esse vídeo é verdadeiro ou falso?

 Verdade ou farsa?

De acordo com a agenda publicada no site do Partido dos Trabalhadores, a caravana com o ex-presidente Lula começou no nordeste dia 17 de agosto de 2017 e, no dia 19 (quando o texto afirma que Lula estava no Rio Grande do Norte) Luiz Inácio estava em Feira de Santana, na Bahia. O site do PT também mostrou como foi o dia do político na cidade baiana.  

Apenas por esse detalhe, já podemos dar como encerrada essa história… Afinal, Lula não poderia estar em dois lugares ao mesmo tempo!

Mas a verdade mesmo é que o vídeo foi feito no dia 16 e não teve mesmo a participação do ex-presidente! Nesse dia, o prefeito de São Paulo, João Doria, foi recebido sob protestos na cidade de Natal. Segundo o jornal Estadão, manifestantes entraram no Shopping Midway Mall, segurando cartazes e gritando palavras de ordem contra o prefeito paulistano.

Os gritos com os insultos eram também voltados para o presidente afastado da Câmara Municipal, o vereador Raniere Barbosa, que é acusado de desviar cerca de 22 milhões de reais da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos.

Abaixo, outro vídeo feito no mesmo local e no mesmo momento:

 

Conclusão

O vídeo espalhado como sendo de manifestantes expulsando o ex-presidente Lula de um restaurante em Natal é de um caso ocorrido com o prefeito de São Paulo!

 

14 comentários

  1. Só mesmo um imbecil pra

    Só mesmo um imbecil pra acreditar numa coisa dessas.Lula almoçando com Doria.O pior é que o temOS muitos imbecis !

  2. Ma-fé

    Nos videos, o grito é de fora PT (parece até que ja virou automatismo), mas se o tal vereador de Natal é do PDT (ainda que coligado com PT) e João Doria é PSDB, que diacho de protesto é esse? Parece montagem.

    • Hoje em dia é fácil editar o

      Hoje em dia é fácil editar o som de um vídeo. Especialmente com grupos sendo financiados para isso como o MBL.

    • Maria Luisa
      “ainda que

      Maria Luisa

      “ainda que coligado com PT”

      ???

      Voce está errada. Veja a coligação para prefeito.:

      https://www.eleicoes2016.com.br/carlos-eduardo-pdt-rn/

       

       

      (a homenagem foi do dep fed. Rogerto Marinho(PSDB, responsável na CamFed pela relatoria da  da reforma trabalhista, (o sujeito da riachuelo que tb foi agraciado pelo vereador do pdt deve ter vindo da mesma turma.)

       

  3. Como moro em Natal, fiquei

    Como moro em Natal, fiquei muito feliz com as manifestações havidas aqui em favor de Lula. Infelizmente não lembro o dia.

    Também vi uma manifestação de escracho violenta contra Doria dentro do Midway Shopping, que ficou cercado de seguranças até desaparecer na multidão.

    Não vi nada a respeito dessa manifestação do mesmo shopping contra Lula, porém, pelas imagens, as pessoas gritam fora PT e Lula na Cadeia. Então eu acho que tenho uma explicação para o fato.

    Sem dúvida Lula teve uma manifestação bacana aqui em Natal. Se houve essa outra contra ele no shopping, e vejo pelas imagens ter sido lá mesmo, o negócio se explica assim: a elite de Natal foi muito forte durante o impeachment de Dilma, e soube influenciar até os beneficiiários dos governos petistas, como pude observar em conversas com domésticas e porteiros, entre outros de renda mais baixa. A prova disso esteve nas eleições a prefeituras do RN, como de tantos outros estados da Região. Ao ver Lula sendo aplaudido nas ruas de Natal, e ouvir muitas dessas categorias profissionais hoje dizerem que se Lula for presidente votaria nele, como tantos arrependidos, o problema é que a elite pode até estar chateada com Temer, mas nao mudou de opinião com relação ao PT e Lula. E quem mais frequenta os restaurantes de um shopping, como o Midwai é quem tem grana no bolso, esses que gritaram no vídeo não representam a maioria, de jeito nenhum. Vale dizer que no meio dos que gritaram havia outros que saíam de fininho, ou não se manifestavam. 

    Outra: o RN foi o estado onde Dilma teve menor votação em 2014. 

  4. por uma bobagem fui expulso, me descadastraram sumariamente

    Antes,expulso(publicamente tempo atrás repeti q foi justa expulsão,incomodei a pudicícia de algum membro da Equipe e mere-ci).O tempo passou,no que não deixei de achar uma bobaggem,e tentei me cadastrar,fui aceito por 1 dia(não bloquearam meu IP ou desbloquearam,usei outro e-mail meu).Não sei se o novo descadastramento,sem nenhuma comunicação,foi por eu ter dado algumas sugestões pra ampliar o Blog,pra não ficar somente os mesmos,os mesmos q aplaudem,e,a meu ver,poderia ha-ver arejamento atraindo pessoas com mais senso crítico,muito mais senso crítico,assinaturas,e não ser visto como um clube social,nem de igreja(q têm seus lugares,nada contra),amigos ou devotos de fulano.E olhe q eu acho que nunca postei algo q não fosse do lado progressista.

  5. Reincidente

    Lembro de outra cafajestice do mesmo naipe: Um certo deputado do DEM desferiu uma covarde bofetada numa jornalista que fazia uma pergunta incômoda, e o ato foi filmado. A internet foi infestada pela filmagem onde se afirmava que era um deputado do PT ou PSOL, não lembro bem, mas foi no auge do movimento dos paneleiros espumando pela saída da Dilma.

  6. O prefeito de São Paulo, João

    O prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), recebeu nesta quarta-feira (16) o título de Cidadão Natalense em solenidade realizada pela Câmara Municipal de Natal no Teatro Riachuelo, na capital potiguar. Em seu discurso, o gestor paulista destacou o trabalho desempenhado pelo deputado federal Rogério Marinho (PSDB) como relator do projeto de modernização das leis trabalhistas na Câmara.

    “É um deputado federal brilhante, passou e muito as fronteiras do Estado. Hoje é um nome nacional, relator da reforma trabalhista que vai mudar a história do Brasil. Um homem desta terra que está ajudando a mudar a história do Brasil. Merece os aplausos e o reconhecimento de milhões de trabalhadores brasileiros”, disse Dória.

    Minutos antes, o empresário Flávio Rocha também fez questão de enfatizar a importância do trabalho de Rogério no Congresso Nacional. “É um presente que o RN deu ao Brasil. Foi eleito pelo RN, nos enche de orgulho, e extrapolou as fronteiras do estado, foi um dos homens que melhores serviços prestou para a reconstrução do nosso país”, disse. Na oportunidade, Flávio Rocha recebeu a medalha Frei Miguelinho.

    http://correiodoserido.com.br/joao-doria-rogerio-marinho-esta-ajudando-a-mudar-a-historia-do-brasil/

    ——-

    Querendo saber um pouco quem é o “frei”, sua história, localizei este material no CPDOC  da FGV:

    CASTRO, Miguel * pres. PI 1882-1883; dep. geral CE 1885-1888; dep. geral RN 1889; const. 1891; gov. RN 1891; dep. fed. RN 1892-1893. Miguel Joaquim de Almeida Castro nasceu na fazenda Convento, freguesia de São Gonçalo da Serra dos Cocos, município de Ipu (CE), no dia 4 de dezembro de 1834, filho de Joaquim Felício de Almeida Castro e de Cosma Rodrigues Veras. Era sobrinho- neto do padre Miguelinho, seu homônimo, um dos líderes da Revolução de 1817 em Pernambuco. Seu primo Francisco Pinheiro de Almeida Castro também seguiu carreira política, exercendo o mandato de deputado federal pelo Rio Grande do Norte de 1921 a 1922. Formou-se bacharel em direito pela Faculdade do Recife em 1858, foi nomeado promotor público da comarca de Maioridade (RN) em 1859, e juiz municipal e de órfãos de Aracati (CE) em 1860. Em 1864 foi nomeado juiz de direito da comarca de Saboeiro (CE), e em 1868 foi designado inspetor literário. Iniciou a carreira política no ano em que se formou, sendo eleito deputado provincial no Rio Grande do Norte na legenda do Partido Liberal para as legislaturas 1858-1859 e 1860-1861. Foi presidente da província do Piauí de 1882 a 1883, e em 1885 foi eleito deputado geral pela província do Ceará na legenda do Partido Liberal para o período 1885-1888. Em 1889 voltou para o Rio Grande do Norte, onde se aliou a José Bernardo de Medeiros, líder político da região do Seridó, e aí se elegeu deputado geral, sempre na legenda do Partido Liberal. Com a queda da monarquia, José Bernardo aliou-se ao líder republicano Pedro Velho de Albuquerque Maranhão para montar o novo governo do Rio Grande do Norte. Em 15 de setembro de 1890 Miguel Castro foi eleito deputado federal constituinte na legenda do Partido Republicano, novamente com o apoio de José Bernardo, e em 15 de novembro tomou posse. Em 1891 Miguel Castro foi um dos protagonistas da disputa pelo controle do poder no Rio Grande do Norte a partir das divergências expostas pelo Partido Republicano durante a eleição para presidente da República pelo Congresso Nacional Constituinte, no dia 25 de fevereiro. Na ocasião, toda a bancada do Rio Grande do Norte apoiou o marechal Deodoro da Fonseca, com exceção de Pedro Velho e José Bernardo,
    Page 2
    que apoiaram Prudente de Morais. Em vista disso, depois de eleito Deodoro nomeou Francisco Amintas da Costa Barros, um dos opositores de Pedro Velho e José Bernardo, para o governo do estado. Ligado por laços de família aos Almeida Castro e aos Amorim Garcia, Amintas Barros realizou eleições para o Congresso Constituinte estadual, e este, uma vez instalado, elegeu Miguel Castro governador do Rio Grande do Norte. Como Miguel Castro se encontrava no Rio de Janeiro, Amintas Barros passou o governo para seu vice, José Inácio Fernandes Barros, que logo repassou o posto para o segundo-vice, Francisco Gurgel de Oliveira. Chegando a Natal, Miguel Castro tomou posse em 9 de setembro de 1891 e organizou o governo tendo as famílias Almeida Castro e Amorim Garcia como base de apoio político, e nomeando seus membros para postos-chave em detrimento dos aliados de Pedro Velho e José Bernardo. No plano nacional, Miguel Castro e o Congresso estadual continuaram apoiando os atos políticos do governo Deodoro da Fonseca, inclusive o chamado “golpe de Lucena” e o fechamento do Congresso Nacional (3/11/1891). Com a renúncia de Deodoro à presidência (23/11/1891), Pedro Velho e José Bernardo, à frente das tropas do Exército sediadas em Natal, promoveram a derrubada de Miguel Castro, deportando-o depois de preso para Fortaleza. O governo do estado foi então entregue a uma junta governativa que dissolveu o Congresso estadual e convocou eleições para um novo Congresso Constituinte. Este, por sua vez, elegeu Pedro Velho governador. Em 1892 Miguel Castro voltou ao Rio de Janeiro para denunciar no Congresso Nacional o golpe perpetrado por Pedro Velho e José Bernardo, mas não encontrou audiência favorável. Em 1899 foi candidato ao Senado, mas foi derrotado pelo candidato “pedrovelhista”. Abandonando a vida pública, estabeleceu-se em Recife, onde faleceu em 6 de maio de 1901. Casado com Rosa Maria Antunes de Oliveira, teve seis filhos

     

     

     

     

  7. Até quando?

    Como é irritante estas notícias falsas. Pior que os imbecis acreditam nelas, não importa a verdade.

  8. Bem que os “sem voto” tentam
    Bem que os “sem voto” tentam denegrir Lula, mas logo, logo são desmascarados. No dia em que esse vídeo foi gravado Lula estava em Feira de Santana na Bahia e não em Natal, Rio Grande do Norte, por onde a caravana ainda não passou. Os “sem voto”, também são os “sem credibilidade”.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome