Em Londres, Dilma se arrepende da lei de delações e critica Levy

Foto: Fernando Donasci
 
 
Jornal GGN – No encerramento do evento Brazil Forum UK, na London School, a presidente deposta Dilma Rousseff demonstrou arrependimento pela maneira como foi sancionada a lei que permitiu o uso das delações premiadas, em 2013.
 
Segundo relatos do Estadão, Dilma disse, no sábado (5), que a falta de “tipificação exaustiva” na lei permitiu que ela fosse utilizada como uma “arma”.
 
“Infelizmente – vou começar assim – infelizmente eu assinei a lei que criou a delação premiada, mas foi assinada genericamente, sem tipificação exaustiva e poderia virar arma”, afirmou. 
 
Ela ressaltou que as delações começaram o “processo de maior investigação do Brasil”, mas foram utilizadas com o objetivo de derrubar o governo do PT à revelia de provas. “Utilizaram o que construímos contra nós”.
 
Dilma ainda lançou críticas à gestão de Joaquim Levy, que ocupou a Fazenda ao longo de 2015. Segundo a petista, ele não estava à altura do cargo naquele momento. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

7 comentários

  1. Em…

    Sabe qual é a maior aberração desta Latina/2018 que estamos vivendo? Não somos mais governados por pessoas que precisam, no mínimo, viver no país. A semana em Brasíla, começava na terça até quinta-feira. Então aviões rumo ao estado de origem. Agora ao Estado de Residência. Chega no final de semana e é um tal de Boulos a partir de NY, Barroso dá entrevista em Paris, Gilmar direto de Lisboa, Marina em Seminário em Londres, Dodge em Convençaõ em Madrid, explicações e discussões com os Alunos de Harvard, Cambridge,…..Abram os olhos, caros Brasileiros. Realmente as Eleições serão feitas a partir de Facebook e pagamentos de salários através de Transferência Internacional. Somos de muito fácil explicação. 

  2. Concordo com Dilma quanto a

    Concordo com Dilma quanto a autocrítica com relação a lei da Delação Premiada. Precisava ser mais detalhada e com mais salvaguardas para evitar o uso político que estamos vendo.

    Por outro lado, por mais detalhaada que fosse, quando o juiz quer e tem o apoio da “opinião pública” (leia-se Rede Globo), sempre dá-se um jeito. Estamos vendo artigos da Constituição serem solenemente distorcidos e ignorados, mesmo quando a redação é clara. Quando o “intérprete” da lei é mal intencionado, sempre dá-se um jeito.

  3. Tarde damais essa

    Tarde damais essa autocrítica: Inês é morta. E Eudardo Cardoso na Justiça, nada? O Republicanismo, que caiu na ditadura do Judiciário. Muita incompetência política! O poder não pede por favor! Não fica no poder, quando se abdica de exercê-lo, o poder nem sempre se expressa com gentilizas. Tomara que Lula e o PT e aliados consigam contornar os problemas criados para o povo, e voltarem  ao poder. É difícil, muito difícil, mas possível dentro da política. Que a Presidenta, que foi ipoliticamente incompetente  no cargo seja espelho para os que julgam que ter preparo e experiência técnica seja suficiente, tudo  para atuar na política. 

  4. #$%@&#!

    Alguns sociopatas são funcionais. Outros não. a presidenta Dilma (para mim por ter sido eleita, é a presidenta até o final deste ano, o que não significa…) é a responsável por ter colocado Levy, o Breve e ter-lhe autorizado a fazer as presepadas que fez. Como sempre, nunca escutou ninguém, e como sempre fez o que lhe dava na telha do alto de sua arrogância. 

    Ela era a chefa dele e é dela a responsabilidade.

    Nem um mea culpa correto faz.

    Quando sancionou o plano genial de diminuir as receitas do Estado através de uma recessão violenta e aumentar as despesas com juros o que esperava? Se o Levy tem culpa ela soma-se a ele nessa responsabilidade de desestruturar toda a estrutura do país e abrir uma avenida bem pavimentada para o que sucedeu.

    Sancionar uma lei bizarra como se apresentava é algo de alguém que não tem visão do futuro e desconhece os atores presentes (veja os pavões do Judiciário; os seguranças do Justo Veríssimo que permeiam todas as Políciase os vendilhões do Legislativo). Ao lidar com o presente achou-se na ininputabilidade dos Santos. Ao lidar com o futuro cercou-se de figuras como José Cardoso (que manchou para sempre a palavra republicanismo ao usa-la como desculpas para um laissez faire – laissez passer político e um Mercadante para inflar-lhe o sentimento de autonomia em relação aos comprometimentos com Lula e PRINCIPALMENTE com a razão de ter sido eleita para um segundo mandato.

    Houve um golpe sim, e ele começou imediatamente na segunda eleição traindo o voto que teve. Abandonando o compromisso com o eleitor, fugindo de conversar com parlamentares e outros. Boa demais para isso.

    Sinceramente faltam-me palavras para expressar.

     

    Em tempo: Quando popularizou-se o termo “pedaladas”, o que se fez? Deixou-se fotografar andando de bicicleta por Brasília. Que dizer?

    • Bravo!

      Impecável o seu texto. Permita-me reforçar: será que ela não sabia que ele era e é um agente do tal de mercado? que esse tal de mercado é o domínio do neoliberalismo? que neoliberalismo é sinônimo de desastre onde quer que domine e aplique seu receituário hipócrita que tem como único objetivo, encoberto pelo véu de uma fake economics?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome