Ex-procurador da Lava Jato pede “Fora Bolsonaro”

"A saída de Bolsonaro do poder é uma obrigação moral. Deixar que brasileiros morram por opção política é sim suficiente para isso", escreveu

Foto: Divulgação

Jornal GGN – Falando em “corrupção evidente nos gabinetes” da família Bolsonaro e da guerra criada pelo mandatário para proibir a vacina chinesa, o ex-procurador da Operação Lava Jato, Carlos Fernando dos Santos Lima, que foi um dos líderes da força-tarefa de Curitiba, pediu “Fora Bolsonaro” em coluna, publicada no Uol, nesta sexta (23).

“A saída de Bolsonaro do poder é uma obrigação moral. Seja pela sua não reeleição ou, a via mais urgente, pelo impeachment, que existe para dar uma solução para situações em que haja um crime de responsabilidade. E deixar que brasileiros morram por opção política é sim suficiente para isso”, escreveu.

Na opinião, Carlos Fernando dos Santos Lima disse que sequer estava “falando da corrupção evidente nos gabinetes de seus filhos, nem sua união com a escória política do Congresso Nacional, nem de suas escolhas de pessoas subalternas aos interesses dos políticos”.

Defendendo que “mesmo os ladrões costumeiros do nosso dinheiro, mesmo os conformados que tratam tudo como se fosse apenas uma guerra de versões, precisam reagir”, o ex-procurador da Lava Jato criticou a estratégia “conhecida”, com a postura de “confronto e declarações polêmicas” do mandatário com o único objetivo de “criar uma cortina de fumaça sobre a ausência de qualquer plano de governo e sobre os escândalos envolvendo sua família e correligionários, bem como em agradar seus seguidores fanáticos”.

Expondo que “não se trata mais de esquerda versus direita, mas sim de salvar pessoas”, defendeu que “é mais que hora de dizermos não a essa ideologização da saúde pública”.

Leia também:  Xadrez dos arquivos da Lava Jato e a segunda morte do mito Moro

“Vacinas não têm ideologia, não têm partido político ou pertencem a alguém. Seja qual for sua origem, desde que aprovada segundo critérios científicos e os procedimentos adequados, ela deve ser aplicada. Precisamos de mais de 400 milhões de doses. O mundo lutará por poucos milhões quando serão necessárias bilhões de doses. Não se pode desprezar qualquer vacina com eficácia e segurança comprovada. Pouco importará para quem for salvo qual foi sua origem.”

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

4 comentários

  1. Quanta hipocrisia e desfaçatez do ex-procurador!!! Ele, juntamente com Dalagnol, “Robito” e tantos outros “doutos” colegas foram responsáveis pela persecução implacável contra o Presidente Lula, com a sua posterior condenação e prisão em um processo eivado de ilegalidades, comandado pelo ex-juiz Moro, que foi posteriormente presenteado com o cargo de ministro da Justiça de Bolsonaro.
    Agora, “Fora Bolsonaro”, procurador??? Tenha a santa paciência e poupe a inteligência dos brasileiros!!!

    12
  2. Como é possível, um desqualificado que sempre “joga com as palavras” ao seu interesse próprio, será que ele não se deu ao trabalho de ler no intercept de GGreenwald o conteúdo daqueles diálogos bastante construtivos a respeito do destino de muita gente, todo o tipo de gente ? Afinal alguns, como AEsteves e Pezão, ficaram detidos por meses e, num dia qualquer, as portas da prisão se abriram e os dois foram prá casa, e outros, como JSerra, Aécio, Alckmin e outros tucanos sequer foram molestados, apesar do manancial de provas e processos judiciais existentes. E o procurador CFSantos Lima não sabia de nada, deve ser.
    Será que ninguém tinha conhecimento sobre o que aquela tchurma estava fazendo, será que CFSantos Lima e seus parceiros de luta acharam normal o GRANDE Dallagnol pegar um avião para jantar na casa do ministro LRBarroso do STF, no RJ ?
    Somente agora, depois de participar ativamente daquela operação que teve forte viés da CIA, isto é, governo americano, o procurador CFSantos Lima recobrou a consciência ? Quem sabe, ainda está embalado pelo mantra dos tais 6 bi de prejuízo sofrido pela Petrobras, cifra lançada no balanço da empresa amedrontada, mas algo que nunca conseguiram demonstrar de fato. E quanto ao ostensivo e asqueroso comércio das delações, deveria ser corretíssimo, pois jamais se viu um dos briosos membros da Lavajato questionar aquela patifaria. Foi por esta molecagem que Tacla Duran tornou-se uma dor de cabeça pra todos, o capitão moro o chama de foragido mas se recusa a uma acareação. E dizem que esta foi a operação que salvou o brasilsil, socorro.

  3. Mais um hipócrita de plantão entre os idiotas que construíram a Lava Jato por interesses próprios e projetos pessoais de projeção e poder. Mas nenhum deles passaria da esquina mais próxima da sede do MPF de Curitiba sem a mídia e a leniência coorporativa do judiciário. A exemplo da Argentina, precisamos enfrentar o desafio das reformas do MPF e do judiciário brasileiros, instituições completamente opacas, guiadas por um corporativismo selvagem e sem compromisso nenhum com a construção de um País mais justo!!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome