Felipe Santa Cruz responde a Moro: mantenho, no mérito, minha crítica

Ministro da Justiça não pode determinar destruição de provas e deveria, para o bom andamento das investigações, se afastar do cargo, como recomendou o Conselho Federal da OAB.

Jornal GGN – O presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, respondeu ao ministro Sergio Moro após críticas terem sido objeto de pedido de ação do ministro à Procuradoria-Geral da República. Santa Cruz afirma que sua crítica não teve o intuito de ofender a honra de Moro, e foi feita jurídica e institucional por meio de analogia, sem imputação de crime.

No entanto, mantém, no mérito, a crítica de que o ministro não pode determinar destruição de provas, que aqui se referia ao material apreendido pela PF com o hacker de Araraquara, e que, para o bom andamento das investigações, deveria se afastar do cargo.

Leia a nota a seguir.

“Minha afirmação não teve, em qualquer momento, a motivação de ofender a honra do ministro Sérgio Moro. Ao contrário, a crítica feita foi jurídica e institucional, por meio de uma analogia e não imputando qualquer crime ao ministro.

Essa semana, no programa Roda Viva, da TV Cultura, reconheci que a analogia utilizada estava acima do tom que costumo usar, mesmo considerando os sistemáticos atentados contra preceitos do Estado democrático de direito que deram base à declaração.

De todo modo, como disse na entrevista, mantenho, no mérito, minha crítica de que o ministro da Justiça não pode determinar destruição de provas e que deveria, para o bom andamento das investigações, se afastar do cargo, como recomendou o Conselho Federal da OAB.

Por fim, como já enunciei diversas vezes, entendo ser necessário o retorno à normalidade do debate democrático e sugiro ao governo – de forma geral – evitar o clima belicoso, restabelecendo a harmonia institucional no país.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Empresa americana anuncia "resultados positivos" em vacina contra coronavírus

5 comentários

  1. Não se deve ceder a pressões, ameaças e práticas vingativas como as que de costume foram e são levadas a termo pelo governo e pela ORCRIM caracterizada pelo Ministro Gilmar Mendes! Concordo com as palavras do respeitãvel presidente da OAB e suas democraticas explicações! Este governo e maioria de seus ministros , especialmente o Ministro Moro, não aceitam o debate e o convívio democrático! Querem subjugar os de pensamento oposto e bater e humilhar os cidadãos que não lhes são iguais.Não aprenderam, nasceram assim! Não aceitam o outro! Isso lhes é natural, apesar de lhes causar sofrimento! É preciso combater, mas ter piedade e compaixão da ignorância alheia.

    • Sim, mas Moro nao eh o rapazote que manda os amigos dispensarem os baseados janela afora por causa de batida policial! Ele mandou A POLICIA FEDERAL se livrar de provas em um inquerito em andamento.

      (Por sinal, a “investigacao” sobre 39 quilos de cocaina em um aviao da FAB nao deu em nadinha nem vai dar.)

  2. “Ao contrário, a crítica feita foi jurídica e institucional, por meio de uma analogia e não imputando qualquer crime ao ministro”:

    Alguem sabe onde o texto esta?!?!

    O que ha de errado em dizer “ao tentar destruir provas que o envolviam diretamente Moro agiu como chefe de quadrilha”?

    Eh critica tecnica “juridica e institucionalmente”. Nao eh passivel de processo -so faltava!

  3. Mas, sr ministro da justiça, e quanto ao ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes que afirmou: “Sergio Moro em conluio com os procuradores de Curitiba praticamente construíram uma “verdadeira organização criminosa”.
    Vai processar também dr. Moro?

    • Kkkkkkkkkkkkkkkkkk…

      “Potencia institucional” atacando “broxa institucional” eh caso pra Freud explicar… ainda mais com rumores de troca-troca do presidente!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome