Intelectuais criticam forma como crise da Petrobras foi enfrentada pelo Planalto

Jornal GGN – O lançamento do livro “Cartas a Lula – o jornal particular do presidente e sua influência no governo do Brasil”, do jornalista e professor aposentado da USP Bernardo Kucinski foi a base para um debate ocorrido na Livraria Cultura. Junto de Kucinski estavam Franklin Martins e André Singer, que criticaram a demora de Dilma Rousseff em trocar o comando da Petrobras e as deficiências de comunicação do atual governo. Os três debatedores falam de cátedra, já que participaram do governo do ex-presidente Lula. Leia a matéria de Cristiane Agostine, no Valor.

do Valor

‘Lulistas’ criticam gestão da crise na Petrobras e políticas de Dilma

Por Cristiane Agostine

SÃO PAULO  –  Em meio às denúncias de corrupção envolvendo a Petrobras, integrantes do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticaram publicamente a demora da presidente Dilma Rousseff em trocar o comando da estatal, feita somente na quarta-feira com a renúncia da presidente, Graça Foster, e de cinco diretores da companhia. Para lulistas, Dilma deveria ter atuado de forma exemplar diante da gravidade do escândalo.

Integrantes do governo Lula atacaram também a atual política econômica e reclamaram do fato de Dilma ter adotado medidas que havia criticado durante a campanha eleitoral de 2014. O tom crítico de lulistas à gestão Dilma marcou o debate sobre o livro “Cartas a Lula – o jornal particular do presidente e sua influência no governo do Brasil”, do jornalista e professor aposentado da USP Bernardo Kucinski.

Reunidos na noite de quarta-feira (4) no auditório da Livraria Cultura, na capital paulista, Kucinski, ex-assessor da Secretaria de Comunicação Social (Secom), o jornalista Franklin Martins, ex-ministro-chefe da Secom e o cientista político e professor da USP André Singer, ex-porta-voz de Lula, listaram uma série de reclamações ao comparar as ações do governo Lula, do qual participaram, com as medidas tomadas por Dilma.

“A presidente deveria ter demitido todo o comando da Petrobras e ter feito o exame completo do que aconteceu”, disse Kucinski.

Leia também:  Possível candidatura de Lula não interfere no julgamento de Moro, avalia Gleisi Hoffmann

Na mesma linha, André Singer afirmou que a presidente já deveria ter alterado a direção da estatal. “Demorou porque é um escândalo excepcionalmente grande, de dimensões maiores do que aqueles que temos assistido no Brasil. Mesmo que seja como uma medida simbólica, uma vez que tenho a impressão de que a presidente Graça Foster é uma pessoa absolutamente honesta e não tem nenhum comprometimento com esses desvios, acredito que essa mudança deveria ter sido feita antes, mesmo como medida simbólica, no sentido de dar conta da gravidade da situação”, declarou Singer ao Valor PRO (serviço de notícias em tempo real do Valor), após o debate.

O ex-ministro Franklin Martins reforçou: “Demorou e evidentemente isso tem um preço”, disse. “É difícil a demissão de uma pessoa próxima, ainda mais de pessoa íntegra, correta. Mas muitas vezes na política você é obrigado a demitir amigos e pessoas corretas”, afirmou. “Mas agora [ela] tomou a decisão. O importante é que tomou”, disse Franklin, evitando polêmicas com Dilma.

Política econômica

Durante o debate os ex-integrantes do governo Lula deixaram claro a insatisfação com a gestão Dilma e apontaram os erros na articulação política e na condução da política econômica, comandada pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Dilma ganhou a eleição de 2014 ao condenar medidas na área econômica que agora está tomando, reclamaram os lulistas.

“O ex-presidente Lula, na Carta ao Povo Brasileiro, deixou explícito um certo compromisso com medidas econômicas que ele viria a tomar. A presidente Dilma optou por um caminho que ela havia explicitamente condenado na campanha”, disse o ex-porta-voz de Lula. “Essa incongruência representa um problema tanto para o desdobramento do atual governo tanto para a consolidação de uma cultura política mais consistente e mais organizada dentro da democracia brasileira”, completou Singer. “Dilma deveria ter feito outro tipo de campanha ou deveria explicar de maneira transparente o motivo de tomar determinadas decisões que a campanha dela não permitia esperar.”

Mediador do debate, o historiador Gilberto Maringoni (PSOL) citou uma frase dita pelo ex-presidente Fernando Collor de Mello quando assumiu o comando do país. “Collor disse que deixaria a direita indignada e a esquerda perplexa. Dilma está deixando a direita perplexa e a esquerda indignada”, afirmou. Candidato derrotado ao governo paulista em 2014, Maringoni disse ter defendido o apoio do PSOL à presidente Dilma na eleição passada e afirmou que não há justificativa para as mudanças na área econômica adotadas pela presidente em seu segundo mandato.

Leia também:  Lava Jato usa conta imaginária e sentença de Moro para denunciar Lula pela 4ª vez em Curitiba

“Quando Lula assumiu em 2002 tinha herdado uma herança maldita e ele avisou antes, com a Carta ao Povo Brasileiro, o que faria. Já a Dilma prometeu desenvolvimento e continuidade das conquistas e está fazendo o que havia criticado na campanha de Marina Silva [PSB]. No que a vitória se transformou?”, disse Maringoni.

“Dilma começou mal ao levantar uma bandeira e depois pegar a bandeira do adversário”, reclamou Kucinski, também com críticas à política econômica. “Isso chocou muita gente.”

Franklin disse que “queria estar mais satisfeito” com a sucessora de Lula. “Não estou nem um pouco satisfeito, mas não é porque Dilma mudou de lado. Não acho que ela mudou de lado. Ela pode estar batendo cabeça. Se comunica muito mal. E qual é a prioridade?”, disse Franklin. “Para onde vamos?”, questionou. O ex-ministro afirmou que muitos eleitores de Dilma estão “perplexos” e disse que a presidente precisa “conversar mais, ouvir e não só falar”. “Espero que venha a fazer”, disse.

O ex-porta-voz de Lula criticou as concessões “de um governo popular a um programa neoliberal” feitas pela presidente Dilma e colocou em xeque o “lulismo”. “É muito preocupante esse conjunto de concessões feitas depois de 10 anos do lulismo. A expectativa era de que o lulismo produzisse uma mudança na correlação de forças políticas, que tornassem desnecessárias essas concessões. Qual é o sentido do lulismo? O que estamos construindo?”, questionou Singer.

Ao falar sobre a recente derrota do governo federal na disputa pela presidência da Câmara dos Deputados, com a eleição de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o cientista político evitou falar em uma crise de governabilidade nos próximos meses.

“Não quero dar à eleição do presidente da Câmara uma importância maior do que ele tem. Sem dúvida é um acontecimento significativo, no começo do governo, que coloca em pauta o caráter fragmentado do PMDB, com uma parte da bancada menos leal ao governo, e uma liderança muito agressiva [Eduardo Cunha] que já demonstrou decisão suficiente para afrontar diretamente o governo”, analisou Singer. “Não há uma crise de governabilidade, mas é uma situação que tem de ser administrada pelo governo.”

Leia também:  Onças com patas queimadas e animais carbonizados "são a imagem do Brasil sob Bolsonaro"

(Cristiane Agostine | Valor)

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

25 comentários

  1. Nada como a internet e uma pesquisa rápida

    Vice-líder do governo diz que Lula demora troca de ministros

    gazetaweb.globo.com/gazetadealagoas/acervo.php?c=47553

     21 de jan de 2004 – Vice-líder do governo diz que Lula demora troca de ministros … ontem, que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva está demorando demais …

    Lula faz oferta ao PMDB em troca de apoio no Congresso …

    correiodobrasil.com.br/noticias/politica/lula-faz…ao…troca…/8793/

    15 de mar de 2003 – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva dará na próxima quarta-feira um … A oferta oficial, negociada exaustivamente pelo ministro-chefe da Casa Civil … demora na composição do acordo deve-se ao fato de o presidente Lula …

  2. A Presidenta não tem um

    A Presidenta não tem um contato constante com Lula? Das duas uma, ou a Presidenta é muito teimosa e turrona e não aceita os conselhos do ex-presidente ou Lula tá deixando a coisa correr frouxa pra ver no que vai dar!! Jogada de risco de ambas as partes!

  3. “E qual é a prioridade?”

    “E qual é a prioridade?”

    A  prioridade é o emprego e o salário, ora, ora. Foi essa a principal, principal “promessa” de campanha.

    Equiparar esse governo a uma oposição que afirmou com todas as letras que “os salários subiram demais” e que não sabia o “iria sobrar” dos bancos públicos é demais. Sem falar de petrobras, modelo de partilha e direitos sociais, “entulho da era Vargas”…

    É um erro de avaliação tremendo fazer essa comparação. Parece mais que estão mais uma vez posando de “sensatos” diante do discurso dominante da imprensa e da oposição. Nenhum desses três merece algum elogio pela atuação na comunicação. O melhorzinho foi o Singer que de alguma maneira conseguia transmitir com clareza a visão do governo e sabia qual a “interpretação” que a imprensa ia fazer. Mas mesmo assim foi muito pouco. O extremo da desorientação desse governo é resultante do acúmulo de todos os “erros” repetidos desde o primeiro dia do PT no governo em matéria de comunicação.

    A diferença atual é mais determinada pela propria oposição. Porque a atitude do governo é quase a mesma. A oposição demorou mas foi aprender somente na primeira eleição do “poste” Dilma que emprego e salário baixo favorecem a mudança e emprego e salário em alta favorecem a continuidade. Daí que o noticiário negativo passou a ser regra.

    Enquanto isso o governo passou a acreditar que bastavam as “condições materiais de existência” melhorarem para que a consciência fosse  junto… Quase perderam as eleições. Mesmo assim não aprenderam. Acham ainda que “quando necessário” é só fazer um pronunciamentozinho ou um uma notinha pras coisas se ajeitarem…

    É impressionante. Nunca antes na história do ocidente uma economia com emprego recorde e salários em alta e inflação “dentro do combinado” foi taxada de estar um caos. O empresariado paralisou as atividades. Fazer o quê, então? Aumentar mais ainda o déficit? Fazer mais renuncia fiscal? Ou confiscar bens dos ricaços? Ou fazer uma “reforma tributária” que ninguém quer, ninguém quer fazer? É isso que é uma “política de esquerda”?

    • Concordo plenamente e

      Concordo plenamente e acrescento que poucos estão preocupados com mobilização popular para garantir estas reformas progressitas que alardeia que a presidenta Dilma não fez. É preciso nos prepararmos para o embate com a direita deste país. O que a grande maioria da população brasileira conquistou nestes últimos 12 anos não foi pouco.

      Assim como vem sendo demonstrado  nos países europeus em crise,aquilo que foi conquistado em anos de muita luta  pode-se perder em curto espaço de tempo,ou seja,sobe-se de escada e desce-se de elevador. 

    • Meu querido

      Você parte de uma mentira, largada na rede pelos blogs petistas, e desenvolve um raciocínio torto em cima dela.

      Quem disse com todas as letras que os salários estavam aumentado demais ( “demais” é relativo, quem ganha demais ganha demais em relação a algo, certo ? )  em relação ao aumento da produtividade foi o COPOM, do Governo Federal em suas ATAS DE REUNIÃO, e usou esta constatação para justificar a elevação das taxas de juros visando desaquecer a economia pois, nas palavras do próprio COPOM, aumento de salário sem efetivo aumento de produtividade, é fator de geração de pressão inflacionária. E é mesmo.

      Tome-se por exemplo uma indústria que produza x produtos com uma folha de pagamento x. Se a folha de pagamento dela aumentar para x+1 e sua produção continuar sendo de x produtos, de algum lado tem que sair essa diferença.

      Ou você combina com o(s) dono(s) da indústria que a  lucratividade dela será menor ( coisa que o PT não fez ), ou o(s) governos diminuem a cobrança de impostos ( isso o governo até fez , diminuindo contribuição previdênciárias, mas é um artifício limitado e que põe em risco a saúde da prevdência ) ou você transfere esse aumento de salário para o preço final do produto, gerando inflação.

      Não há mágica em economia.

      Daí você que acredita em vídeos mentirosos editados por petistas para desvirtuar o que o Armínio Fraga disse, quando ele apenas comentava algo que o próprio COPOM havia escrito em ata, e sai escrevendo besteiras por aí.

      Segue o trecho da Ata do COPOM. Aliás, este ítem está em todas as ATAS de 2014 :

      26. No mercado de fatores, o Copom destaca a estreita margem de ociosidade no mercado de trabalho e pondera que, em tais circunstâncias, um risco significativo reside na possibilidade de concessão de aumentos de salários incompatíveis com o crescimento da produtividade e suas repercussões negativas sobre a inflação. Não obstante a concessão este ano de reajuste para o salário mínimo não tão expressivo quanto em anos anteriores, bem como a ocorrência nos últimos trimestres de variações reais de salários mais condizentes com as estimativas de ganhos de produtividade do trabalho, o Comitê avalia que a dinâmica salarial permanece originando pressões inflacionárias de custos.

      • engano seu. aumento de

        engano seu. aumento de salario automaticamente   tem  aumento de produtividade, Nao se tem  uma economia boa  se  nao tem  póder  de compra. Nao  acredito que  um economista   defenda  o aumento de produtividade  sem aumento de salario. Voce  so tem 2  alternativas.  ou voce  aumenta oo salario  e logicamente a produtividade  tambem vai aumentar  porque o povo tem nas maos  o poder  de compra. OU  voce  nao aumenta nada  deixando os  preços  no mesmo patamar. o que é a mesma coisa  de  aumentar.  Apenas  que um  agravante nisso tudo  é que   enquanto o salario minimo teve  aumento  de  8%  so  um aumento  por exemplo  da luz  ou de um restaurante  ja engoliu  esse  aumento. Agora imagine  voce   uma  industria  como a  NESTLE,  que  tem mais de  100 produrtos  e em cadas um  deles  ela  aumenta  20  30%  .  O  certo seria  que  aempresa   ao aumentar  seus produtos  fosse  em bloco,  8%  no geral,  ou  seja  ela  pegava  8%   e  dividia pela  quantidade de produtos que  ela  tem. ai voce  veria que  o aumento que ela  tem  sobre  os produtos  seria  em torno de  0,10% por  ezemplo  e nao  20%  em cada produto. 

        %  

      • Veio com com essa de “meu

        Veio com com essa de “meu querido” e até achei que fosse falar algo acrescentador ou pelo menos agradável. Logo logo vi que era mais uma asneira de teleguiado.

        Quem disse com todas as letras que os “salários subiram demais” foi o Armínio Fraga e pronto. Não foi nada de “blogs petistas”. Ele falou, está falado e gravado. Se a matrix censurou e isso não foi computado na sua programação mental o problema é seu. Não estou aqui pra dar luz a cego.

        O insuspeito José Serra mesmo falou – lá na outra derrota – na cara, na cara da miriam leitão que “banco central não é santa sé”. E isso não foi em “blog petista”, não: foi em plena rádio cbn, da rede golpe.

        Portanto, esse seu recorte e cola de ata de copom é simplesmente inútil. Eles podem falar o que quiserem  “pro mercado não ficar nervoso”. O que importa mesmo são decisões de governo. Pode chamar isso de petismo, bolivarianismo, populismo, intervencionismo, desenvolvimentismo que não faz diferença nenhuma, só fica mais engraçado

        O fato inegável é que esse governo atual promoveu sim aumentos consistentes do salário acima da inflação, inclusive criando as condições para o recorde de emprego, o que  fortalece o poder de barganha dos sindicatos. Tudo com a inflaçao “dentro do combinado”. Totalmente, totalmente ao contrário do que essa oposição fez e faria de novo.

        Por isso o governo foi reeleito e a oposição perdeu pela quarta vez. O nome disso é democracia.

        Entendeu, “meu querido”?

        Se na ideologia furada de vocês o “racional” é o trabalhador sempre se ferrar, que percam muitas e muitas eleições mais. E entubem o golpismo.

  4. Ha dias, venho comentando no

    Ha dias, venho comentando no blog que, depois de tantos erros anteriores, o governo tem poucas saidas para resolver a explosiva encrenca instalada.

    Uma delas seria um lance politico absolutamente insperado com a escolha de um militar nacionalista,competente, de carater inabalavel, para presidir a Petrobras.

    Sinalizaria para todos os inimigos da estatal, nacionais e estrangeiros, que a empresa é vista pelo pais como elemento estrategico fundamental.

    Uma coisa é a oposição transformar a Graça Foster numa Geni, outra é tentar fazer o mesmo com um general respeitado.

    No meu comentario de ontem, dizia que caso  Juscelino ou Getulio se encontrassem em tal situação, provavelmente, tomariam tal medida.

    Terminava meu texto afirmando que, caso a Presidente coloque alguem do “mercado” na direção da estatal, ela caira do poder em pouco tempo,pois a esquerda a abandonara, ficando politicamente isolada.

    Escrevi tais palavras a noite, pela manhã leio esse post.

    Isto é, a esquerda ja começa a debandar.

    Não sei se os “intelectuais” citados estão totalmente certos ao aconselharem  a presidente a “falar a nação”.

    Quando o fez ,no inicio do golpe com a historia da refinaria nos EUA, disse exatamente o que não devia.

    Ficou pior de que se se mantivesse calada.

    A situação esta complicada.

    Palavras ja não mais resolveriam a crise.

    Apenas ações, inesperadas e firmes.

  5. intelectuais também demoram / As rádios populares no país

    intelectuais também demoram a se pronunciar sobre a histórica falha de comunicações. Será que tenho que repetir que é incrível como o PT até hoje não tem um jornal de massa, distribuído nacionalmente, a preço acessível? (Sim, já tem jornal comercial distribuindo-se pelas ruas em capitais do país). O Rádio: Estão dormindo de touca por ou não possuírem uma rádio (acho que é difícil, mesmo), mas vir a ter a maxima aproximação (entendem?as relações pessoais de amizade, de cortesia, o brasileiro é muito disso, não percisa de jabá, etc) aproximação constante com as rádios mais populares, seus proprietários, seus editores, seus apresentadores?

    • Continuação:

      Recife e Pernambuco,aRádio Jornal do Commercio,sistema JC,agora tb.em FM, é super-super ouvida pelo povo,pelos taxistas multiplicadoresPor preconceito meu,não ouvia e passei a escutá-la (substituiu a JCNews,do mesmo JC,com programação de menor alcance, e,antes,era a mesma frequência da CBN Recife).Tem coisa boa,entrevistas de utilidade pública,alguma música,notícias e papo de futebol,claro q preconceitos do povo tb se revelam ali.Repetir que tem um minúsculo q publica jornal em bancas no país?Repetir q o PCdoB tinha nas bancas o Tribuna Operária?Repetir q o PCB tinha a Voz da Unidade,com artigos próprios,não panfletários,o último,antes do PPS,chegou a publicar suplemento de debate púbico preparatório de Congresso.Não é só empurrãozinho de fora ou de dentro.

      • A intelectualidade na história do PCB

        por vários motivos,na história,a intelectualidade foi ou seguia o PCB(então de nome PCdoB).Creio q isto deixou herança,livros nas estantes,filhos lendo-os,textos, poemas.E ficou a fama de q a intelectualidade era do PCB e a menos iletrada.Até hoje,me parece q são remanescentes q não viviam,nem escreviam só de política estrita.O pessoal ,cada geração tá ficando bitolada com ares de mais politizada e mais conscientizada,só pensa “naquilo”.Tarso Genro, qdo era de um minúsculo e hidrófobo grupo escreveu texto num minúsculo jornal semi-clandestino (existe semi? :-)) ) em q defendia militar dia e noite,acima de tudo, nada de ir a cinema,poesia, etc.E vi ataque chilique em debate contra a mesa para a qual não havia sido convidado. Mudou.

  6. Enquanto isso, muitos de nós

    Enquanto isso, muitos de nós perplexos, o governo acuado… é quando os golpistas aproveitam. 

  7. Não quero mais saber do
    Não quero mais saber do Singer com seu lulismo. Isso não acrescenta nada. E joga pedra na Geni, estou fora também. Até a questão da comunicação, chega de falar que a presidenta nao sabe se comunicar. Ela já se deu conta da importância da comunicação. Mais vale sugestões

  8. A cortina de ferro da míRdia. Dá para abrí-la? … SIM!

    Num seminário (ruim) sobre comunicação, acabei por intervir fazendo uma apresentação de improviso sobre o tema “informação”, mostrando o caminho que ela precisava cumprir do emissor (o informante) ao receptor) o informado) e a sua qualidade no tempo e espaço.

    Ao final, um participante contrariado com a minha contribuição (o contratante da palestra sobre comunicação) levantou-se e mimimizou: “O seminário é sobre comunicação e não sobre informação!…”

    Foi-me dada a oportunidade de retrucar e marcar melhor ainda a importância do conjunto, perguntando-lhe:

    “E qual é a matéria prima da comunicação?”

    O fato é que comunicação é MEIO (media, plural de medium do latim disseminado pelo inglês) e a informação (o FIM) terá que passar pelos MEIOS, podendo ser barrada, distorcida, empobrecida, enriquecda, enruidada ou até trocada no caminho.

    O problema do governo e seus aliados não é exatamente falta de matéria prima para informar ou mesmo o disparo delas para os MEIOS. É exatamente a barragem, seleção e filtragem que acontece após sua emissão.

    Não é exatamente um grupo calado. É um grupo amordaçado. E estamos falando do NOSSO governo (situação e oposição!), portanto é vital que saibamos CORRETAMENTE o que está acontecendo. É NOSSO INTERESSE!

    Várias tentativas foram feitas na nossa História: Hora do Brasil (Radiobrás), Rádio Nacional, Última Hora (o mais bem sucedido), TV Brasil, etc.

    O fato é que qualquer meio que seja apenas “político-institucional” não terá audiência, pois embora cheio de informações relevantes, ninguém aguenta ouvir uma hora de “Hora do Brasil”. Ainda mais depois de um dia de trabalho …

    Os meios preferidos têm que ter mais “atrações” do que isso: esportes, lazer, fofocas, vida artística,filmes, novelas, séries, shows, variedades, música, etc. Não só política (e economia). E precisa ser visto pelos amigos, para que haja “assunto” quando se encontram (a Veja ainda sobrevive por isso).

    Este conjunto é necessário até para aglutinar artistas (caso da Rádio Nacional) criando uma cumplicidade extra entre publicador-emissor e audiência. Não adianta criar 534 TV´s Brasil sem ter este estofo “descompromissado” (mas aglutinador)

    Como isto custa muito caro e leva muito tempo para se consolidar (se conseguir), tenho uma sugestão mais prática a ser viabilizada no curto prazo, levando em conta que o governo (federal) gasta algo na ordem dos bilhões em propaganda:

    Fazer inserções de 1 minuto DENTRO dos principais jornais televisivos do país, pelo menos nas segundas e sextas-feiras.

    Pelo que pesquisei, o goveno gastaria menos de 200 milhões/ano, comparados a mais de 1,2 bilhões hoje, só em TV. Pode ser menos, se reduzir tempos e qtde. de exposições, quando não necessário.

    Se fizer uma inserção diária em todos os jornais abertos, este custo subiria para 500 milhões. Notar que este é o horário mais nobre (e caro) da TV.

    Como vivemos capitalismo, não há porque a emissora negar uma inserção paga a preço de mercado, como qualquer Bom Bril, Volkswagem, Brastemp, Brahma (ou Sabesp, hehe).

    Óbvio que pode haver negociações e até jogos de poder na viabilização.

    Certo que, por ser um tempo muito curto (mas que pode variar eventualmente para mais), teria que ser muito bem usado, exigindo um (peqeuno) grupo de profissionais e políticos competentes e antenados para editá-los e publicá-los.

    Este minutinho, no mínimo pode gerar visibilidade e discussões que pelo menos deixarão as posições de governo na PAUTA, na agenda de todos! (o que hoje está abafado, a agenda é quase só de oposição).

    O fato é que o governo DO BRASIL teria um MEIO não filtrado, não deturpado, não bloqueado, de informação a todo o povo brasileiro em todos os rincões já atingidos. Usando a própria mídia de (apenas) oposição para tal.

    Nestes tempos “bicudos”, dá para implementar “ontem”.

    E não acho que dada a importância do tema, isto seria caro. Nem poderão dizer que não é “capitalismo de mercado”!

    Ouatinge a “liberdade de (expressão e) imprensa”

    Vamos discutir e evoluir a proposta?

  9. Engano meu ?

    Ou os caras estão confessando que foram vítimas de estelionato eleitoral ?

    Isso não fica bem para quem quer ser tratado como ” intelectual”. 

    O Singer e o Franklin, coitados, estão tentando “salvar” aquilo que só existiu na cabeça deles e dos que acreditaram na sua propaganda doutrinária, o tal de “lulismo”. 

  10. Ainda acreditam nisso?

    Herança maldita em 2003? Ela ocorreu foi em 2010!!

    O que querem esses petistas? Manter a política econômica errada até bater com a cara na parede?

  11. Nao concordo com esse ponto

    Nao concordo com esse ponto de vista.  e vejam porque:  Desde  o inicio do governo de Lula   a oposiçao e a midia  canalhas  jogavam  um escandal  mentiroso contra um ministro  como foi o caso do Ministro ORLANDO  E  DE  GUSHIKEN, e  logo o governo  demitia  o ministro. Orlando por  exemplo sabendo da sua  inocencias  nao podia  admitir  que  o governo  o demitisse  pois  estaria  assinando a sua  culpa.  ele  saiu  contrariado com o governo,e  como eles  foram outros  que  saíram  porque nao f aziam o jogo da oposiçao. a oposiçao  tentava  subornar  funcionarios   e  se ele nao  entrasse no jogo deles  logo o cara  era  denunciado  numa  mentirosa  armaçao.  Ora  é claro que  a  Presidente  nao deveria  ter  dispensado  Graça  Foster  e uma  diretoria  que  ate o momento nao se tem  nada contra ela. Quem  vem será que  vai ter  reputaçao  ilibada. será que   politicos  ou péssoas  de confiança do PMDB  terao  o  mesmo posicionamento  e conduta   que  os  diretores  demitidos tem?  Pode  ser  que  atraves  das novas demissoes  venham gente  com  reputaçao  duvidosa,com  rabo  preso  telhado de cristal  e o que  voces  acham  que  eles  vao fazer na Petrobras? Nem precisa  ser  cartomante para advinhar. pois  novos   rombos   poderao ser  feito  na petrobras  e  recair  sobre o governo. Ha  inumeros póliticos  do PMDB  que  nao  merecem o  minimo  de confiança. A Soluçao  a meu ver  é a Presidente  depois de  uma  faxina  completa   colocar   FUNCIONARIOS  DE CARREIRA.

    Ninguem  vai querer  assumir  cargos  na Petrobras serm que   nao  lhe  dê  apoio  confiança e respeito, acima  de tudo respaldo  para  que nao caia  sobre  ele  denuncias infundadas  e  que depois ele seja  demitido por uma coisa que  nao fez. 

     

    • Não à apologia a funcionários de carreira.

      ou é inocência, ou é cair no corporativismo, ou é achar que funcionários de carreira são de uma pureza de fazer chorar. Sindicatos são por funcionários de carreira, e há mais de um com irregularidaes em suas contas . E ponto final. Não tenho saco pra essas besteiras (pra outras, até que tenho).

      • Gushiken do BB foi caluniado por outro do BB

        que depois desmentiu, disse que foi um mal entendido. Ja faz tempo citei nome, carreira fulminante, um santo homem, cidadão acima de qualquer suspeita, charmosíssimo, inteligentíssimo, encantador (traços de psicopata, mas acho que não é) conseguia habilmente circular em tudo o que é corrente interna e político-sindical, mas uns gatos pingados detectaram e se calaram,porque, afinal, contribuía pra causa (confidenciou-me um do BB que tb tinha sido seminarista e os amigos e admiradores que sabia fazer com extrema facilidade não acreditariam). Cadê, onde estava o PT-DN e seu sistema de informação-segurança????? Não é só o sistema de propaganda que é péssimo, o de segurança-inteligência-informação consegue ser ainda pior.

  12. sex, 06/02/2015 –

    engano seu. aumento de salario automaticamente   tem  aumento de produtividade, Nao se tem  uma economia boa  se  nao tem  póder  de compra. Nao  acredito que  um economista   defenda  o aumento de produtividade  sem aumento de salario. Voce  so tem 2  alternativas.  ou voce  aumenta oo salario  e logicamente a produtividade  tambem vai aumentar  porque o povo tem nas maos  o poder  de compra. OU  voce  nao aumenta nada  deixando os  preços  no mesmo patamar. o que é a mesma coisa  de  aumentar.  Apenas  que um  agravante nisso tudo  é que   enquanto o salario minimo teve  aumento  de  8%  so  um

     

  13. “A expectativa era de que o

    “A expectativa era de que o lulismo produzisse uma mudança na correlação de forças políticas, que tornassem desnecessárias essas concessões. Qual é o sentido do lulismo? O que estamos construindo?”, questionou Singer.

    Será que a correlação de forças mudou ainda mais desfavoravelmente para as esquerdas? É o que parece com a Câmara dos Deputados mais conservadora desde 1964 … amplas parcelas da sociedade indignadas e um congresso reacionário … crise de representatividade … deseducação política … Judiciário conivente com a direita … esquerda incapaz de criar alternativas para aprofundar as transformações …

  14. as mesmas críticas sofridas

    as mesmas críticas sofridas por lula no início do primeiro mandato…

    gostei mais do pronunicamento do franklin…..

  15. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome