Para José Padilha, quem critica O Mecanismo (como Dilma) não sabe ler

 
Jornal GGN – O diretor de O Mecanismo, José Padilha, reagiu em entrevista à Folha de S. Paulo às críticas que recebeu por causa da nova série da Netflix. Pela lógica usada pelo cineasta, quem critica a obra – como a ex-presidente Dilma Rousseff, que até emitiu nota contra o “assassinato de reputações” – não sabe ler.
 
Segundo Padilha, “na abertura de cada capítulo”, está escrito que os fatos estão “dramatizados”. “Se a Dilma soubesse ler, não estaríamos com esse problema [de crítica]”, reagiu. 
 
A série estreou no último dia 23 e, desde então, nas redes sociais, vem recebendo avaliações negativas pois misturou deliberadamente fatos reais com invenções dos produtores.
 
Um dos pontos mais escandalosos é a atribuição da frase “estancar a sangria”, dita por Romero Jucá, ao personagem que interpreta o ex-presidente Lula.
 
Padilha defendeu-se dessa crítica afirmando que “Jucá não é dono dessa expressão”, e que, portanto, roteiristas estão “livres” para usá-la.
 
Na nota, Dilma também denunciou outros erros de roteiro, como a afirmação de que o Banestado é um caso de 2003, e não de 1996. A petista também disparou contra a invenção de uma relação direta entre sua campanha e o doleiro Alberto Youssef, além de uma amizade que nunca existiu com Paulo Roberto Costa.
 
A desculpa de Padilha para essas críticas é que O Mecanismo é uma “obra-comentário”.
 
Procurada, a Netflix ainda não se manifestou sobre a polêmica.

33 comentários

    • Contra o golpe, só um contra golpe maior e mais forte
      A netflix perdeu a chance de contar o lado de Lula. Como preferiu mentir, que arque com o prejuizo das assinaturas canceladas. Eu ja cancelei a minha, e você?

  1. Mais uma desculpa…
    Agora para ofender ou caluniar basta avisar que tudo que será feito ou escrito será uma dramatização.

  2. Ele faz parte do “mecanismo” de corrupção que tanto critica

    Padilha só está trabalhando nesse momento graças ao “Mecanismo” de corrupção que tanto critica.

    Na visão dele, o golpe aconteceu devido à guerra de uma quadrilha contra a outra… porém pelo jeito ele nunca vai abordar o fato de uma das quadrilhas ter como aliado os meios de comunicação e os empresários. Dessa aliança surgem projetos como esse que Padilha está fazendo.

    Logo, sua série serviu aos propósitos de uma das quadrilhas ao distorcer os fatos. 

    Na entrevista para o Uol ele praticamente assumiu o partidarismo e a agressividade. Todas as respostas desesperadamente tentando parecer inteligente e ácido soaram forçadas, pretenciosas e defensivas. 

    Ficou meio ridículo!

     

     

  3. Esse “cineasta” precisa

    Esse “cineasta” precisa entender que em qualquer produção audiovisual a leitura não é feita nas legendas de abertura e sim na dramatização e narração dos fatos.

  4. O cinema,e agora as séries

    O cinema,e agora as séries holliwoodianas ,com raríssimas exceções,sempre foram bancados para defender a posição da elite dominante.. 

    Assim,quase sempre,os soldados americanos são retratados como mensageiros da paz e da democracia (sempre enaltecida como o mundo livre) e o resto,seja em que país for,como anti-democráticos e sangunários,como se as vitória americanas tivessem sido obtidas à base de água benta.

    Quando entra um ruso na história,então,aí não tem escapatória: O russo é culpado.Antes porque era da KGB,hoje,porque é da máfia russo,

    Nesta séria,que bem poderia chamar-se “O Golpe”,nada difere do conteúdo de todas as demais:Identificar o mal com o seu inimigo,aquele que se insurge,ainda que levemente,contra o grande capital.

  5. Um MECANISMO

    A engrenagem de moer e processar Lulas, um povo e um imenso, belo é riquíssimo País.

    Um produto a ser consumido pelas massas.

    ps: Na Rússia tinha ou tem uma famiglia marinho e algo como a rede esgoto?

    Se sim, o Putin é muito mais que um herói libertador. Cumprimentos ao Putin e ao povo russo.

  6. Quem está pagando?

    Este seriado de pós-verdades está sendo promovido com caminhões de $$$. Montaram até um quiosque no aeroporto de Brasília. Guerra híbrida em andamento!
    A pergunta que não quer calar é: quem está pagando por isso?

     

  7. Segundo Padilha, “na abertura

    Segundo Padilha, “na abertura de cada capítulo”, está escrito que os fatos estão “dramatizados”…

    Mas a culpa é de um presidente “dramatizado” de nordestino e barbudo, de uma “dramatizada” “presidenta” de uma época “dramatizada” que teve ínicio em 2003!!!!

    E ele se sentiu ofendido?

     

  8. Dilma esta certa em chamar atenção para as manipulações

    Se fosse honesto intelectualmente diria à claque que ele escolheu um lado e que por isso sua série é partidarizada ideologicamente. Seus herois são os reaças desde seu filme Tropa de Elite. Talvez como ele mesmo seja.

    Espero que o documentario sobre o golpe de 2016 saia logo nas salas brasileiras e pelas redes sociais. Até aqui o enredo tem sido marcado mais fortemente pelos que detêm o poder de comunicação de massa. Além desse documentario, vamos fazer filmes e séries também. Ha sempre formas de se conseguir produzir filmes contra a propaganda oficial.

    E sim Leni Riefensthal era uma esteta admiravel. A serviço do nazismo durante os jogos olimpicos de Berlim, mas com um olhar sobre a imagem fantastico.

  9. Este padilha não passa de um

    Este padilha não passa de um canalha.

    Dramatizar é uma coisa, manipular a verdade é outra. Podia dramatizar sem colocar palavras ditas por outro na boca do Lula.

    Será ele parente do padilha da quadrilha do temer?

     

  10. então,…

    alguém pode fazer uma obra “dramatizada”, onde um cineasta chamado Posé Jadilha, recebe uma grana para, contando mentiras e distorcendo os fatos, também usando um grupo forte de mídia que é interessado no processo, … criar uma obra que influencia ou tenta influenciar a opinião pública para favorecer um grupo de corruptos à serviço de uma potência estrangeira… pode colocar a foto e o nome dele, … também pode nominar a #globogolpista, … que não tem problema, …

    afinal, … é uma dramatização…

  11. dramatizar sim, caluniar não

    Em filmes e séries “baseados em fatos reais” feitos por diretores honestos, a “dramatização” é feita em partes sobre as quais não se tem muitas informações, mas que  são importantes para a narrativa.

     

    Agora, colocar palavras sabidamente ditas por um  personagem na boca de outro, não é dramatizar, é MENTIR!

     

    Simples assim.

  12. Cineasta chinfrim

    Difundir mentiras contra alguém já foi crime no Brasil, mas atualmente isto parece que não vale contra o PT. Há caminhos dentro da lei até para cineastas ordinários como esse aí, mas ele preferiu a bandidagem cinematográfica pra ganhar a vida.

  13. Comentarista…

    A desculpa de Padilha para essas críticas é que O Mecanismo é uma “obra-comentário”.

    Nisso ele tem toda razão.

    Uma obra-comentário, só que comentário de portal. Veja, Jovem Pan, ou UOL?

    **********************

    Aviso aos navegantes: a partir daqui, meu comentário é uma dramatização. Qualquer semelhança com pessoas reais, vivas ou mortas, é mera coincidência.

    **********************

    Tem um cineasta aí, um tal José Padilha, que é um patife. Um canalha a soldo da extrema-direita, sujeitinho reles sem vergonha na cara, vendido, inimigo da democracia e da verdade, possivelmente recebe dinheiro da CIA e do narcotráfico.

    **********************

    Se alguém se sentiu atingido, é por que não sabe ler.

  14. O Mecanismo

    Não sei, mas ao olhar essa figura pusilânime, parecu-me que estava vendo a cópia do Alexande Frota. Tão pulha quanto, tão canalha quanto… 

    • À primeira vista, também tive

      À primeira vista, também tive a impressão que era o pulha do (argh!) frota/fruta. Fico pasmo de ver esses imbecis como José Padilha usarem o potencial para o MAL. O destino dos amorais é o fracasso financeiro e o ostracismo! Não perco meu tempo com LIXO! 

    • É isso e mais um tanto…

      E sob patrocínio e  proteção do “Tio”, fica todo mundo valente, atrevido.

      Nem lembram que o “Tio” é chegado à ingratidão. 

      Não raro, descarta os servos.

  15. Dramatuzaçao
    Sendo dramatização, o Padilha poderia ter sido mais criativo e ousado. Poderia, por exemplo, ter inventado uma cena com Felipão e Parreira recebendo, no dia 7/7/2014, uma mala de dinheiro para armarem o time do Brasil bem aberto no jogo contra a Alemanha. E depois os dois tomando uma bronca, que também não precisava ser daquele jeito escancarado. Ou então uma reunião na Globo com o MPF em 2013, nos preparativos da série O Rebu, visando popularizar as delações premiadas, que poderiam vir a serem úteis, caso o Aécio perdesse a eleição. Em resumo, podia ter sido bem mais criativo. Se bem que o moço tem juízo, não é destas ousadias artísticas.

  16. Dando ideia de um novo projeto……

    Vai ser uma serie sobre um presidente americano…..vai passar na netflixxx la nos isteitis……..é a historia do Presidente “Carrot”…….Um cara super bacana que faliu um casino, o Taj Mahal Casino Resorts, 4 vezes……um cara que é um “successfull self made man”, mas que herdou a fortuna do papai(conheço essa parada de algun lugar…cidade de SP, talvez…um certo prefake?)….E consegui ser o rei de Atlantic City e hoje a cidade esta em estado de falencia….o mesmo que entre 80 e 90, teria fez negocios de construção civil em NY e New Jersey com diferentes capos da “cosa nostra”…..o mesmo que “inventou” uma universidade e que aplicou um “171” em 5000 estudantes….conhecido por contratar operarios estrangeiros, mandar de volta ao seu pais de origem, e não pagar os salarios nunca…..Isso seria uma serie bem bacana….e nem precisa de ficção, não……é tudo de verdade, verdadeira…… Padilha parece ser um cabra valente….fica a dica……..

  17. Netflix & Padilha

    O comentário desse cidadão sobre a opinião de Dilma mostra como se trata de um mau caráter travestido de cineasta. Lamentável.

    Quanto à Netflix, já dei tchau, me desliguei desses porta-vozes de Tio Sam. Que se danem todos.

  18. Dramatização na reputação dos outros é refresco.

    O que será que ignóbil autor diria se alguém escrevesse sobre sua mãe, “dramatizando” os fatos como ele “dramatizou”?

     

  19. acho que nunca vi tanta mula comentando

    uma coisa é fato, e esquerdista parece que se faz de sonso pra não demonstrar o que sabe, com tanta palhaçada, com tantos fatos, tanta roubalheira, tantos esquemas, os genios pensantes da nossa super esquerda brasileira estão preocupados com uma frase, e pior, feita pelo partido que até ontem era o super aliado, ainda defendem como peõs defendendo a rainha cabeçuda em um tabuleiro… é lamentável demais ver que pessoas ainda se prontificam a defender políticos canalhas que deitam e rolam… triste demais esse brasil… 

  20. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome