Se Maduro retaliar Bolsonaro, Roraima corre risco de apagão

 
 
Jornal GGN – Se Nicolás Maduro decidir retaliar Jair Bolsonaro por ter apoiado um “golpe de Estado” na Venezuela, Roraima corre o risco de sofrer um apagão energético ou um duro racionamento. Mais da metade do Estado é dependente da hidrelétrica de Guri, no norte da Venezuela.
 
O resto do Estado vive de energia produzida por termelétricas. Segundo a Folha desta sexta (25), o governo Temer licitou a construção de mais uma unidade produtora, mas ela não ficaria pronta antes de 6 meses.
 
Por conta da crise econômica na Venezuela, Roraima já vem sofrendo cortes de energia. Da parte do governo Maduro, há falta de manutenção na rede hidrelétrica que tem comprometido o serviço. Da parte do Brasil, o pagamento feito à Venezuela pela energia tem sido muito baixo, afirma a Folha.
 
Ainda de acordo com a reportagem, tirando a dependência energética de Roraima, uma retaliação de Maduro pela posição de Bolsonaro não teria outros impactos relevantes para o Brasil. Leia mais aqui.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Bolsonaro teria questionado Moro se a "PF está fora de controle"

3 comentários

  1. Maduro retaliar?
    Ele não tem

    Maduro retaliar?

    Ele não tem força nem retaliando o garçon.

    O problema dele é se refugiar rapidamente, antes que acabe como Mussolini.Ou Gaddafi.

  2. Bolsonaro já veio em Roraima
    Bolsonaro já veio em Roraima diversas vezes, nessa reportagem existem vários erros, Brasil possui o dinheiro para fazer o pagamento para a Venezuela mas por contas dos bloqueios econômicos do EUA, nenhum banco aceita fazer esse tipo de negociação, outra parte que está errada é que a Venezuela já fez o corte de energia e isso já faz alguns meses, oq ocasiona racionamento de energia durante uns 30 minutos todos os dias e o aumento da tarifa de energia, mas o pior de tudo é a crise migratória que todos os dias Venezuelanos fazem protesto contra o governo do Nicolas aqui nas nossas fronteiras.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome