Vendedor da Petrobras ganha diretoria própria, criada para acomodá-lo

Jornal GGN – Em 19 de maio, imediatamente depois de ser nomeado para a presidência da Petrobras, antes mesmo de assumir o cargo, Pedro Parente disse que não haveria mais indicações políticas na empresa estatal. Na época, o comentário foi amplamente repercutido pela mídia hegemônica.

Na última quarta-feira (29), no entanto, o Conselho de Administração da Petrobras aprovou a criação de uma diretoria nova. O diretor? Nelson Silva, ex-presidente da BG Brasil, aquela que foi comprada pela Shell depois de adquirir 30% de participação em blocos no Campo de Lula, o maior do pré-sal brasileiro.

Silva já entrou na estatal do petróleo ocupando um cargo inédito, criado apenas para acomodá-lo. Em 6 de junho foi escolhido por Parente como “consultor sênior de estratégia”.

Para a Federação Única dos Petroleiros (FUP), “não há mais dúvidas de que Pedro Parente mentiu”. As indicações políticas continuarão, o que muda são apenas os políticos e os indicados. De acordo com os trabalhadores, Silva é “apadrinhado do presidente interino”, Michel Temer.

A Federação lembrou em nota que os conselheiros da Petrobras vinham defendendo a “disciplina de capital” e impondo cortes de custos aos trabalhadores e aos projetos. “Durante meses, o Conselho de Administração discutiu a reestruturação da empresa e, em momento algum, foi sequer ventilada a ideia de uma diretoria de estratégia”.

Os trabalhadores da empresa chegaram a propor que a gerência executiva de Segurança, Meio Ambiente e Saúde, que já tinha estrutura montada, passasse a atuar como diretoria, para que houvesse autonomia na implementação de uma nova política de segurança. “Nem isso foi aprovado, sob a alegação de que iria onerar as contas da empresa”.

Leia também:  O caso TAG pode se converter em um megaescândalo, por Luis Nassif

“Agora, de uma tacada só, o Conselho de Administração aprova a criação de uma nova diretoria com o propósito mais do que evidente de empoderar o escudeiro de Pedro Parente, dando-lhe total autonomia para cumprir os compromissos que Temer assumiu com os financiadores do golpe: entregar o pré-sal às multinacionais, tirando a Petrobras da função estratégica de operadora única, e doar ao mercado os ativos da companhia”.

Para os trabalhadores, a diretoria foi criada com o objetivo de oferecer uma estrutura completa para Nelson Silva fazer o que faz melhor: vender ativos a toque de caixa. “Experiência é o que não lhe falta. Por onde passou, deixou sua marca registrada: reestruturações e privatizações. Fez isso na Vale do Rio Doce, na Comgás e na BP, onde foi um dos articuladores da fusão com a Shell, que passou a deter participações estratégicas nos principais campos do Pré-Sal, tornando-se, assim, a maior concorrente da Petrobras”.

“E, sem a menor dificuldade, o interino Pedro Parente colocou a raposa para tomar conta do galinheiro. Tudo com a conivência do Conselho de Administração e da Diretoria Executiva, que já vinham atuando a serviço do mercado”, afirmou a Federação. Se não houver reação à altura dos trabalhadores e dos setores da sociedade organizada que defendem a soberania nacional, eles vão aniquilar os maiores patrimônios desse país que são o pré-sal e a Petrobras. Essa é a luta que está posta para os petroleiros. E não é de hoje”.

Na época da indicação de Parente, os petroleiros já sabiam o destino que os aguardava. Apoiador do projeto de José Serra para alterar a lei de partilha do pré-sal, ele disse em seu discurso de posse que a legislação“retira a liberdade de escolha da empresa, de somente participar na exploração e produção dos campos que atendam o seu melhor interesse, o que é imperdoável para uma empresa listada em Bolsa”.

Leia também:  As arbitrariedades de um país canalha, por Assis Ribeiro

A indicação de Silva também tinha objetivos muito claros. “Queremos dar um ritmo mais acelerado às mudanças”, disse Parente. “Para alcançar os resultados que necessitamos nos menores prazos possíveis”.

A pressa é justificável. Afinal de contas, o governo é temporário.

Leia também:

Shell vem com tudo para cima do pré-sal

Novo consultor da Petrobras era presidente da BG Brasil quando ela foi comprada pela Shell

Os interesses estrangeiros chegaram à presidência da Petrobras

A agilidade do governo interino para entregar o pré-sal

Lula fala sobre interesses estrangeiros que ameaçam o pré-sal

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

5 comentários

  1. Cadê a FUP defendendo os

    Cadê a FUP defendendo os trabalhadores da Petrobrás, frente às perdas bilionárias da Petrus? Cadê a análise acerca de medidas que poderiam/deveriam ser tomadas visando a saúde financeira da empresa que os sustenta e que vai ser chamada a aportar bilhões naquele Fundo (em empresa, não…  na verdade, nós, todos os brasileiros)? na boa, frente ao silêncio estrepitoso da FUP, que nunca disse um “ai” acerca dos descalabros feitos pelos companheiros da Petrobrás, qualquer manifestação agora é de uma hipocrisia sem par.

    • Um dos Grandes problemas…

      Um dos Grandes problemas que vejo nos funcionarios da Petrobras, acham que serão chamados para a Festa.

      Assim como outras empresas já vendidas, sempre acham que serão beneficiados.

  2. Há um mito da ” Eficiencia

    Há um mito da ” Eficiencia sem Politica”  em empresas estatais. Puro blefe. Politica há e muita em grandes empresas privadas. Diriegentes de estatais com uniforme de EMPRESARIO eficiente significa apenas outro tipo de politica.

    Cada um desses executivos  tipo PERSONALIDADE DO ANO no setor tal, etc… tem seu grupinho fechado, quando vão para uma estatal carregam seu grupinho a tiracolo, levam as secretarias e os garçons junto.

    Mutio desses EMPRESARIOS HOMENS DO ANO são produto de projeto de marketing pessoal, curriculos e carreiras construidas com operações de carissima  “ASSESSORIAS DE IMPRENSA”  cuja meta é criar uma grife em torno do nome desse heroi da empresa privada, são executivos NÃO DONOS que se apresentam como MESTRES DA EFICIENCIA.

    Na minha longa carreira de 50 anos em empresas conheci muitos dessa fauna, sacos de vento que montam projetos de curriculo e para o publico externo são grandes lideres, quem conhece de perto sabe que são MANIPULADORES  e MISTIFICADORES. Nos EUA muitos foram desmacarados ainda em vida, como Alfred Dunlap e Jack Welch. No Brasil conheço uns dez,  de vez em vez reaparecem como salvadores de empresas e de governos mas geralmente quebram a cara, na area publica o buraco é mais embaixo, as pessoas são mais espertas e só tem raposa velha em volta, ai a enganação não cola como na area privada.

    Agora estão reaparecendo algumas dessas figuras HEROI DA EFICIENCIA, as vezes tem vento a favor e demoram a ser desmistificados, um deles agora chega ao topo da economia nacional mas quem conhece sabe que é só espuma.

     

    • há um mito…

      Caro sr. André, precisamos no minimo de gente com alguma experiência de vida para denunciar e não entrarmos neste conto do vigario. A BG comprou parte do pré-sal. Todos felizes com esta aquisiçaõ nacional. Cavalo de Tróia, barriga de aluguel. Um país inteiro comprou esta estória com tamanha inocência. Parou tudo nas mãos da Shell. As empresas do sr. Eike, a mesma coisa. Agora vamos Brasil. Muito dinheiro do BNDES para um brasileiro. “Este lunático e seus sonhos megalomaníacso não daria em nada mesmo” Só poderia dar em falência. Então vendamos tudo para os americanos, a BP e a Shell.( já é sabido há anos que aA Shell alterou toda sua rota de investimentos para o Pré-Sal). Para nós brasileiros só esta faltando as penas, todo o conjunto quadrupede já temos. É inacreditavel!!!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome