fbpx
segunda-feira, dezembro 16, 2019
  • Carregando...
    Início Crônica

    Crônica

    Noel neste dezembro, por Urariano Mota

    Noel é um compositor tão rico quanto a vida, e quanto mais a gente procura apanhá-lo, pegá-lo, nem que seja para um riscado de caricatura, mais ele nos foge, escapole, por entre os dedos.

    Opinião, por Izaías Almada

    Há exatos 65 anos, dia 11 de dezembro de 1964, estreava no Rio de Janeiro o show “Opinião”, espetáculo criado como desobediência civil e resposta cultural ao golpe de estado civil/militar

    A perda da crônica, por Eliseu Raphael Venturi

    A perda da memória e da linguagem, de tudo aquilo que poderia segurar quando tudo pareceria, indiferentemente, levar: ao apagamento, ao esfacelamento, à morte

    Folha de São Paulo, não tente me enganar. Não gosto, por Rui Daher

    Fui assinante da Folha de São Paulo por cerca de 40 anos. Cancelei a assinatura, creio, em 2007, depois de notar uma neutralidade de araque.

    Tom Jobim e a ditadura, por Urariano Mota

    Então vou ao reflexo da música de Tom Jobim no romance “A mais longa duração da juventude”. A sua música vem como um dos acontecimentos estéticos do tempo da ditadura

    Cercado de fascistas, fiquei com saudade de um pequeno rei sábio, por Sebastião Nunes

    Ah, que saudades que tenho de quando o presidente da Funarte entendia de arte, o ministro da educação sabia escrever e havia, na área da cultura, pessoas cultas ligadas à música e à literatura

    Um beatle em Água Fria, por Urariano Mota

    Na sua primeira ambição, ele se deslocava do bairro de Água Fria, pois desejava ser O rei dos Beatles do Recife, ou, quem sabe, Rei dos Beatles do Brasil.

    Com que canalhice eu vou, Noel, de puta ou santa? Por Rui Daher

    A quem vocês servem, sacripantas, a não ser aos seus próprios interesses vilões? Estou curioso, e quando assim fico chamo o serial killer Harmônica.

    A vida não permite outro rasgo a não ser pertencê-la, por Maíra Vasconcelos

    Ouvi dizer que para encontrar fantasia e realidade, a poesia cava com as mãos, o corpo, os olhos, principalmente.

    Pequena nota sobre o editorial da Folha de 30/11. Brinde: coluna em CartaCapital, por...

    - Quando, apesar de seu partidarismo sempre explícito, os governos petistas a ameaçaram, Folha de São Paulo, como agora o faz Jair Bolsonaro?

    Crônica de Domingo: Salve o compositor popular, por Luis Nassif

    Ouvir a coleção "Elis Regina no Fino da Bossa" não significa apenas relembrar a maior fase da maior das cantoras...

    A democracia-puta, por Fernando Horta

    Tal qual a mulher empoderada é insuportável ao homem, a democracia-puta também o é. Ela tem a indignidade de flertar com os pobres, de se associar com os indigestos e não queridos

    Magnética, não deixe a esquerda estragar sua festa, por Rui Daher

    Agorinha, em dois dias de festa rubro-negra, mais do que a direita, a esquerda se incomoda em festejar a conquista do MENGOOOOOOO!!l

    Crônica de três jornalistas, por Rui Daher

    Encanto mesmo, me trazem Jânio, Mino e Nassif. Na atividade dos três, não apenas nos textos atuais sempre trouxeram iluminações políticas, econômicas e sociais

    De braços cruzados: negros em greve na Bahia escravista, por Luis Gustavo Reis

    Que a violência foi imperativa durante a escravidão é inquestionável, porém, onde houve escravidão, houve resistência. Os cativos não eram vítimas e nem heróis o tempo todo.

    Livros que não esqueço (XII), por Izaías Almada

    Pessoa e seus heterônimos me perseguem há anos ou, expressando-me de maneira mais correta, eu os persigo há anos.

    Recife, Frevo nº 1. Antídoto à desesperança. #ForaMedo, por Rui Daher

    Parte de nossa força para recuperar a democracia virá da cultura brasileira, hoje impedida de vicejar em plenitude por sério ataque de ignorância, burrice e intolerância.

    Convite geral aos amigos do GGN, por Izaías Almada

    Convite para comparecer ao lançamento de nosso livro THE VENETIAN FILES na próxima quinta-feira, dia 21 de novembro, na Kings West Book em Hamilton, Canadá.

    A culpa é de quem? É claro que é do Ali!

    Tudo culpa do Ali! O Ali é a razão de tudo estar mal! -- A reunião é hipotética, os problemas e a fuga para as soluções, não!

    Crônica de uma Mariana Ilheira, por Rui Daher

    Daí que odos os personagens que criei nesses últimos anos blogueiros, vieram juntar-se a mim na comemoração pela Mariana.

    Mais comentados

    Últimas notícias