Um dia a casa cai, por Izaías Almada

A verdade pura e simples é que caminhamos para o final do mês de abril e também para 400 mil mortos pela Covid-19.

Um dia a casa cai

por Izaías Almada

         Os dias vão passando, as semanas vão passando e… Nada. Continua tudo como d’antes no quartel de Abrantes.

         De repente aparece uma Leda… E Nagle acontece, apesar da ameaça. Depois vem um Pedro… E Bial… Críticas de dar sono em anfetaminas. E o Diogo? Quanto mais agride, mais arde…

         O Brasil vai sendo destruído pela ingnorância (com N mesmo senhora redatora) de seu próprio povo… E de alguns de seus jornalistas, para quem a liberdade de expressão só é tolerável para agredir a esquerda. E em especial o ex-presidente Lula.

         A verdade pura e simples é que caminhamos para o final do mês de abril e também para 400 mil mortos pela Covid-19.

         Um governo de mentecaptos e incompetentes atira para todos os lados na esperança de acertar em alguma coisa que possa dar certo. Só que para dar certo é preciso ter um mínimo de inteligência e de sensibilidade para saber o que está acontecendo no país e no mundo.

         E o Ciro? O coronelão nordestino de “esquerda” que gosta de visitar Paris nos intervalos entre o primeiro e o segundo turnos de eleições… Ano que vem tem mais: já pode ir reservando as passagens, mas por ser brasileiro corre o risco de não poder entrar em território francês.

         “Tira o seu sorriso do caminho, que eu quero passar com a minha dor… Hoje pra você eu sou espinho, espinho não machuca a flor…” Grande Nelson Cavaquinho: esse sabia das coisas.

         É isso aí, amigo leitor, não há muito que dizer, senão é ficar chovendo no molhado.

         E o pior não é constatar a malignidade do “coiso” e seus papagaios de pirata ou miquinhos amestrados. O pior é ter que conviver com eles.

         O Brasil não merece… Ou merece?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora