Hoje tem lançamento de A Mula, disco de Paulo Freire

Violeiro, compositor e contador de histórias lança disco nas plataformas digitais sobre seu encontro com a mula sem cabeça

Tarita de Souza

Um grande causo musicado em que o autor narra seu encontro com uma mula sem cabeça no interior do Estado do Tocantins. Assim é A Mula, álbum do violeiro, compositor e contador de histórias Paulo Freire, que será lançado nas plataformas digitais no dia 22 de maio. Essa fantástica e curiosa fábula é vivida pelo próprio violeiro, seguindo a linha da “oratura”, ou seja, das narrativas inspiradas na tradição oral, como se fossem causos contados à beira de uma fogueira.

O álbum tem a participação especial do percussionista Adriano Busko, parceiro antigo de Paulo Freire que também se apresentará no show de lançamento no próximo dia 30 de junho na Casa Museu Ema Klabin, na capital paulista. Além de autor e executante – em prosa e viola! – desta intrigante história, o projeto tem a direção musical também de Paulo Freire, e foi viabilizado pelo Programa de Ação Cultural (ProAC) do Estado de São Paulo, com a elaboração, gestão e coordenação geral do projeto de Gisella Gonçalves, da Borandá Produções.

A Mula chega após os lançamentos dos singles, e capítulos, Clarões da MadrugadaOlavo e Padre Armando e Zélia. É nesse universo que Paulo Freire trata de esmiuçar as verdades científicas que comprovam a existência de uma mula sem cabeça, seu surgimento e consequências. Ponteados de viola foram criados para este grande acontecimento, além de novas versões para outras músicas de Paulo Freire, como “Mosquitão” e “Dona Júdica”.

O violeiro, contador de histórias e escritor Paulo Freire segue se especializando na temática dos seres de nossa terra. Em 2020, criou o espetáculo Cunhado de Lobisomem, juntamente com o compositor e instrumentista Danilo Moraes. Autor de trilhas sonoras, canções, romances, biografias, livros de causos, livros infantis e CDs de viola, Freire tem entre seus trabalhos mais recentes os CDs “Alto Grande” e “Pórva”, e o romance “Jurupari”.

Nascido em São Paulo, já morou no sertão do Urucuia (MG) – região onde se passa a trama do romance “Grande Sertão: Veredas”, de Guimarães Rosa – onde aprendeu a tocar viola com Manoel de Oliveira e outros mestres, além de aprofundar-se nos costumes e lendas do sertão. Posteriormente viveu em Paris, ali estudou violão clássico, e atuou em grupos de música brasileira em vários países da Europa e na Argélia. Em 2015 e 2016, realizou 120 apresentações pelo projeto “Sonora Brasil”, do Departamento Nacional do SESC, por todos os estados brasileiros. Foi o curador da “Ocupação Inezita Barroso”, exposição sobre a artista, realizada pelo Itaú Cultural, em São Paulo, 2017. Em 2018 gravou o CD “Viola Perfumosa”, um tributo à Inezita Barroso, com Ceumar e Lui Coimbra, pela Natura Musical. Das viagens pelo projeto Sonora Brasil nasceu o livro “Uma Aventura Violeira”.

Faixas

1.) Clarões na Madrugada (Paulo Freire) 

2.)  Olavo (Paulo Freire)

3.) Padre Armando e Zélia (Paulo Freire)

4.) A Hóstia e a Bola de Fogo (Paulo Freire)

5.) Coice (Paulo Freire)

6.) A Cruza na Sexta-feira da Paixão (Paulo Freire)

SERVIÇO:  A MULA – álbum completo

LANÇAMENTO: 22/05/24

Link de pre-save: https://tratore.ffm.to/amula

FICHA TÉCNICA: A MULA

Criação, direção artística e musical
      Paulo Freire

Viola, narração, texto e criação
      Paulo Freire
Percussão e efeitos sonoros
      Adriano Busko

Gravado nos estúdios
      Vai Ouvindo (viola e voz)
      Geroma (percussão e efeitos sonoros)

Edição
      Pedro Luz

Mixado por
      Alexandre Fontanetti (Estúdio Space Blues – São Paulo – SP)

Masterizado por
      Homero Lotito (Reference Mastering Studio – São Paulo – SP)

Assessoria para finalização
      Swami Jr.
Coordenação geral de produção e gestão do projeto
      Gisella Gonçalves (Borandá Produções)

Ilustração da capa
      Cinthia Camargo

Fotos
      Tarita de Souza

Projeto gráfico da capa
      Otávio Bretas

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador