Preço do litro do óleo diesel bate novo recorde e registra o maior valor em 18 anos

Média chegou a de R$ 6,943 por litro na semana passada, mas tem locais onde o litro do diesel pode custar mais de R$ 8

Reprodução

da Página da CUT

Preço do litro do óleo diesel bate novo recorde e registra o maior valor em 18 anos

Escrito por: Redação CUT | Editado por: Marize Muniz

O preço médio do litro do óleo diesel chegou a R$ 6,943 na semana entre os dias 15 e 21 de maio, segundo dados da Dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). É o maior valor maior desde 2004, quando o levantamento semanal começou a ser realizado. 

Ainda conforme a ANP, o valor é 1,3% acima do preço médio registrado na semana anterior, de R$ 6,487, que foi o valor registrado mais alto da série histórica até então.

Os mais altos preços

O preço mais alto foi encontrado no município de Cruzeiro do Sul, que fica a 636 km de Rio Branco, capital do Acre. Lá, o preço médio do litro de diesel chegou a R$ 8,296, o  mínimo doi de R$ 8,280 e o máximo R$ 8,300.

Na capital, os preços também dispararam: preço médiod do diesel foi de R$ 7,564 , o mínimo de R$ 7,240 e o máximo R$ 7,850.

Na Bahia, estado que vem registrando recordes nos preços dos combustíveis desde a privatização da Refinaria Landulfo Alves (Rlam), o diesel também custa mais de R$ 8. Em Ilheus, a ANP encontrou preço médio de R$ 7,862 médio, mínimo de R$ 7,650 e máximo de R$ 8,260.

O mesmo em Porto Seguro, onde o litro de diesel custou em média, R$  8,076 na semana passada. O Os preços mínimo encontrado foi R$ 7,830 e o máximo R$ 8,260.

O menor preço médio do diesel foi encontradoi em Cornélio Procópio, no Paraná: R$ 5,49.

Ùltimo reajuste

No último dia 10 de maio, a Petrobras, autorizada pelo governo de Jair Bolsonaro (PL), maior acionista da petroleira, anunciou mais um aumento, de 8,87%,  no preço do óleo diesel.

Somente neste ano o preço do diesel da Petrobras subiu 47%. Em 12 meses, de abril de 2021 a abril deste ano, a alta acumulada é de 52,53%, segundo a prévia da inflação de abril, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatítisca (IBGE).

O último reajuste havia sido de 25%, em 11 de março. Naquele mesmo dia a gasolina subiu quase 19% e o GLP 16%. Em maio, a estatal não reajustou  os preços do gás e da gasolina.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador