Freixo solicita à Justiça Federal o afastamento de Salles após o ministro ser alvo de investigação da PF

Operação Akuanduba investiga exportação ilegal de madeira para a Europa e os EUA

Jornal GGN – Nesta quinta-feira (20), o deputado federal, líder da minoria na Câmara, Marcelo Freixo (PSOL-RJ), entrou com uma ação na Justiça Federal solicitando o afastamento do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Em suas redes sociais, Freixo afirma que apresentou o pedido “para impedir que ele (Salles) continue destruindo o país”.

“Há um evidente desvio de finalidade na atuação do ministério sob o comando de Salles. Em vez de fortalecer políticas de preservação, a pasta está sendo usada como arma de destruição em massa do meio ambiente”, afirma o deputado Freixo por meio das redes sociais.

Nesta semana, Ricardo Salles se tornou um dos alvos da operação da Polícia Federal, que investiga a exportação ilegal de madeira para os Estados Unidos e para a Europa. Tal investigação foi nomeada de “Akuanduba” e envolve 35 mandados de busca e apreensão, em que o ministro do Meio Ambiente e o presidente do Ibama, Eduardo Bim, são alvos. Além disso, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal do ministro do Meio Ambiente.

“As investigações foram iniciadas em janeiro deste ano, a partir de informações obtidas junto a autoridades estrangeiras noticiando possível desvio de conduta de servidores públicos brasileiros no processo de exportação de madeira”, afirma a Polícia Federal sobre a ação.

Após o inquérito, aliados do presidente da República, Jair Bolsonaro, apoiam o afastamento temporário de Salles até que as investigações sejam esclarecidas. Por outro lado, o ministro do Meio Ambiente disse que “informações não condizem com a realidade”.

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, responsável por autorizar a operação, afirma, por meio de um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), que encontrou uma “movimentação extremamente atípica envolvendo o escritório ” em que Salles é sócio, já que durante um período de seis anos, a empresa movimentou cerca de 14 milhões de reais.

Fontes: G1, Exame e Carta Capital

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome