Bandeira vermelha pode ficar até 58% mais cara

Proposta do Ministério da Economia prevaleceu, e sobretaxa pode chegar a R$ 15; ANEEL deve informar decisão até a próxima terça-feira

Marcello Casal Jr – Agência Brasil

Jornal GGN – A bandeira vermelha 2, sobretaxa mais cara cobrada na conta de luz, pode sofrer um reajuste entre 50% e 58%, passando dos atuais R$ 9,49 a cada 100 quilowatts-hora para um valor entre R$ 14 e R$ 15. A decisão deve ser informada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) até a próxima terça-feira.

O valor atual está em vigor desde o mês de julho, quando foi registrado um aumento de 52% – e esse ajuste já afetou a inflação: no período de 30 dias fechado em 15 de agosto, a conta de luz aumentou 5%, sendo o principal componente individual para a alta do IPCA-15. Em 12 meses, a tarifa já subiu 20%.

Ajude o jornalismo independente do GGN. Saiba como clicando aqui

Segundo o jornal O Globo, representantes do governo discutiram o percentual de reajuste na bandeira 2 nesta semana. Embora o Ministério de Minas de Energia tenha sugerido um aumento da bandeira para R$ 24 durante três meses, a proposta que prevaleceu foi a do Ministério da Economia, que propôs a cobrança entre R$ 14 e R$ 15 por um período maior, possivelmente de seis meses.

O próprio ministro da Economia, Paulo Guedes, defende um meio termo para a cobrança da tarifa para pagar as termelétricas e recuperar as represas, por conta da pior seca vista na região Centro-Sul do país nos últimos 91 anos.

Leia Também

Só agora o mercado acorda para a crise energética, por Luis Nassif

TV GGN 20h: Crise energética, o novo negacionismo de Paulo Guedes

“Não adianta ficar sentado chorando”, diz Paulo Guedes sobre conta de luz

0 Comentário

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador