Filho de Bolsonaro propõe revisionismo histórico para limpar imagem do golpe militar

Foto: Agência Câmara

Jornal GGN – Após a polêmica do MEC sobre alterar critérios para compra de livros, Eduardo Bolsonaro defendeu no Twitter que a história da ditadura militar seja revisada para limpar a imagem ruim que “a esquerda” fez dos militares que compactuaram com o golpe de 1964 e participaram do regime de repressão. “Os militares saíram em 1985 e até hoje vejo matérias na imprensa mentido sobre o que foi aquele período, só p/ enaltecer a PTzada”, escreveu.

Para Eduardo, “um povo sem memória é um povo sem cultura, fraco. Se continuarmos no nosso marasmo os livros escolares seguirão botando assassinos como heróis e militares como facínoras.”

O revisionismo histórico de Bolsonaro contraria os fatos. Mas suas intenções são refletidas nos planos do presidente empossado, que defende o movimento Escola Sem Partido e tem entre suas premissas contar os supostos “dois lados” do golpe. Jair Bolsonaro nega crimes de tortura praticados por militares, como o Coronel Carlos Brilhante Ustra. Na Câmara, aliás, já rendeu comentários elogiosos ao primeiro militar a ser reconhecido pela Justiça como torturador.
 
Nesta semana, a Folha revelou que “um edital para compra de livros didáticos foi alterado e deixou de exigir das editoras obras com referências bibliográficas e o compromisso com a agenda da não violência contra as mulheres, promoção das culturas quilombolas e dos povos do campo. As obras poderiam ter erros também.” O governo recuou do edital.
 

15 comentários

  1. Revisionismo
    A expressão “o revisionismo proposto não condiz com os fatos” carece de uma explicação. Napoleão disse que “a história é um punhado de mentiras cunhadas por aqueles que chegaram a um acordo “. George Orwel disse que “a história é geralmente escrita pelos vencedores”. Se os militares venceram, qual revisão se faz necessária? Só se a história escrita for um punhado de mentiras, precisando de historiadores de verdade, e não propagandistas de governo.

+ comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome