Enquanto Aécio e Anastasia dobram patrimônio, Dilma e Pimentel reduzem


Foto: Agência PT
 
Jornal GGN – Nos últimos 4 anos, desde que a então presidente Dilma Rousseff (PT) foi eleita para comandar o país, o patrimônio declarado da hoje candidata ao Senado por Minas Gerais caiu 13%. Enquanto isso, mesmo investigado na Lava Jato, o patrimônio do então adversário derrotado nas urnas, Aécio Neves (PSDB) aumentou 92% desde 2014.
 
É o que divulga reportagem do Uol, nesta quinta-feira (16). Aécio declarava R$ 3,2 milhões, em valores já corrigidos pela inflação, quando se candidatava à Presidência da República, derrotado aquele ano. Agora, o tucano declara ter quase o dobro: R$ 6,2 milhões.
 
Ambos informaram os valores ao Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), no registro de candidatura para participar das eleições. Após ser isolado pelo próprio partido, com o nome manchado por diversas investigações, Aécio deixará de ser senador para disputar um cargo na Casa Legislativa menor, a Câmara.
 
Em resposta, a assessoria de imprensa de Aécio disse que os bens são os mesmos de 2014 e que o seu patrimônio não aumentou. “A diferença entre a declaração de 2014 e 2018 corresponde basicamente a crédito futuro a receber de R$ 3,7 milhões referente à venda de quotas de uma emissora de rádio”, respondeu.
 
“Entre 2016 e julho de 2018 foram recebidos R$ 2,9 milhões. Faltam R$ 3,7 milhões. A transação comercial está devidamente declarada no Imposto de Renda e todos os impostos estão sendo recolhidos”, explicou.
 
Já a antiga concorrente do tucano, Dilma Rousseff (PT), que este ano disputa um cargo ao Senado por Minas, teve uma redução de 13%, de acordo com a reportagem, passando de R$ 2,3 milhões, já corrigidos pela inflação, em 2014, para R$ 1,9 milhão.
 
Da mesma forma, enquanto o atual governador que tenta reeleição no Estado, Fernando Pimentel (PT), diminuiu 40% de seu patrimônio, de R$ 3,2 milhões para R$ 1,9 milhão, seu atual adversário na disputa do governo de Minas, Antônio Anastasia (PSDB-MG), também quase dobrou de R$ 718 mil em 2014 para R$ 1,3 milhão agora.
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome