Os assessores de Marina

Sugerido por Jns

 
Jornal GGN – A MercoPress, agência de notícias estrangeira, publicou reportagem apontando os assessores mais próximos de Marina Silva (PSB). “Dois economistas com pós-graduação em Cambridge e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, um advogado considerado um dos mais influentes membros do Congresso e com doutorado pela Oxford, além de o herdeiro de um império bancário, a maior do Brasil”, foram caracterizados, assim, pelo veículo.
 
 
Os assessores de Marina: economistas graduados em Cambridge e MIT e o herdeiro do maior banco do Brasil.

Eduardo Giannetti da Fonseca

PhD em Cambridge e professor do Insper desde 1984

Giannetti da Fonseca, PhD Cambridge e professor de 1984 a

Eduardo Giannetti da Fonseca, economista e escritor, nascido em Belo Horizonte, em 1957, estudou na Universidade de São Paulo, e possui especialização em Ciências Sociais, Economia, Administração e Contabilidade.

Ele recebeu o seu doutorado em Economia pela Universidade de Cambridge, onde também foi professor entre 1984 a 1987. De 1988 a 2001 lecionou na FEA / USP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo). Ele, atualmente, é professor em tempo integral do Insper, Instituto de Ensino e Pesquisa de São Paulo.

Mauricio Rands

Um dos dez congressistas mais influentes

Mauricio Rands, um dos dez membros mais influentes do Congresso

Mauricio Rands (nascido em 1961) é advogado formado pela Universidade Federal de Pernambuco e especialista de Direito do Trabalho da Universidade de Bari, na Itália, possui doutorado pela Universidade de Oxford.

Ele começou na política em 1981, quando filhiou-se ao PMDB, o principal partido político do Brasil, mas, em 1989, passou a integrar o partido do atual  governo, o Partido dos Trabalhadores (PT).Em 1989 ele se tornou vice-presidente da Organização dos Advogados do Brasil de Pernambuco (OAB) e, em 2000, foi eleito para o Conselhe Federal da OAB. Em 2001 Rands foi nomeado Chefe de Assuntos Legais da cidade de Recife, onde criou a Justiça Cidadã, ação que descentraliza a assistência judiciária aos bairros da periferia da cidade, vencedora, no ano de 2003, do prêmio gestão pública e cidadania.

Esta realização recebeu um prêmio em 2003 dado a peformances de cidadãos pelo líder do governo.

Leia também:  Crivella quer presença de Bolsonaro em campanha no Rio

Em 2002 Rands foi eleito para o Congresso e reeleito em 2006, com um aumento de 50% em votos. Na Câmara dos Deputados, ele foi presidente da Comissão de Constituição e Justiça, vice-chefe do PT no Congresso, entre 2005-2007 e também foi chefe da bancada do PT em 2008, e, pela quinta vez consecutiva, foi escolhido por seus colegas como um dos membros mais influentes do Congresso.

Em 2010, ele tornou-se membro das comissões de Defesa e Relações Exteriores, em 2011, e Secretário do Estado do Pernambuco durante o segundo período do governador Eduardo Campos.

Em 2012, a sua aspiração era tornar-se prefeito de Recife, mas a direção do PT optou por outro candidato e  ele saiu do partido.

Um dos livros que publicou, “Relações de Trabalho e o Novo Sindicalismo no Brasil Contemporânio” (1999), considerado um livro de fundamental para estudantes de Direito, e outro é “A Era Lula”, em 2010.

André Lara Resende

Economista, PhD pelo MIT, assessor do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso

Lara Resende, economista, MIT PhD, assessor do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso

André Pinheiro de Lara Resende (Rio do Janeiro, 1951) é  economista e filho do famoso escritor Otto Lara Resende. André estudou economia na Univerisidade Católica do Rio e mais tarde formou-se com um PhD pelo MIT.

Ele tem uma longa experiência no setor bancário e, até mesmo, fundou o seu próprio Banco Matrix. Ele foi, mais tarde, membro da administração da diretoria do Banco Central do Brasil e esteve envolvido com a equipe que criou a nova moeda e a política monetária do Plano Real, que ajudou a vencer a hiperinflação e, depois, estabilizar os preços.

Leia também:  Raio X das Eleições: SP, o reduto do antipetismo

André Lara Resende foi assessor especial do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e, posteriormente, foi chefe do BNDES, o banco de desenvolvimento do Brasil, que tem um volume de negócios anual superior ao do Banco Mundial.

Lara Resende, mais tarde, teve problemas com os tribunais envolvendo alguns negócios escusos durante a privatização das empresas de telecomunicações, em 1998 , no Brasil, mas foi absolvido de todas as acusações em 2009. Atualmente ele é conselheiro econômico de Marina Silva.

Neca Setubal

Mestre em Ciência Política e membro de uma das 15 famílias mais ricas do Brasil

Neca Setubal, Mestre em Ciência Política e membro de uma das 15 famílias mais ricas do Brasil

Uma das maiores apoiadoras que Marina Silva está apostando é a herdeira do banco Itaú, Maria Alice Setubal, e filantropa conhecida como Neca, que está atuando como coordenadora da campanha de Marina para a presidência.

Integrante de uma das dinastias bancárias mais ilustres do Brasil, Maria Alice Setubal é acionista do conglomerado Itausa, com base em São Paulo, que tem interesses nas áreas de finanças e do ramo imobiliário, incorporando uma gama de indústrias. A Itausa também controla o Itaú Unibanco, o maior banco do hemisfério sul, com ativos totais de 500 bilhões de dólares.

A participação de Maria Alice Setubal na Itausa vale cerca de 370 milhões, representando cerca de 11% na participação total de sua família no conglomerado, que vale 3,3 bilhões a partir de maio, quando os Setubal colocaram 12 membros na lista das 15 famílias mais ricas do Brasil.

Maria Alice Setubal é formada na Universidade de São Paulo (USP), onde estudou Ciências Sociais. Ela também tem doutorado em psicologia e mestrado em ciências políticas. Em 2005, ela e a sua família criaram uma fundação em homenagem à sua falecida mãe, Tide Setubal, que visa ajudar as comunidades e aliviar a pobreza por meio de programas de desenvolvimento sustentável no Brasil.

Leia também:  CENTRO-OESTE: Resultados eleições 2020 ao vivo

Ela é a única filha do banqueiro brasileiro Olavo Setubal, que foi o presidente do Banco Itaú até a sua morte, em 2008, e foi Ministro das Relações Exteriores do Brasil em 1985 e 1986, bem como foi como foi prefeito de São Paulo, entre 1975 a 1979. O seu irmão de Roberto Egydio Setubal é o atual presidente do Itaú Unibanco.

Em um eventual governo de Marina Silva, espera-se que Neca Setubal seja indicada para desempenhar um papel importante, possivelmente como ministra ou como chefe de gabinete.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

53 comentários

  1. Se a ideia é concorrer com o Sexta Feira 13

    tá dando certo!!

    Só filme de horror!!!!

    Espero que algum pastor tire logo o capeta de dentro da ex-companheira marina..

    sai, capeta!! xô!!!

  2. O Rabnds não apita nada em meio a estes abutres,

    O  Rabnds não apita nada em meio a estes abutres,  e se ele reclamar mandam ele catar coquinho na esquina, tá tudo dominado, a estratégia do ódio contra o PT cegou estes eleitores que irão votar em seus carrões adquirdos com a dinheirama liberada por Lula, engraçado que estes eleitores estarão sem dúvida dando um tiro no próprio pé a titulo de estarem votando por mudança como prega o TSE em suas vinhetas pró-Marina. O jogo é pesado, as forças ocultas estão postadas em tudo quanto é lugar.

     

  3. Maquiagem e verniz nos assesores na “cara dura”

    Só eu que estou percebendo ou a matéria não tem fundo jornalístico algum exceto passar um lustre nos assessores para eles parecerem mais palatáveis ao público?

    Não existe uma só linha crítica ou referência ao que eles pretendem fazer, apenas uma apresentação de como são bem sucediidos e doutorados, quase como dizendo “homens de BENS”.

    Praticamente uma propaganda dos assessores, um verniz, por assim dizer. Estou até pensando em chamá-los para equipe da Dilma dado a competência e descompremetimento dos mesmos com qualquer coisa ruim para o país ou para os trabalhaores. Viram como ficou detalhado o que eles pretendem fazer no governo Marina? Não viram? Nem eu, porque é exatamente isso que essa matéria quer fazer, mostrá-los como pessoas competentes e boas para ficar bem para a Marina, mas sem demonstrar a que vieram. Um enlatado sob encomenda.

    •  
      Não gosto muito desse tipo

       

      Não gosto muito desse tipo de “crítica”, porque pega um pequeno texto que pode estar fora do contexto geral da fala completa. Daí se a gente embarca nesse tipo de crítica, aparece a fala completa que pode ser muito diferente e depois chove de gente para dizer que somos manipuladores e a coisa vira um “tiro no pé”. Gostaria de um link para o vídeo completo antes de me posiconar, por enquanto só digo que não gosto desse tipo de crítica que pode, conforme for, ser facilmente desmontada depois e o “feitiço vira contra o feiticeiro”.

  4. Professor Hariovaldo todo

    Professor Hariovaldo todo orgulhoso!

     

    Depois de Jânio e Collor chegou a vez de Marina varrer toda a imoralidade que destruiu a nação.

     

    Amigas. Neca Setubal convenceu Marina de que os Juros não poluem.

    Felizmente a história se repete. Há poucos dias estávamos todos desesperados, desanimados e desacorçoados com o cenário eleitoral que apontava para um quarto mandato presidencial comunista que fatalmente acabaria de acabar com o Brazil. Nas redes sociais já era anunciado “O Fim do Brazil”. Hoje, após a tragédia do ‘avião fantasma’, uma nova esperança desponta no fim do túnel, com a ascensão de uma verdadeira Maria Madalena, que se arrependeu de sua vida de devassidão comunista e aliou-se aos puros de coração.
    Em 1960 o comunismo avançava a galope rumo a suceder Juscelino. Ai surgiu o Dr. Jânio Quadros pelo partido inexistente PTN e, prometendo varrer toda a safadeza do seio da pátria, elegeu-se presidente. Os grandes partidos na época, UDN, PSD e PTB, representavam a velha política de barganhas e favores. Jânio, visionário, convenceu a corja que o novo estava em não ter ideias claras e triunfou. Infelizmente poucos meses depois as forças ocultas comunistas comandadas por Leonel de Moura conseguiram depô-lo covardemente para colocar no trono seu vice, Jango.

    Os comunistas derrubaram Jânio para empossar Jango, mas a nossa imprensa isenta e imparcial e nossos valorosos banqueiros não deixarão que isto repita-se com Marina.

    Em 1989, os comunistas que já haviam extinguido a Revolução e estabelecido as indesejáveis diretas, manobravam sordidamente para retomar o poder com Lula ou Brizola. Ai surgiu Dom Fernando I, o Collor, e a exemplo de Jânio, candidatou-se também por um partido inexistente. Só trocou o T pelo R. Desta vez era o PRN. Collor também era o novo, o caçador de marajás. Os partidos das negociatas e politicagens da época eram PDS, PMDB, PT, PDT etc. Outra vez os comunistas através de calunias, com os caras pintadas treinados em Pyong Yang, conseguiram depor o presidente e abrir caminho para, dez anos depois, implantar a ditadura bolivariana que por ora nos amordaça.

    Caras pintadas comunistas derrubaram Collor, mas com Marina vai ser diferente.

    Em 2014 chegou a vez de Maria Osmarina Silva Vaz de Lima, a Marina, candidatar-se por outro partido inexistente, A REDE. Este realmente é um partido inexistente, pois não existe. Tanto é que Marina teve que alugar a barriga do velho PSB.

    Pela terceira vez temos um candidato(a) com um discurso pós-moderno que sabiamente se coloca acima da política, acima dos partidos, acima dos políticos e acima das instituições. A nova política que foi inaugurada por Jânio há 54 anos retorna triunfante. Nas duas ocasiões anteriores distraímos-nos e deixamos os comunistas voltarem com a velha política. Mas agora estamos blindados contra as intentonas marxistas. Tivemos o cuidado de proteger-nos, aliando-nos aos mais probos semanários, periódicos e emissoras. Também adotamos como conselheiros(as) os mais nobres defensores(as) da Democracia.

    Agora vai….e ai do comunista que tentar reeditar as defenestrações de Jânio e Collor.
    Alvíssaras…

    • É verdade

      É uma equipe de peso a serviço do capital que irá destruir o Brasil. Essa equipe vai transformar o Brasil num Haiti e com isso a casa grande vai ficar mais forte como nunca. Essa equipe quer um Estado mínimo para o povo e um Estado máximo para os endinheirados. Repito: você tem toda razão. Meus parabéns.

      Nota; se a Marina Itaú for eleita não só o Brasil vai se ferra como toda a América Latina e os BRICs também. Se isso acontecer os EUA vaio adorar e voltaremos a ser o quintal deles. 

  5. As 10 técnicas do kit semiótico de manipulação das multidões

     

    Chamado de “século das multidões”, o século XX nos deixou como legado um verdadeiro kit semiótico completo de ferramentas de gestão do comportamento de grupos e multidões. Esse kit composto por 10 ferramentas é aplicado na sua totalidade ou em fragmentos por políticos, agências governamentais, líderes de seitas, jornalistas e publicitários. Desde as manifestações de rua anti-globalização de Seattle em 1999, observa-se uma crescente importância na manipulação das multidões. A sequência atual de manifestações em diversos países como Brasil, Egito e Turquia nos faria questionar se estariam sendo aplicados nestes eventos ferramentas desse kit. Por isso, vamos entender cada uma dessas dez ferramentas para que possamos reconhecê-las nas ruas ou nas mídias.

     O poder das multidões para determinar mudanças políticas é um dos temas mais significativos da História. Mas certamente as manifestações anti-globalização em Seattle em 1999 e em Londres em 2001 foram o ponto de viragem na maneira como os poderes estabelecidos viam os protestos. Os manifestantes utilizaram novas tecnologias de comunicação como laptops, Internet e mensagens em SMS por dispositivos móveis. A partir de então as agências governamentais responderam com suas próprias tecnologia invasivas: redes de monitoramento através de câmeras e sistemas de gestão das multidões. Quando vemos a sequências de manifestações como na Turquia, Egito e Brasil, passamos a discutir sobre a espontaneidade ou não desses eventos, principalmente quando nos deparamos com o livro Killing Hope: U.S. Military and CIA Intervention Since World War II de William Blum (ex-funcionário do Departamento de Estado dos EUA) onde faz um relato das intervenções norte-americanas em diversos países através de ações de agências governamentais por meio de ONGs como National Endowment for Democracy (NED) ou Freedom House. Segundo Blum (mais um da já longa lista de dissidentes como Snowden, o ex-agente Philip Agee e o soldado Bradley Manning), há uma verdadeira estratégia “cavalo de troia” ao não só financiar instituições civis com fundos, computadores, carros, mas também treinamentos para passar o know-how de manipulação de multidões. O objetivo é claro: garantir a presença de governos fiéis aos interesses econômicos de Washington por meio do apoio de massas que veem nas livres manifestações a evidência de um jogo democrático. Blum em entrevista afirma que ainda não há evidência de que o NED esteja ativo no Brasil por trás das manifestações, mas alerta: “Fiquem de olho no dinheiro. Quem está pagando as contas?” – clique aqui e leia a entrevista. 

    Origens do Kit Semiótico: Freud e Le Bon

     Por isso, é necessário estarmos atentos à presença de alguns fenômenos de indução de comportamentos de multidões que fazem parte de um verdadeiro kit semiótico, conhecido desde o século XIX quando se iniciou a discussão sobre a existência de uma psicologia de massas na História. S. Freud e Gustave Le Bon

    Basicamente, as teorias que envolvem essa discussão baseiam-se em dois nomes: Gustave Le Bon e Sigmund Freud. A proposição principal do cientista social francês Le Bon (1841-1931) é que os fenômenos grupais se originam em uma espécie de mente coletiva que faria o indivíduo pensar, sentir e agir de forma diferente quando tomado individualmente. Nessa mentalidade coletiva o indivíduo estaria facilmente aberto aos fenômenos de sugestão, hipnose, mecanismos de fascinação e sede de poder.

     Ao contrário, Freud (1856-1939) via no funcionamento psíquico das massas elementos como identificação, regressão, idealização e investimento libidinal. Em outras palavras, Freud via por trás adesão do indivíduo ao grupo ou ao líder o medo da solidão: pior que a morte, o que o indivíduo mais teme é a solidão ou saber que pode não mais ser desejado pelo outro. Aderir à maioria seria uma forma de atrair o amor e a aprovação dos outros para si.        Durante o século das multidões que foi o século XX descobriu-se que não há nada mais excitante do que concentrações humanas que vão das maiores como finais de futebol, concertos de rock, raves, manifestações de ruas a concentrações mais restritas como seminários motivacionais, encontros religiosos e grupos de autoajuda. Associando a psicologia e psicanálise às técnica linguísticas e discursivas, um dos mais importantes legados do século passado foi a elaboração de um verdadeiro kit semiótico de ferramentas de manipulção de comportamentos grupais, hoje aplicados para as mais diversas finalidades, sejam políticas, empresariais ou religiosas.

    http://cinegnose.blogspot.com.br/2013/08/as-10-tecnicas-do-kit-semiotico-de.html

  6. Eduardo Gianetti da Fonseca

    Eduardo Gianetti da Fonseca hoje renega seu passado trotskista da Libelu (como tantos outros) e o que é pior: renega também sua poesia contracultural, também dos anos 70. Em 1977, registra-se uma performance, com Piva, Mautner e outros poetas paulistas neste curta de Jairo Ferreira. Aos 12.10 min entra em cena o jovem poeta Gianetti da Fonseca. Significativamente, o nome do filme é Antes que eu me esqueça.

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=RgDxzqQLcZo%5D

     

  7.  
    Eu, como eleitor de Lula em

     

    Eu, como eleitor de Lula em 2002 e 2006, votei em Marina em 2010 e repetirei o voto em 2014.

    Engraçado, agora que o PT  estará fora do governo a partir de janeiro de 2015, os defensores de Lula e Dilma se voltam com fúria contra os mesmoss eleitores que os mantiveram no poder nestes 12 anos e agora elegerão Marina presidente em outubro. Como os tempos mudam e os políticos envelhecem e não captam as ondas…

    Não há lealdade de eleitores para com eleitos, ninguém é obrigado a manter ninguém no poder, este é um discurso sem pé nem cabeça, cheira a um neocoronelismo de cartão de benefício social como bem sonhou o petismo.

    A derrota de Dilma passa pela escolha equivocada da candidata em 2010: tivesse Lula escolhido um quadro orgânico do seu partido e com melhor competência provavelmente estariam em melhor situação hoje.

    Dilma fez um governo sofrível, de mediano a ruim, tão ruim que entregará o país muito pior do que recebeu em 2011.

    De fato, o PT não fez a lição sobretudo nestes 4 anos de Dilma. A presidente meteu os pés pelas mãos, centralizou o poder em si, não dialogou com o empresariado, não lidou com os sindicatos, fechou a cara para todos e agora vem cobrar lealdade de voto. Fez um governo auto-midiático, o maior conselheiro da presidente era seu marketeiro de bolso, o João Santana. 

    A chamada Nova Classe Média, esta é quem vai derrotar o projeto de poder do PT em outubro agora, o sentimento difuso de mudança fermentou na figura de MARINA e nada poderá conter o desejo mudancista – o eleitor colocou no mesmo saco podre tanto PT e PSDB que estão a se revezar no poder há 20 anos.

    E não há como o PT e Dilma reclamarem da grande mídia neste momento: tanto Lula quanto Dilma alimentaram aqueles que agora a apunhalam matando a sua candidatura e também a do coadjuvante Aécio. 

    Se o PT tivesse o peito de ter feito a reforma das comunicações e da mídia…todavia preferiu encastelar no poder PAULO BERNARDO, homem de confiança das famílias que dominam os meios de comunicação neste país.

    As JORNADAS DE JUNHO de 2013 foram solenemente embrulhadas por Dilma e pelo PT que muito prometeu mas pouco fez. Tivesse ela abraçado literalmente o movimento hoje estaria reeleita em primeiro turno.

    O Brasil, e este é o fato político irremediável, cansou-se do binômio PT-PSDB e o eleitor prefere apostar em Marina.

     

      • No Segundo Turno de 2010

        No Segundo Turno de 2010 votei em Dilma, por não suportar o PSDB, sobretudo o Serra e menos ainda este garotão de praia Aécio agora em 2014.

        Sou sincero, não gostei do governo Dilma, ela não tem traquejo e comprometeu tudo o que Lula vez em 2 mandatos.

        Sou eleitor do Lula como milhões neste país: votei nele em 1989, 1994,1998,2002,2006. 

        Se Lula, de fato fosse o candidato agora em 2014, também votaria nele como  outros milhões de eleitores o fariam.

        Mas entre Marina e Dilma, fico com Marina…

        • Faz sentido
          Fica com Marina E

          Faz sentido

          Fica com Marina E Serra(um dos “melhores” do PSDB com que ela diz que vai governar), com a equipe e o plano econômicos da Era FHC. O resto da patota neoliberal já está lá, vide o Bornhausen, uma das figuras mais ilustres da “nova” política.

          Dá pra ver como você não suporta mesmo o PSDB!

    •  
      Primeiro, de onde você

       

      Primeiro, de onde você tirou que nós estamos contra as pessoas que pensam em votar em Marina? Podemos discordar, mas odiar??? Coloca que nos voltamos “com fúria” contra estes? Onde isto, por gentileza?

      Interessante é que a Marina que vai “parir um bebê setenta anos de idade” (seu projeto de governo) é dada como a “nova política”, fazendo alianças de tudo quanto é tipo e pulando de galho em galho a todo momenbto num projeto muito mais pessoal do que de um conjunto e mudando até seu programa de governo de um dia para o outro e ainda é chamada de “nova política”; Nova onde? Poderia demonstrar onde está o novo em Marina?

      De outra banda dizer que o PT não quis ouvir as voz das ruas? Isso me soa até como heresia, pois se tem um partido que ouve as ruas é o PT, mesmo com suas falhas. Após os protestos de junho do ano passado a Dilma tentou aprovar várias medidas para atender esses anseios e tudo foi barrado no Congresso.

      A Marina quer se passr como se ela fosse a resposta aos anseios de junho do ano passado, mas o movimento nada teve a ver com ela. Ela é uma usurpadora dos sonhos dos jovens. Ela não deve nem saber quem são o pessoal dos jovens do MPL (Movimento do Passe Livre) que foi o estopim dos movimentos de junho de 2013, MPL incusive que repudia a tese da Marina de que ela ou qualquer outra pessoa ou partido representem o movimento.

      Claro que depois a grande mídia manipulou e conduziu para onde queria o movimento de junho de 2013. Aliás, já que você está falando de grupos de TV, me responda o que prega o programa de Marina a respeito da quebra do monopólio dos meios de comunicação já que ela é a vanguarda?

      De outra ponta, me responda porque ela ELOGIOU TANTO O DECRETO DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL NA POLÍTICA (Decreto da Dilma), tanto que chegou a plagiá-o e colocar ele no seu projeto de governo, mas na primeira pressãozinha da imprensa ela disse que não era bem assim que ainda tinha que ser revisto, etc, ou seja mudou tudo o que pensava no primeiro espirro da imprensa e agora que se passar como “nova política”?

      Por fim é de teu direito votar Nela e o meu de dizer que não voto nela de modo algum. Agora, um pouco de humildade faria bem, dizer “que já ganhou” é “salto alto antes do fim da partida”. Mesmo porque Marina não representa nem de longe nada de novo na política e talvez as vozes das ruas percebam isso a tempo.

        • Vc não leu o texto dele até o fim …

          Geralmente quem não lê nada além das primeiras linhas ou manchetes, é a oposição, quando vê o reconhecimento ou divulgação de políticas bem sucedidas do Governo Dilma. Se recusam a ler.  E depois saem criticando tudo, sem base nenhuma, só com críticas vazias, sem fundamento.

    • É verdade.

      “Como os tempos mudam e os políticos envelhecem e não captam as ondas…”

      A onda de junho/2013 que teve por objetivos principais a despolitização e a apresentação de mais um salvador.

      Se guiar só pela MATRIX PIG resulta nisso. O pior que esse indivíduo não está só, é a maioria do povo que está conectada na MATRIZ PIG.  

       

    • Agora percebi mais direito no texto

      “cheira a um neocoronelismo de cartão de benefício social como bem sonhou o petismo”

       

      “A derrota de Dilma passa pela escolha equivocada da candidata em 2010: tivesse Lula escolhido um quadro orgânico do seu partido e com melhor competência provavelmente estariam em melhor situação hoje”

       

      Primeiro já chega “satanizando o PT” e dizendo que nós é que estamos com fúria, mas isso fica claro quando começou a chamar o “PETISMO DE NEOCORONELISMO DE CARTÃO DE BENEFÍCIO SOCIAL” (mesmo discurso dos tucanos do “bolsa esmola”). Ou seja é o mesmo discurso de ódio contra o PT de tantos outros camuflado em outras palavras e tentando jogar sobre nós o que ele já começa confessado, por ato falho, no próprio texto, o ódio gratuito.

      Depóis tenta dizer que se Lula tivesse escolhido uma pessoa mais competente que a Dilma, o PT não estaria nessa situação.

      Tudo farofada. Disfaçardo no texto se vê que é um pregador do ódio contra o PT, tenta dissimular que se o Lula tivesse escolhido outra, isso para não perder votos das milhões de pessoas que gostam do Lula. Um discurso enlatado mas no fundo apenas diz A MESMA COISA DOS TUCANOS em eleições Que Lula é bom, mas Dilma e o PT não.

      Conversa VELHA COM CHEIRO DE MOFO tentando se passar por novidade.

      Ou seja, não acha nada de novo na Marina de Fato, apenas embarcou na onda tucana e vendo como tucano não está indo tenta qualquer coisa, se o tiririca estivesse no páreo aposto que ia de tiririca ou até de Bolsonaro, do tipo “qualquer coisa menos PT”. Um efeito manada já bem manjado.

    • ” O PT fora do governo em

      ” O PT fora do governo em 2015 ? “

      Uma é a demonstração de que não poderia ser eleitor do PT nunca, não conhece a militância petista e nem conhece o governo petista. 

      A Dilma vai ser reeleita em primeiro turno, aguarde. As pesquisas vão te derrubar.

      A outra é se por acaso pudéssemos considerar , de forma utópica, a Marina como Presidente. De que forma o PT estaria fora do governo dela, aliás de qualquer governo. Vale lembrar que o PT será o grande vencedor eleitoral com relação ao Congresso Nacional. Terá o maior número de Deputados Federais e de Senadores. Fora os partidos aliados que , igualmente, crescerão de forma contundente em número de parlamentares, partidos esses que são leais e fiéis ao Lula, a Dilma e ao PT, que estão governando com Lula e Dilma desde 2003. Mais uma , é que o Lula será eleito em 2018. Presidente do Brasil. 

      Vai levar uma rasteira das pesquisas.

       

  8. Maior sinal de desgraça em um

    Maior sinal de desgraça em um país é ver economistas, que estudam para funções de expropriar o bem público, serem colocados dentro Estado.

    A partir do presidente Lula, o Partido dos Trabalhadores deu um chega pra lá na estrategia de bandidagem deles; mas no governo de Dilma a fulanagem traicionista esta vindo forte, querendo a presidente e até o BC.

    Paralelamente, a Marina com esses economistas entreguistas que já prestaram muitos deserviços ao país, EUA e o mercado financeiro estarão bem representados.

    Deus nos livre dessa gente.

     

  9. Nao está faltando o Alvaro de

    Nao está faltando o Alvaro de Souza, ex-presidente do Citibank? Pelo que se sabe, é o responsavel pelas finanças da candidatura… Citibank, citibank …. sim, aquele que o Obama salvou da bancarrota.

  10. Cristão Dissimulado

     

    Biblada na Veia em 2010

    O poderoso(?) chefe ecumênico garantiu:  – “Não voto em Marina!”

    E decretou, com sabedoria:  – “Pior que o ímpio é o cristão que dissimula. O cristão não pode ficar em cima do muro…”

    Ele, também, fez um desabafo esclarecedor: – “Sabe porque a  Irmã Marina não deu parecer nem a favor e nem contra? Por causa das eleições. Para não ficar mal com o povo evangélico, não ficar mal com os seus parceiros e com a esquerda radical.”

    Desesperançado, Irmão Faia decidiu: – “Agora, meus irmãos, nós estamos em um momento crucial da nossa nação (…) aí, eu não tenho outra opção: eu vou votar no Serra.”

    O Grande Mala fechou o pano da sacristia soltando o fogo celeste pelas ventas: – “Querido, pior que o ímpio é um cristão que dissimula: Marina não tem o meu voto!”

    Só não disse, mas, com certeza, ‘bertoldo brechanamente’, pensou: – “E zéfiní”

    [video:http://youtu.be/gCo_0vsVC8E width:600 height:450]

  11. Votei na Marina em 2010 mas não voto mais.

     

    Votei na Marina em 2010 porque acreditava que ela realmente representa uma mudança na política, porém de uns tempos para cá comecei a pesquisar mais sobre ela e percebi que pulou de partido em partido mais que os políticos tradicionais, então comecei a abrir os olhos sobre que “nova política” seria essa. Recentemente quando ou vi ela falando que “era uma lenda” que ela seja contra a soja transgênica, percebi que ela traiu até os ambientalistas, pois eu tenho o discurso dela no congresso onde antes elea invoucou até trechos bíblicos para ser contra a soja trangênica e agora se diz contra? Acendeu uma luz amarela muito forte, pois a pessoa não pode mudar o discurso de um momento para o outro e, principalmente mentir sobre o que pregava antes. Depois fui ver os grupos que estão apoiando ela e percebi que são os grandes grupos financeiros como o Itaú, além de grandes especuladores e pensei “como uma pessoa que tem por trás dela representantes do mercado financeiro e especulativo que não produzem um prego sequer pode ser bom para os trabalhadores?”. Nesse momento a luz amarela se tornou vermelha. Depois veio o caso do avião e ela tentou passar que não nada com o caso e o partido dela dando as desculpas das mais esfarrapadas sobre o assunto, como se alguém fosse acreditar que alguém venda, empreste ou doe um avião de 20 milhões assim, no bico, sem nada escrito e ainda envolto num mar de laranjas e não estamos falando de um TV um liquidificado, mas de um avião de vinte milhões e ninguém tem documento algum?? Ai a luz que já estava vermelha começou a tocar sirenes junto. Nesse ponto já estava decidido a não votar em Marina nunca mais, pois ela traiu tudo que dizia representar e tenta se passar como “a nova política”, praticando “a velha política” muito mais que os seus concorrentes. E não sou tão bobo assim como ela pensa. E para jogar a pá de cal foi ver ela mudando em vinte quatro horas seu programa de governo que havia lançado OFICIALMENTE, porque tomou um “PITO” do pastor. Nada contra os pastores em geral, mas se ela é tão subordinada assim a um homem, como aguentaria qualquer pressão dos grupos mais fortes de mídia e dos banqueiros e especuladores por trás dela? Enfim, foi por isso que votei uma vez em Marina, mas agora não voto nunca mais.

     

    _______________________________________

     

    PS – Esse é um texto de sátira, para demonstrar como é fácil fazer esse tipo de texto, para dizer que “MUDEI”, como eles fazem contra o PT, em incontáveis factóides deste tipo, mas só que começando “Votei no Lula… ou Votei no PT (e depois) Mas não voto mais”.

    Eu votei no Lula e na Dilma e voto de novo na Dilma, mas só quis demonstrar como é fácil fazer um texto “MUDEI” e jogar na internet e olha que no texto eu não precisei mentir sobre nada em relação a Marina.

    • Muito bom, Eduardo Pereira. O

      Muito bom, Eduardo Pereira. O que mais me chama atenção  é o trecho “…como aguentaria qualquer pressão dos grupos mais fortes de mídia e dos banqueiros e especuladores por trás dela?” Embbora eu admire a história pessoal de Marina, nunca me enganei com essa de “nova política”. Política é política e pronto. Lembro que ela não conseguiu sequer criar o próprio partido, como ela enfrentaria o “centrão” no congresso? Como ela enfrentaria as manipulações da imprensa que hoje a incensa? Eu arrisco um palpite (torcendo sinceramente para estar errado): se fazendo de vítima.

  12. Vai ser sensacional quando as

    Vai ser sensacional quando as pesquisas começarem a mostrar os índices vitoriosos da Dilma. Vai ser algo de ficarmos aqui no bate-papo , conversando , comemorando, curtindo por semanas, coisa mais linda. Cada pesquisa mostrada novos índices de Dilma, 40%, mais uma pesquisa, 43%, mais uma e lá vai para 46%, faltando 2 semanas 48%, e alguns em depressão, alguns agressivos, e faltando uma semana 49% e o grande dia, na quinta-feira mostra a onda vermelha vencedora, 51%. Na contagem , no finalmente, 60% dos votos válidos e a Presidenta Dilma reeleita. 

    • Bom, da minha parte estou

      Bom, da minha parte estou trabalhando muito para que isto se concretize… 

       

      E falando num assunto paralelo  segue o link sobre o Plebiscito Popular pela Reforma Política – plebiscito por uma constituinte exclusiva para a reforma política. Proposta da Dilma após as manifestações de junho / 13 e que o Congresso, claro, engavetou mais que depressa.. 

      http://www.plebiscitoconstituinte.org.br/o-que-%C3%A9-o-plebiscito-pela-constituinte

       

      De 01 a 7 de setembro/ 14 como comitês e locais de votação espalhados por todo Brasil.

      Também dá para votar pela Internet, neste mesmo site do link. 

       

      Abs

  13. É por conta de dados como

    É por conta de dados como estes, os que estão com Osmarina, que eu pouco estou me importanto com programa de governo ou o que ela diz. A gente sabe o que eles fizeram no verão passado.

  14. Ta faltando o Malafaia , ele

    Ta faltando o Malafaia , ele tem doutorado em que ? já mudou até proposta de governo da Marina , deve ser o mais poderoso da equipe.

    • SO MALAFAIA?

      Ainda faltam muito mais

      Bornhausen, Heráclito Fortes, Feliciano, Malafaia, bancada ruralista e nomes que não conseguíriamos reunir numa mesma mesa, nem com arma apontada na cabeça.

      Agora um governo que os principais assessores são ligados aos rentistas e à elite mais luxuosa do País vai dar em que?

      É certeza que os trabalhadores e os empresarios – a produção – serão penalizados e sofrerão bastante.

      Lara Rezende, eu não esqueço – esteve na turma que fez o plano collor. Meu pai, infelizmente, enfartou, pois toda a sua poupança, que fazia para pagar seus credores, foi confiscada. Morreu tempos depois. Posso esquecer?  É claro este plano fez a infelicidade de milhares de brasileiros e acredito que os poderosos souberam o que viria e retiraram a grana do País antes do acontecimento.

      Assim, tenho paura desta gente.

  15. Grande imprensa e o povo

    O nosso povo tem que desconfiar: quando a grande imprensa difama, este governo pensa no povo e no futuro do Brasil. Quando elogia, que fique atento: de povo e de Brasil, o governo ou candidato(a) elogiado(a) não tem nada.

  16. título vale, sim, mas vale


    título vale, sim, mas vale mais a inteligencia e para wue lado ela vai – para beneficiar a maioria ou a minoria?

    essa é a essencia, delfim era craque mas defendia que o bolo crescesse para depois distriibuir, isto  na ditadura

  17. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome