O risco da sobrecarga de energia para residências e condomínios

Jornal GGN – Os tempos mudaram assim como a quantidade de equipamentos eletrônicos presentes na vida diária de tantos brasileiros. Há algumas décadas, quando construídos, os imóveis não previam esse aumento de equipamentos plugados 24 horas por dia nas redes elétricas. Com este aumento de ‘gadgets’ a rede elétrica precisou se adequar, e o fez em construções mais recentes, agüentando a carga extra demandada. Mas e as edificações antigas?

Se as instalações elétricas foram projetadas e implementadas conforme as normas vigentes na época da construção do imóvel, sem jeitinhos ou sobrecarga, significa que não sofrerão demais com o passar dos anos, mesmo com a carga extra dos equipamentos novos. No entanto, a queima dos fusíveis ou desarme de disjuntores poderá ocorrer, sempre que a rede não suporte a carga em questão e, caso aconteça, é preciso a presença de um profissional qualificado para resolver.

Sem conhecimento técnico, a pessoa só trocará o fusível ou disjuntor por outro de maior capacidade, que não queima ou desarma, fazendo com que a quantidade de energia elétrica utilizada pelo consumidor sobrecarregue a fiação. Isso sim é um grande problema, pois traz o risco real de incêndio.

Para cercar a questão é preciso fazer redimensionar a rede elétrica. Esta medida deverá ser tomada quando ocorrerem, com freqüência, interrupção de fornecimento de energia, variação no nível de tensão, curto-circuito e aquecimento nos cabos e equipamentos de distribuição. Esses problemas são sinalizadores de que existe baixa potência de entrada de energia no local.

A estabilidade é desejável, e afasta riscos desnecessários. Para isso é preciso pedir o aumento de cargo junto à concessionária de energia elétrica. O certo é que este dimensionamento seja feito por um profissional credenciado pelo CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia), que deverá fazer um projeto de acréscimo de carga, que será protocolado e aprovado pela companhia distribuidora de energia.

Depois deste passo, o próximo é trocar a fiação que vai da entrada até os apartamentos, ou residência, se for o caso. Esta fiação é determinada pela linha vertical, o que pede, por vezes, a troca da respectiva tubulação.

Se é apartamento, é preciso trocar também as instalações internas, como quadro de distribuição e fiação. É preciso que tudo seja analisado, a fim de se determinar a necessidade ou não desta atualização e serviço.

Na incidência de problemas, estas medidas ajudam na segurança, já que muitos incêndios ocorrem exatamente a partir das instalações elétricas. Regularizando a entrada de energia, o condomínio ou residência, operam com maior estabilidade, eficiência e segurança.

 

Cuidados

Para não ter problemas

Especialistas afirmam que alguns cuidados podem ser tomados para evitar o susto da ocorrência de incêndios ou mesmo perda de equipamentos. O primeiro conselho é que não se utilize extensões ou benjamins nas tomadas, pois eles podem triplicar a corrente e sobrecarregar o circuito. Além disso, o fusível ou disjuntor, caso queimem, devem ser apreciados por um profissional credenciado. Para que a segurança seja respeitada, o ideal é contratar uma empresa especializada para fazer projeto e, posteriormente, solicitar o aumento de carga à companhia distribuidora de energia elétrica.

Gambiarras não ajudam o cidadão. Tome cuidado ao solicitar serviços de terceiros, verifique credenciais de trabalho e, só depois, entregue a missão. Com sobrecarga, qualquer ‘jeitinho’ pode ser o estopim para um curto circuito, que pode queimar equipamentos por sobrecarga ou, pior, queimar tudo por incêndio. Cerque-se de cuidados neste quesito e, de quebra, faça campanhas regulares por uso consciente de energia elétrica. Isso também ajuda a manter tudo no eixo.

 

SERVIÇO

Dicas para economizar energia elétrica preparada pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR) 

1. com iluminação:

  • utilizar cores claras na pintura de paredes internas e do teto;
  • utilize a iluminação de acordo com o tamanho e a finalidade do ambiente;
  • aproveitar ao máximo a iluminação natural;
  • estude a possibilidade de abrir novas janelas em pontos estratégicos da sua casa; por desinformação das pessoas na hora de construir, acabamos por perder grandes oportunidades de aproveitar a energia do sol, que é de graça. Isso vale também para novos projetos; 
  • utilizar lâmpadas fluorescentes em ambientes que necessitam de maior iluminação (duas lâmpadas fluorescentes de 20 watts iluminam mais que uma incandescente de 100 watts);
  • quer mais? procure pelas publicações da ABILUX – Associação Brasileira das Indústrias de Iluminação;

2.  com o chuveiro

  • no verão, deixe a chave na posição “verão”;
  • estude a possibilidade de instalar um aquecedor de água por energia solar. Atualmente esses aquecedores estão com preços mais acessíveis, e necessitam de baixa manutenção;

3. com a geladeira

  • fazer o degelo periodicamente;
  • evite colocar alimentos ainda quentes. Se não for possível esfriar por completa, coloque-os na parte inferior da geladeira;
  • a geladeira não deve ficar próxima de lugares quentes, como fogão ou a janela que bate sol;
  • não deixar a porta aberta por muito tempo;
  • verificar a vedação da porta. Um teste simples consiste em colocar uma folha de papel entre a porta e a geladeira. Se ao fechar a porta,a folha de papel puder ser retirada com facilidade, as borrachas de vedação não estão mais em bom estado;

4. com os equipamentos elétricos

  • não deixe transformadores (ex: 110/220) ligados na tomada desnecessariamente. Mesmo fora de uso, eles consomem energia.
  • utilize o ferro de passar roupa uma única vez, deixando acumular uma quantidade razoável de roupa. Você pode também alisar com as mãos as roupas logo ao tirar do varal. Isso reduzirá o tempo de utilização do ferro;
  • utilize a máquina de lavar roupa/louça de única vez, deixando acumular uma quantidade razoável de peças;
  • tire os aparelhos eletrônicos da tomada quando estão fora de uso, principalmente a televisão e o vídeo cassete;

 

Fonte: UFSCAR

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora