Maçonaria x Intervenção Militar, por Kennyo Ismail

de No Esquadro

Maçonaria x Intervenção Militar

por Kennyo Ismail

É melhor prevenir do que remediar, então vamos lá:

Está correndo solta, não somente nas redes sociais, mas nos maiores (não melhores) veículos de comunicação do país, a notícia de que um general do exército brasileiro (Mourão) deixou a entender, durante uma palestra, que ele e seus pares pensam em intervenção militar se julgarem que o poder judiciário não conseguirá limpar a classe política do país.

Alguns integrantes do governo se manifestaram, exigindo explicações das Forças Armadas. Então, o comandante geral do exército deu seu leve puxão de orelha no general bocudo, que fez seu ainda mais leve “mea culpa”, dizendo que, apesar de fardado na palestra, e de ter mencionado seus pares, somente falava por si.

O problema é que alguns jornalistas têm replicado a notícia, mencionando que a palestra ocorreu na Maçonaria. E antes de alguém dizer que a maçonaria brasileira apoia uma intervenção militar, seja achando bom ou condenando isso, cabe aqui alguns esclarecimentos:

Não existe uma única maçonaria brasileira. Há, pelo menos, três grandes vertentes maçônicas brasileiras em âmbito nacional: os Grandes Orientes Estaduais federados ao GOB – Grande Oriente do Brasil; as Grandes Lojas Estaduais confederadas à CMSB – Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil; e os Grandes Orientes Autônomos ou Independentes confederados à COMAB – Confederação Maçônica do Brasil.

Essas três vertentes nacionais são organizações totalmente independentes entre si, mantendo apenas uma relação amistosa (às vezes nem isso) entre seus dirigentes. Não há um único líder que possa falar em nome da “maçonaria brasileira”. Nem mesmo os três líderes de cada uma das vertentes mencionadas têm total liberdade de se manifestar em assuntos não-maçônicos sem a autorização de seus representantes estaduais (Grão-Mestres).

A palestra em questão foi promovida pela primeira vertente mencionada, o GOB. A CMSB e a COMAB, que juntas somam mais do que o dobro de membros do GOB, não participaram. Creio que sequer tinham conhecimento do evento.

Apesar de uma possível falta de bom senso na escolha do palestrante, já que o general em questão tem um histórico de pronunciamentos, no mínimo, imprudentes, o GOB não pode se responsabilizar nem ser responsabilizado pelo conteúdo do discurso de um palestrante convidado.

Por fim, para que não reste dúvidas, a maçonaria tem, entre seus princípios, um compromisso com a preservação e promoção dos ideais democráticos, dos quais serviu de incubadora no século XVIII.

Maçonaria x Intervenção Militar

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

21 comentários

  1. Golpe 1964

    Dos males o menos pior! Em 1964 nenhum dos militares do alto comando fez palestra, se fez ainda não sabemos, sinalizando a possibilidade de uma intervenção militar, todos sabemos que tudo foi muito bem planejado com a participação da CIA e dos empresários nacionais sob o argumento que com Jango nos tarnaríamos satélite de Moscou. Nenhum golpe com utilização da força repressora Estatal é pré anunciado e propagandiado. Afinal essa propalada intervenção seria contra quem mesmo? Contra a CIA e os interesses expansionistas de mercado incentivados pelo pré-sal? Não. Contra os rentistas que recebem mais da metade dos nosso orçamento configurado na dívida pública? Não. Contra os latifundiários que ao contrário das democracias modernas inistem em barrar a reforma agrária? Não. Não, não vai ter intervenção militar, o Golpe em benefícios desses que foram citados e em detrimento dos interesses da nossa soberania e do povo brasileiro já aconteceu em 2016. A possibilidade ventidalada de nos tornarmos uma Venezuela a esquerda, foi derrotada e nos tornamos uma Venezuela a direita. É bom lembrar que esse argumento de Bolivirianismo no Brasil nada mais era que despolitização incentivada por setores da direita e da mídia golpista. Onde já se viu Boliviarismo com Kátia Abreu (com respeito) no MInistério da Agricultua, Armando Monteiro um Democrata/Liberal no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e Joaquim Levy como MInistro da Fazenda, um quadro do Fundo Monetário Internacional. Tenha paciência!!!

  2. a má fama da maçonaria

    Ok, é injusto julgar sem conhecer profundaente, ainda mais em um grupo tão dividido e formado por tantas individualidades.

    Porém ofato é que é muito comum pessoas desconfiarem dos maçons. Se é uma desconfiança justa ou injusta, não sei.

    Tive contato com apenas dois maçons identificados até hoje. Ambos eram advogados. Ambos tinham um senhor patrimônio. E ambos eram picaretas: um enrolava minha mãe semi analfabeta com cobranças intermináveis de custas, e outro era ao mesmo tempo chefe de guarda municipal e advogado criminalista (!), sendo que tinha um patrimônio gigantesco repartido entre suas mulheres…

    Sei que é muito pouco exemplo pra se definir um universo todo, mas são os exemplos que tive de maçons.

  3. isso de só julgar conhecendo profundamente

    é um falso argumento utilizado por quaisquer pessoas ou grupos ao tentar jogar com “o desconhecimento profundo” do outro.

    Qualquer um pode chegar a mil e uima interpretações da Bíblia ou outro livro sagrado pelos seus fiéis usando tal artifício de retórica. Principalmente os grupos que são seitas, cercados de mistérios e segredos.

    Pode ter tido, na História, papel progressista (a religião também pode ter). Mas em determinados momentos. Ou alguns de seus membros. Dominicanos apoiaram a luta armada (uma looucurfa do desespero contra um regime ditatorial que assassinava, censurava, mentia). Mas foram nas Forças Armadas que houve mais perseguição política. Nem precisava ser um Lamarca, um Marighela, um Gregório Bezerra, bastava demosntrar insatgisfação. Outros preferiram se calar, mesmo se opondo. O Cana CURTA! frequentemente exibe documentários diversos, reprisa, de vez em quando. Cito a televisão e este canal porque é visual e falado, ninguém tem saco ou estômago pra ler o que wse publicou em livros, teses. Este também é o motivo pelo qual por melhor que seja uma rede dita social ou blog (com exceções de praxe) podem inviabilizar um debate aprofundado.

  4. ISSO SE CHAMA PANOS QUENTES PARA UMA BOCA GELADA.

    Não de que vertente foram aqueles velhacos maçons de avental e luvas no saguão do congresso, pedindo o impedimento da presidenta DILMA, aquilo foi ridículo e falou por alguma coisa que não era boa, como não foi mesmo. A maçonaria deve desculpas ao povo brasileiro, é normal ler em artigos cito Armando Coelho sobre a participação desse grupo e outros, o qual no meu entender, que eu saiba não existe em seus estatutos algo como derrubar governos o que eu sei é que é uma organização que preza por legalidade, estão fora da curva em ambos os casos o da derrubada da presidenta quanto o da fala do General falastrão, o que foi falado, foi dentro de um templo ou anexos de uma loja regular. Não há lugar para conspirações onde se combate as tiranias e que se prega a legalidade e a constituição. Quem usurpou do poder constituído em nome da maçonaria tem que pagar, afinal, a lei não é para todos? Maçons não são inimputáveis e portando na realidade deveriam sofrer investigações como qualquer um e serem imputados a lei e que fossem fechadas e proibidas até que esclarecido o que verdadeiramente aconteceu, e bem verdade que a maçonaria é muito grande, é bem verdade também que as vozes que ecoaram em prol das tiranias talvez não sejam mesmo a voz da maçonaria, mas soou mau a voz mal dita do golpe ecoando lá de dentro, acendeu a luz sobre a desconfiança de que para quem isso serve e é subserviente. A poeira abaixou, mas no silencio ecoaram muitas vozes, agora é hora de panos quentes para abafar sons que uma boca gelada desferiu contra o povo o furor dos barulhos dos gatilhos e da tortura, em nome de um bem que quem conhece jamais iria querer, a não ser falsos combatentes das tiranias. Tenho dito.

  5. MAIS UM TEXTO DEFENDENDO ESSA

    MAIS UM TEXTO DEFENDENDO ESSA MÁFIA,OS FATOS CONTRADIZEM TOTALMENTE TODA E QUALQUER TENTATIVA,OBSERVE QUANTOS CANALHAS QUE ATROFIAM,MANIETAM ROUBAM E TORTURAM O BRASIL SÃO MAÇÕNS EU PESQUISO QUASE TODOS OS DIAS E PREGO A EXTINÇÃO OU A EXPULSÃO DESSA SEITA SECRETA DO BRASIL. SÓ UMA PERGUNTA : O AUTOR É OU NÃO MAÇOM?

  6. Maçonaria x Intervenção Militar

    Prezado Kennyo, concordo plenamente consigo quanto ao fato de não existir uma única maçonaria brasileira.

    Por outro lado, não há como colocar no mesmo plano as “grandes vertentes maçônicas”, minimizando desta forma a importância da mais antiga obediência maçônica do Brasil (o GOB foi fundado em junho de 1822 como a primeira obediência maçônica da América Latina). E a única das três que recebeu a chancela da Grande Loja Unida da Inglaterra,a quem está subordinada e que tem (ou teve) como Grão-Mestre Distrital, o marido da ex-presidente da Petrobras no governo Dilma.

    Assim sendo, a palestra do general Mourão na sede do Grande Oriente do Brasil, bem como a do camandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Villas Bôas, que lá esteve, igualmente fardado (vide “Uma Contribuição ao Xadrez da Maçonaria no Brasil” – parte 1, neste Jornal GGN), tem, sim, um significado muito grande, pois não se trata-se de um “Irmão” qualquer.

    E isso é muito grave. Se vai ter intervenção militar ou não, isso é outro problema. A questão que se coloca é saber o deseja a maçonaria brasileira, através da sua mais representativa obediência, promovendo e divulgando iniciativas como essa.

    É isso que está em causa e é isso que precisa ser esclarecido por suas lideranças.

  7. Maçonaria

    Caro Kennyo, não sei se você é um iniciado ou não, acredito que sim, entretanto, nós, os iniciados progressistas, que defendemos a democracia e o estado de direito, temos sido constantemente admoestados, inclusive durante as seções, pela grande maioria dos irmãos. Independentemente da potência, o retrocesso e o atraso se consolidaram na Ordem, e não é de hoje. A mim não atingem, pois, mandeios à merda e fui cuidar da minha vida, amando a democracia, defendendo o estado de direito e desejando ardentemente a volta do Lula!!!

    • Resposta a um Goteira idiota
      Caro julio César sois? Me admira uma pessoa que parece ter um grau razoável de cultura e si proclamando maçom, falar uma barbárie desta. Insinuando a volta do maior bandido que sua pátria já teve. Me desculpe mas você para mim e a maioria dos irmãos… Não passa de um profano de avental. “Si é que sois um maçom” tenho dito!

    • Resposta a um Goteira idiota
      Caro julio César sois? Me admira uma pessoa que parece ter um grau razoável de cultura e si proclamando maçom, falar uma barbárie desta. Insinuando a volta do maior bandido que sua pátria já teve. Me desculpe mas você para mim e a maioria dos irmãos… Não passa de um profano de avental. “Si é que sois um maçom” tenho dito!

  8. Democrática?

    Penso que uma entidade que tem como princípio privilegiar os irmãos, até em detrimento de terceiros, não pode ser considerada democrática. Imagine essa circunstância no/perante o serviço público. Bom, se bem que alguns consideram que democracia é, simplesmente, essa pantomima eleitoral a cada 2 anos (que nem assim é respeitada).

  9. Mas é oooooobvio que nenhuma
    Mas é oooooobvio que nenhuma das maçonarias apóiam a intervenção militar. Os maçons não falsificaram os documentos dizendo que o Brasil era uma colônia de Portugal, forjando uma “independência” a toa. Fizeram isto já visando uma republiqueta que já era tosca até para a época. Tanto que Benjamim Franklin, da maçonaria norte americana, não quis nem conversa com os maçons brasileiros e ingleses. Esta republiqueta brasileira foi criada nos mesmos moldes que hoje é usado na África, o de importação de riquezas para a europa em troca apoio à governantes tiranos que mantém o povo na miséria. Óbvio que os aristocratas brasileiros de sua majestade a rainha da Inglaterra, não vão querer ver o exército interferir no sua organização criminosa.

  10. Mas é oooooobvio que nenhuma
    Mas é oooooobvio que nenhuma das maçonarias apóiam a intervenção militar. Os maçons não falsificaram os documentos dizendo que o Brasil era uma colônia de Portugal, forjando uma “independência” a toa. Fizeram isto já visando uma republiqueta que já era tosca até para a época. Tanto que Benjamim Franklin, da maçonaria norte americana, não quis nem conversa com os maçons brasileiros e ingleses. Esta republiqueta brasileira foi criada nos mesmos moldes que hoje é usado na África, o de importação de riquezas para a europa em troca apoio à governantes tiranos que mantém o povo na miséria. Óbvio que os aristocratas brasileiros de sua majestade a rainha da Inglaterra, não vão querer ver o exército interferir nos seus planos de sugar o Brasil.

  11. Capilaridade internacional

    Na África como aqui, parece que eles estão por toda a parte. Alguns países africanos já ousaram enfrentá-los. Após a contaminação das sociedades africanas, começaram as cooptações comerciais, empresariais e a corrupção descontrolada. Tudo isto faz com que os povos africanos da atualidade digam que os maçons estão em todos os lugares, mas a maçonaria não está em lugar algum. É como uma força invisível que atua, e ninguém sabe ninguém viu.

  12. RESPEITO

    Meus prezados:

    Passei o olho na maior parte dos comentários e fico refletindo sobre eles. Atualmente apesar da maçonaria ser universal, ela não possui um comando maior a qual as maçonarias nacionais ou regionais devam hierarquia e obediência; ou seja, não possuímos na maçonaria um Presidente ou Grão Mestre Universal ou Nacional e portanto, não teremos nunca opiniões que representem a maçonaria como um todo. O que resta então são opiniões individuais ou de pequenos grupos. Fico surpreso em ver alguns irmão maçons criticando ou julgando irmãos que se intitulam da direita, da esquerda e etc. Essa é uma prerrogativa da maçonaria em não podermos discutir assuntos de política partidária e de religião. No meio maçônico temos em sua grande maioria senhores já da terceira idade e que vivenciaram ao dito regime militar do passado e naturalmente muitos maçons são da opinião de que foi uma fase boa para o pais sob diversos argumentos! A maçonaria por princípio também é progressita e evolucionista e devemos nos atualizar aos fatos e especialmente aos contextos. Temos no mínimo três vertentes na maçonaria sem contar as ditas expúrias e até a feminina. Precisamos contruir “pontes” ao invés de “muros” como muitos irmãos querem. Unir e debater é um primeiro passo para a evolução. Vivemos em um momento de maçonaria de internet; vemos muitos maçons todos os dias falando de maçonaria e relembrando o passado em suas conquistas e os mesmos estão com frequência abaixo do desejado e diferente ao seus juramentos. Colocar a maçonaria em prática é algo mais difícil do que se imagina devido a vários fatores! Sejamos a favor da liberdade, igualdade e fraternidade! Sejamos mais respeitosos e abertos nos pensamentos e reflexões dos irmãos. Não temos lugar para uma única verdade em nossa instituição. Não temos mais lugar para posicionamentos em ideologias que excluem pessoas, que reforcem o machismo, o racismo, o preconceito, a homofobia, a distinção de classes e intelectualidade, espiritualidade e tudo mais. É tempo de crescermos e evoluirmos positivamente. A sociedade nunca teve uma boa impressão sobre a maçonaria e sobre os maçons, justamente por conta desses comportamentos divisionários entre os próprios maçons. Agora tenho visto a manifestação mais recorrente da igreja católica contrária a seus fiéis que são maçons ou que desejam se tornar maçom; percebemos isso em nossas lojas de forma recorrente também. Nossa instituição não é mais secreta e de longe é discreta, visto a quantidade de informações verdadeiras e falsas disponíveis na internet: são vídeos, textos, artigos e até rituais de vários graus e ritos disponíveis a qualquer um e especialmente aos mais curiosos.

  13. RESPEITO

    Meus prezados:

    Passei o olho na maior parte dos comentários e fico refletindo sobre eles. Atualmente apesar da maçonaria ser universal, ela não possui um comando maior a qual as maçonarias nacionais ou regionais devam hierarquia e obediência; ou seja, não possuímos na maçonaria um Presidente ou Grão Mestre Universal ou Nacional e portanto, não teremos nunca opiniões que representem a maçonaria como um todo. O que resta então são opiniões individuais ou de pequenos grupos. Fico surpreso em ver alguns irmão maçons criticando ou julgando irmãos que se intitulam da direita, da esquerda e etc. Essa é uma prerrogativa da maçonaria em não podermos discutir assuntos de política partidária e de religião. No meio maçônico temos em sua grande maioria senhores já da terceira idade e que vivenciaram ao dito regime militar do passado e naturalmente muitos maçons são da opinião de que foi uma fase boa para o pais sob diversos argumentos! A maçonaria por princípio também é progressita e evolucionista e devemos nos atualizar aos fatos e especialmente aos contextos. Temos no mínimo três vertentes na maçonaria sem contar as ditas expúrias e até a feminina. Precisamos contruir “pontes” ao invés de “muros” como muitos irmãos querem. Unir e debater é um primeiro passo para a evolução. Vivemos em um momento de maçonaria de internet; vemos muitos maçons todos os dias falando de maçonaria e relembrando o passado em suas conquistas e os mesmos estão com frequência abaixo do desejado e diferente ao seus juramentos. Colocar a maçonaria em prática é algo mais difícil do que se imagina devido a vários fatores! Sejamos a favor da liberdade, igualdade e fraternidade! Sejamos mais respeitosos e abertos nos pensamentos e reflexões dos irmãos. Não temos lugar para uma única verdade em nossa instituição. Não temos mais lugar para posicionamentos em ideologias que excluem pessoas, que reforcem o machismo, o racismo, o preconceito, a homofobia, a distinção de classes e intelectualidade, espiritualidade e tudo mais. É tempo de crescermos e evoluirmos positivamente. A sociedade nunca teve uma boa impressão sobre a maçonaria e sobre os maçons, justamente por conta desses comportamentos divisionários entre os próprios maçons. Agora tenho visto a manifestação mais recorrente da igreja católica contrária a seus fiéis que são maçons ou que desejam se tornar maçom; percebemos isso em nossas lojas de forma recorrente também. Nossa instituição não é mais secreta e de longe é discreta, visto a quantidade de informações verdadeiras e falsas disponíveis na internet: são vídeos, textos, artigos e até rituais de vários graus e ritos disponíveis a qualquer um e especialmente aos mais curiosos.

  14. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome