A bravata do pato manco em mais uma provocação contra Putin, por J. Carlos de Assis

Foto CNN

Movimento Brasil Agora

A bravata do pato manco em mais uma provocação contra Putin

por J. Carlos de Assis

Vladmir Putin deve ter nervos de aço. Graças a isso não precisamos temer uma escalada de provocações entre Estados Unidos e Rússia ao ponto de desembocar numa guerra entre as duas potências que, no limite, poderia arrastar o mundo inteiro. Só com muita paciência uma potência nuclear de primeira linha, como a Rússia, dotada também de exército convencional com capacidade tecnológica para enfrentar qualquer adversário, não alimenta o tipo de escalada de provocações que, no passado, levava a grandes conflitos armados.

A probabilidade de 35 russos terem praticado ataques cibernéticos na nação mais avançada tecnologicamente do mundo com o objetivo de prejudicar Hillary Clinton nas eleições é tão alta quanto a de um degelo no polo norte afogar o resto do mundo. Só vassalos vendidos aos norte-americanos quanto William Waack e a equipe de jornalismo da Globo acreditam nisso. Entretanto, manipulando a grande rede de comunicação que patrocina no mundo inteiro, o grupo de Barak Obama promove essa pantomima provocativa.

É claro que o objetivo não é nada trivial. Os neoliberais/neoconservadores que comandam até o momento a geopolítica norte-americana, e que conquistaram para seu lado o prêmio nobel da paz Barak Obama, se esforçam por todos os meios para arrastar a Rússia a um conflito armado com os EUA, preferivelmente fora do território russo, para afastar de uma vez por todas a sombra de uma potência concorrente ao seu destino manifesto de serem donos do mundo. Até o momento, de forma brilhante, Putin tem escapado dessa armadilha.

Pato manco é o nome que os norte-americanos dão aos presidentes em fim de mandato, no período entre a eleição e a posse do sucessor. Em geral, é um período frio no hemisfério norte. Presume-se, do presidente que sai, uma atitude respeitosa com aquele que entra, facilitando o processo de transição. Obama, ao contrário, tem exagerado nas provocações. Tem tomado atitudes em viagem ou dentro dos EUA para tornar a mais desconfortável possível a passagem de comando, tentando levar Trump às cordas.

Imaginem que este foi o presidente que ganhou, na sua entrada, o Prêmio Nobel da Paz e que, no primeiro de seus discursos para o mundo, prometeu, no Egito, engajar-se no propósito de acabar com as armas nucleares. Talvez o ponto de mutação, conforme me lembrou um amigo, foi a molecagem que fez com o presidente Lula e o premiê turco Erdogan em relação ao acordo nuclear com o Irã: depois de estimular esses dois mandatários a mediar o acordo, e depois que eles conseguiram, simplesmente os desautorizou.

O primeiro presidente negro dos Estados Unidos envergonha sua raça com um governo medíocre do ponto de vista internacional. Reconheço que, internamente, ele enfrentou bem a crise iniciada em 2008 e conseguiu reduzir bastante o desemprego. Para fora, que é o que nos interessa, foi um desastre. Seu pior desempenho é em relação à Rússia, uma potência nuclear de primeira linha que tem todo o empenho em conviver bem com os EUA. Por que, então, a teimosia neoconservadora americana  de provocar a Rússia?

Note-se que todos os acordos estratégicos feitos por Gorbachev e Yeltsin para possibilitar a reunificação alemã foram rompidos. A OTAN estabeleceu um cerco crescente em torno da Rússia, expandindo sua presença militar a nove países do Leste Europeu. A Rússia tolerou discretamente, até que os vassalos dos ocidentais tentaram ocupar a Geórgia e a Ucrânia, limítrofes da Rússia. Aí era demais. Putin moveu suas forças para acabar com a dissidência pró-OTAN na Geórgia, favoreceu a virtual divisão da Ucrânia mantendo em sua vizinha a parte russófila e, mestre da estratégia, promoveu a anexação consentida da Crimeia.

O fato é que toda vez que a Rússia se mexeu, reagindo a provocações americanas, ela saiu ganhando. O último ato é o acordo de paz que acaba de ser assinado pelo presidente Assad, da Síria, que a rede Globo, seguindo suas patrocinadoras mentais americanas, insiste em chamar de ditador. Acredito que as provocações vão acabar com a entrada de Trump em cena, numa aliança com Putin para liquidar o Estado Islâmico. O mundo será muito melhor. Depois disso, tenho a impressão de que o prêmio Nobel que Obama ganhou na entrada Trump acabará tomando na saída.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  O fim do governo Trump e seu sombrio legado, por Arnaldo Cardoso

42 comentários

  1. Putin já anunciou que não vai

    Putin já anunciou que não vai expulsar diplomatas americanos da Rússia.

    Vai aguardar a posse de Donald Trump.

    Mais uma paulada no lombo de Obama.

    Placar final:

    Putin 7 x 1 Obama.

  2. “Talvez o ponto de mutação,

    “Talvez o ponto de mutação, conforme me lembrou um amigo, foi a molecagem que fez com o presidente Lula e o premiê turco Erdogan em relação ao acordo nuclear com o Irã: depois de estimular esses dois mandatários a mediar o acordo, e depois que eles conseguiram, simplesmente os desautorizou”:

    Uma trairada espetacularmente publica, por sinal.

  3. Análise muito boa.
    Só acho

    Análise muito boa.

    Só acho que perde tempo dando atenção à mídia infantilizada que já estamos carecas de saber a quem servem. Deveria ignorá-los solenemente… 

  4. Assad ditador
    Claro que só na cabeça dos vendidos do Império. Afinal de contas, o povo sírio elegeu democraticamente Assad em… no ano de… Prof. Assis, qual foi o ano mesmo?

  5. Barômetro paulista

    “A probabilidade de 35 russos terem praticado ataques cibernéticos na nação mais avançada tecnologicamente do mundo com o objetivo de prejudicar Hillary Clinton nas eleições é tão alta quanto a de um degelo no polo norte afogar o resto do mundo.”

    Já a probabilidade de meia dúzia de americanos – detentores de toda a tecnologia e fabricantes das urnas brasileiras – decidirem as eleições no Brasil é tão alta quanto um toró em São Paulo…

  6. Os Russos estão com a melhor arma contra Obama, o deboche!

    Com a história da “diplomacia de cozinha” a foto do “pato manco”, Obama vai sair da Casa Branca com o estigma dos mais desmoralizados presidentes norte-americanos.

    A grande diferença que os Banques não notaram, que do lado Russo não tem mais representantes meio truculentos e grotescos do tempo da Guerra Fria, agora tem um presidente sofisticado e que pensa com várias jogadas de avanço o que deve fazer, não esqueçam que os Russos são os melhores enxadristas do mundo!

  7. E difícil entender a adoração
    E difícil entender a adoração religiosa que o autor dedica ao Putin e a inversamente proporcional ojeriza a tudo que é americano. Só uma 10 anos de terapia para salvá-lo dessa cegueira desabilitante.

    • Uma imagem diz tudo

      Enquanto comentários idiotas como esse, que seja um só, no Brasil, continuaremos a ser um país de imbecis, porque isso pega como sarna.

      País com população sarnenta, mais do que ser só um vira lata, é muito pior quando além de ser vira lata, é também sarnento.

      Essa imagem abaixo diz tudo.

      http://agenciabrasil.ebc.com.br/rio-2016/foto/2016-08/rio-de-janeiro-presidente-interino-michel-temer-o-ministro-do-mre-jose-serr-17

    • O Ditador
      Eles imaginam e sonham que Putin reviverá a grande URSS.Ainda falam que só a direita é burra.Leiam George Orwell

    • Engraçado é que tudo que os

      Engraçado é que tudo que os nossos “progressitastas” odeian (no Ocidente) está estampado na cara de Putin: machista, misógeno, homofóbico, xinófobo (quantas migrantes a Rússia recebeu?, Zero nenhum), um ditador completo que cerceia a imprensa e favoresse os amigos num capilalismo de compadria que remonta ao começo do século 20.

      Vá entender o que se passa na cabeça de nossos esquerdistas, no mínimo ainda acreditam (num lance de saudosismo carpideiro) que a velha União Soviética vai voltar para reformar o mundo.

       

       

      • Humorista

        Zé Trindade por Zé Trindade, eu prefiro o humorista, em que pese o genérico tentar ser engraçadinho.

    • Não duvido, esses burros

      Não duvido, esses burros Democratas são golpistas experientes. Parece haver uma predileção pela morte dos oponentes.

  8. Assad foi eleito presidende

    Assad foi eleito presidende  em  junho de  2014,com 88,7% do  total dos  votos para um terceiro mandato. Para  globulosos e direitistas ,presidente que se opõe  ao “Ocidente”,é sempre   “ditador”…

  9. . Só com muita paciência uma
    ” Só com muita paciência uma potência nuclear de primeira linha, como a Rússia, dotada também de exército convencional com capacidade tecnológica para enfrentar qualquer adversário, não alimenta o tipo de escalada de provocações que, no passado, levava a grandes conflitos armados.”

    As forcas armadas russas e seu arsenal nuclear são herança do há muito defunto Imperio da União sovietica.
    Hoje a Rússia de Putin é uma país de economia de medio porte com um PIB do mesmo tamanho do basileiro e, pior, que depende umbilicalmente da exportação de um produto: o petróleo e do gás dele derivado. Petróleo que o mundo tem em abundância.
    É evidente que o braço militar do governo russo e muito maior do que o país suporta sustentar. Hoje o grande Estadista Putin já não consegue pagar os aposentados pois todos os recursos do estado são drenados com gastos para sustentar uma máquina militar hipertrofiada, despropocionalmente maior do que a economia real do pais consegue suportar. Internamente ele manobra politicamente com o orgulho saudosista da populacao dos tempos do grande Império comunista, aposta na disposicao do povo ao sacrifício pela “mae russia”. Sacrificio pelo sonho de um grande imperio que não voltará mais. O mundo rodou e o Império rodou junto com ele.
    Putin e o ditador de um pais de medio porte que herdou de seus avós ricos uma mansão que ele não tem dinheiro pra sustentar.
    Estadista so existe nos sonhos do Assis.
    Aliás esse russo é o par perfeito para o Trump. Um estadista fake e um presidente trambiqueir fake.

    • Tua análise é rasa demais

      Tua análise é rasa demais para que seja apreendida como um contraponto ao texto sob comento. Inicia com obviedades do tipo “hoje a Rússia é um país de economia de médio porte com um PIB do mesmo tamanho do brasileiro……), passa por falácias e encerra com bobagens.

      A Federação Russa, mesmo como potência média em TERMOS ECONÔMICOS, continua sendo em termos geopolíticos a única que tem a capacidade de encarar os EUA com seu poderio econômico, ainda que este esteja em declínio. Isso é fato. Junte-se a isso o dito softpower que no caso estaria na tradição(a Rússia desde o século XVI tem sido protagonista local ou global);  o altíssimo nível técnico e científico(há autores que a consideram vencedora da corrida espacial, não só pioneira); um território vasto, quase ilimitado, de importância vital em termos estratégicos. 

      Há problemas? Sim, a começar pela dificuldade em sair dos regimes autoritários, fruto de condicionamentos históricos para a formação da mesma, demográficos e, como evidente, os desajustes econômicos remanescentes ainda das disputas da dita “guerra fria”. 

      Simplismos e reducionismos não são bem vindos para análises do tipo. 

       

      • A relevância geopolitica da
        A relevância geopolitica da Rússia repousa no seu poderio militar que ela tem dificuldade de sustentar. Altíssimo nível técnico o Japão e a Suíça também tem e nem por isso se tornam automaticamente players de primeira no tabuleiro geopolitico mundial. Os russos correm contra o tempo. Armas nucleares têm prazo de validade e o gigantesco estoque de ogivas russas está velho necessitando ser desmontado e substituído. A manutenção e atualização dessas armas é uma das despesas mais altas de pais nuclearizado.
        A sua dificulade de sair do sistema autoritário repousa justamente na tradição histórica. E essa tradição leva o povo a admirar políticos autoritários e Putin se aproveita disso, então cria-se o círculo vicioso, De todo modo a condição mais ou menos autoritária do governo russo não muda as chances de ele ascender ao máximo protagonismo geoopolitico. Não foi o regime democrático que levou os EUA a ser a potência hegemônica. O mesmo se pode dizer do Império soviético.
        O que defendo é que a ambição de Putin de trazer de volta a grandeza historica do passado a partir de sua proatividade militar não vai funcionar a médio e longo prazo. Ele ganha batalhas mas ficará sempre limitado pela sua dimensão econômica.
        Para terminar não vejo que grande ganho para o mundo ter a Rússia de Putin ascendendo a primeira grandeza geopolitica mundial como parece crer o autor do post. Que grande vantagem ética os russos tem sobre o americanos na relacao com as minorias ou seus paises satelites. O que Putin fez na Chechênia? Duvido que quem espuma ódio contra o Império americano ficasse em melhores condições se estivéssemos sob a área de influência econômica russa ou chinesa. O pecado original do autor do post é o ódio cego aos demônio americano. Então qualquer um que se contrapunha a ele é imediatamente alçado a condição de herói. Em geopolítica tudo são interesses, tudo é jogo de poder.

        • Só pode
          Ser pago pata dizer tantas asneiras em tão poucas linhas.

          Como alguém com aprovação de 95% é autoritário?
          Ele teve 75% dos votos. 20% para comunistas que são mais radicais que ele é que também lhe dão suporte.

          A sua oposição resume se a uma fração dos 5% restantes.

          A Rússia é o país que mais ampliou suas reservas EM OURO.
          Um país em dificuldades ampliá reservas como? E isso sob sanção. …

          A modernização as forças armadas russas vai de vento em popa.
          Observe o FATO de que enquanto os EUA combatiam o Estado Islâmico, esta organização terrorista Ganhou amplo território.
          Ou seja, derrotaram o Pentágono.

          Mas não o POBRE exército russo…

    • Sua análise
      Não condiz com a realidade.

      O arsenal nuclear russo é MUITO superior ao dos EUA por exemplo.

      Digite no Google “novo míssil nuclear” e veja os resultados.

  10. Excelente o texto. Faço

    Excelente o texto. Faço apenas uma ressalva quanto a isso(os grifos são necessários):

    O primeiro presidente negro dos Estados Unidos envergonha sua raça com um governo medíocre do ponto de vista internacional.

    Qual a necessidade e por que insistimos ainda em destacar aspectos meramente pessoais, em especial o atinente a cor da pele que, no caso ainda ainda emerge mais patético com o termo “RAÇA”? 

    Ora, prezado J. Carlos de Assis: seres humanos, como já asseverado por especialistas, não se sub-dividem em “raças” ou qualquer outra singularidade. Isso não é opinião: é FATO! 

    Com a mesma ênfase, indago: por que só a ele que por uma contingencia tem a pele escura, cabelos duros e outros características anatômicas singulares, é feita essa cobrança acerca da possibilidade de envergonhar sua “raça”?

    Será que ao remeter a Nixon, um mentiroso; ou a um Harry Truman que autorizou a matança de mais de 200 mil seres humanos só por questões geopolíticas; ou a um Ronald Regan, um fanático e desumano conservador, o senhor os intimariam com a imputação de que “envergonharam(ou envergonham, se no tempo presente) suas “raças”, que por acaso é a de pele branca e de longa tradição judaica-cristã, e não africana?

    Leio sempre suas postagens e os acho ótimos. Não faço julgamento moral com esse alerta. Longe disso. Peço apenas que o senhor, se for caso, pense sobre a total inadequação desse reforço retórico. 

    PS: tenho a pele branca, mas miscigenado. 

     

    • Não é apenas importante. …
      É fundamental que ele o diga!

      Para que vc possa VERIFICAR o uso que o STATUS QUO faz das minorias PARA continuar no PODER!

      Há diversas outras agendas de MINORIA sendo CONTROLADAS por está força que DOMINA o mundo.

      Democracia é o governo da maioria! Isto é uma definição!

  11. Desmoralização completa do Oscar.

    OPS, do premio Nobel, pois o Oscar já está desmoralizado faz tempo, desde que a Fernanda Montenegro não o venceu por sua interpretação em Central do Brasil e mt menos a indicação de Marília Pera por Pixote.

    Deram correndo ao Obama, antes que o Lula fosse indicado.

  12. Obama sempre foi um pato
    Obama sempre foi um pato manco.Essa história de Prêmio Nobel a ele concedido,entre naquilo que Nassif costuma rotular de “acertos por cima”.

  13. Nada tenho em comum com o
    Nada tenho em comum com o emperucado exótico Donaldd Trump, o que me causa verdadeira urticária,é esse Partido Democrata Americano,que mantém uma filial no Brasil,as Organizações Globo,suas penas amestradas e seus agentes travestidos e travestidas de jornalistas.

  14. A próxima do Tzar Volodya

         A intervenção na Syria, um local bastante midiático, deu a Putin preponderancia regional, influenciando até mesmo a Turquia, lembremos que recentemente caças turcos abateram uma aeronave russa, mas pelo jeito esta situação foi relevada, afinal Erdogan percebeu que seus “aliados” ocidentais, até mesmo a NATO, se não contribuiram diretamente na fracassada tentativa de golpe que ele sofreu, mas que se omitiram nas horas mais cruciais foi uma realidade incontestavel*.

          Fortalecido, ainda mais com a saida do Obamabanana, com Trump assumindo e tendo como Conselheiro de Segurança o “russófilo” Gen. Flynn, Putin irá voltar-se para a ” Questão Ucraniana “, forçando que já no 1o trimestre de 2017, o Acordo Minsk 2 seja definitivamente implementado ( autonomia administrativa – politica total dos Oblasts de Luhansk e Donetsk e região do “Donbass” ), ou caso lhe seja de sua conveniência, garantir que estes Oblasts ucranianos, sejam reconhecidos pela Russia, como Republicas autonomas, sob proteção da Russia.

          * NATO sabia, em tempo real, das movimentações militares turcas anti-Erdogan, principalmente as das unidades rebeladas de sua Força Aerea, uma vez que – jornalistas não sabem ou não se interessam sobre isto, ou não podem -, qualquer decolagem de aeronave NATO, na região do Mediterraneo, é pré-aprovada ( AMO: Air Mission Order ) e controlada pelo Centro NATO em Torrejón ( Espanha ),portanto caso “plotada” uma decolagem sem uma “MO”, o controle segue em rota a (s) aeronave(s) ( Link 11,14 ou 16 ), e automaticamente, comunica-se com o Comando da FA que “liberou”, tipo assim: “Que porra de missão é esta ? “, no caso de “não resposta” ( radio ou datalink ), a próxima comunicação NATO é com o governo central responsavel.

              Outro absurdo, até ridiculo, foi que aeronaves turcas rebeladas ( F-16C ), teriam sido reabastecidas no ar , então neste caso é mais certo ainda dizer que a NATO sabia de tudo, pois missões deste tipo dependem de prévia autorização NATO, elas vem “penduradas” na AMO, uma vez que no contexto da NATO, as aeronaves de reabastecimento, inteligência eletronica e/ou monitoramento ( AWACS ) – “multiplicadores de força ” – são comandadas por ela, de acordo com as demandas dos paises-membros, nem vou comentar sobre os E-3A Sentry da NATO ou da USAF, que orbitavam na região leste mediterranea, que “ouviam” tudo que se passava na Turquia.

    • Caro Junior

      Fico espantado com seu conhecimentos estratégicos que acontecem no mundo. Você está envolvido profissionalmente com isto ou apenas lê por curiosidade. E, se não for inoportuno, quais as suas fontes?

       

      • Isso tudo
        É básico na mídia alternativa. Que vai além do que ele disse e aborda os assuntos de maneira mais DIRETA. Então, para entender antes vc tem que saber como eles vêem o mundo…que para eles não é dividido entre ESQUERDA e DIREITA.

        Há diversas fontes em inglês…Como por exemplo :
        http://www.zerohedge.com/ Um dos maiores sites de informação do mundo….É que “ninguém ” conhece hehehe.
        http://thesaker.is/ este é meu preferido.
        http://www.globalresearch.ca/ este deve ser consumido com extremo cuidado porque há textos legítimos mas há também muita desinformação. Diferenciar é uma arte E deve ser sempre seu principal objetivo.

        Mas especializado mesmo neste assunto é este aqui:
        https://southfront.org/

        Há ainda este aqui que parece anti semita mas o cara é judeu….Então, abra sua mente a novas possibilidades.
        http://www.unz.com/

        E um Blog nacional que seleciona textos das mais diversas fontes …

        http://blogdoalok.blogspot.com.br

        Opte pela versão desktop e observe os links no lado direito.

        E cada um destes sites abre possibilidade para outros desconhecidos Ainda.
        Achei um Blog de um professor universitário dos EUA que explica as origens do anti semitismo. Textos sensacionais…
        Vc acha muita informação nos comentários e o melhor é observar como pessoas dos mais diferentes lugares do mundo interpretam determinados eventos.
        Vc vai se surpreender!

  15. De bravata o sr. Assis entende

    A grande bravata do “agorismo” foi a “mega-manifestação” (risos) convocada pelo sr. Assis para o dia 7 de dezembro do ano passado. Ele só não disse onde nem a que horas. Acho que só por isso ela não aocnteceu.

    Em seguida, bradou um “Fora, Temer” pra lá de tardio. Esperando o quê?

    Mais recentemente, a admiração incontrolável por Trump, apenas porque este parece confrontar o “estabilishment” estadunidense, o que é uma interpretação grosseira e superficial do fenômeno. Mas isso basta para tornar o milionário um novo “aliado”. Para piorar, ainda menciona de forma racista a atuação de Obama.

    Por aqui, apoiou o obscurantista senador e “ex-bispo” da IURD, Marcelo Crivella à prefeitura da Muy Sofrida São Sebastião do Rio de Janeiro, após ter traído a confiança da sra. Dilma Rousseff. E, como se não bastasse, apoia o dep. Leonardo Quintão à presidência da Câmara apenas pelo fato de este ter se contraposto oportunisticamente ao agora pato manco Eduardo Cunha.

    Isso é o “agorismo”.

     

  16. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome