EUA não pode continuar derrubando governos na América Latina, diz Bernie Sanders

Do Opera Mundi

‘EUA não podem continuar intervindo e derrubando governos na América Latina’, diz Bernie Sanders

Pré-candidato diz que intervenção dos EUA na região é ‘inaceitável’ e que, caso seja eleito, fomentará ‘relação baseada no respeito mútuo’ com países latino-americanos

O pré-candidato do Partido Democrata à presidência dos Estados Unidos Bernie Sanders disse nesta segunda-feira (18/04) que a política intervencionista de seu país na América Latina deve terminar para iniciar um novo período baseado no “respeito mútuo”.

“Os Estados Unidos não podem continuar intervindo na América Latina e derrubando governos ou tentando desestabilizá-los por razões econômicas”, acrescentou o pré-candidato em uma conversa com o vocalista do grupo porto-riquenho Calle 13, René Pérez “Residente”, cujo vídeo foi publicado na página de Sanders no Facebook

“Temos que ser honestos. A história dos Estados Unidos em relação à América Latina foi a de uma nação poderosa, com o exército mais forte do mundo, dizendo: ‘Não gostamos deste governo, vamos derrubá-lo'”, disse o senador pelo estado de Vermont, acrescentando que “caos” e “massacres” sucederam esses golpes de Estado. “O futuro de cada país deve ser decido por seu povo, não pelos Estados Unidos”, afirmou.

Sanders, que concorre com a ex-secretária de Estado Hillary Clinton pela candidatura democrata à Presidência dos EUA, afirmou que se chegar à Casa Branca fomentará “uma nova relação (com a América Latina) baseada no respeito mútuo” e criticou a atual administração do presidente Barack Obama por não ter feito o mesmo.

 

 

10 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ulisses Galetto

- 2018-11-30 23:36:00

Comentário

É "...não podem...". Os EUA são os Estados Unidos da América do Norte. Plural.

<3

junior50

- 2016-04-20 20:23:19

Perguntas que faltaram

  Caso o Sr. assuma a Presidência, anistiará Oscar Lopez Rivera preso há 33 anos nos Estados Unidos, por ter comandado a Frente de Libertação de Porto Rico ?

   Em 1972 o Comite de Descolonização da ONU aprovou 33 resoluções sobre a independencia portoriquenha, tanto seu partido como o outro, aliás o Congresso Americano, até hj. não reconhece esta resolução, o sr. a analisará ?

    OU, 

    Na CELAC 2015 ( Nicaragua ), uma pesquisa mostra que mais de 60% dos portoriquenhos, querem deixar de ser "cidadãos de 2 a classe " de um "estado - associado ", e unirem-se como o 51o Estado a União, com todas as prerrogativas inerentes a esta condição, o que o Sr. enquanto no Senado fez para isto, ou para os portoriquenhos ?

Lucinei

- 2016-04-20 16:01:37

Isso lembra aquela piada já

Isso lembra aquela piada já antiga que explica por que não há golpe nos EEUU: porque lá não tem embaixada americana...

vera lucia venturini

- 2016-04-20 14:13:00

Começou com a deposição de

Começou com a deposição de Zelaya em Honduras, depois o golpe Judiciário no Paraguai e agora o golpe no Brasil. As formas de atuação da CIA foram se aprimorando mas o Judiciário brasileiro, com PGR, Moro e STF (exceção Marco Aurélio e Lewandovski) estão claramente alinhados com o golpe que os Estados Unidos comandam no Brasil. O STF atualmente tem a cara do seu principal parceiro para o golpe: Eduardo Cunha. E a imoralidade do golpe americano revela-se no parceiro escolhido: Eduardo Cunha.

Tom

- 2016-04-20 12:53:53

Um homem de coragem

Está questionando o que parecia inquestionável na politica dos EUA, mostrando que não há saída para os impasses da sociedade americana senão encarar os fatos de frente, sem dogmatismos nem covardia.

Colhe os frutos dessa atitude com uma enorme popularidade que só não se traduzirá na nominação democrata porque enfrenta um candidata praticamente imbatível, que conta com apoio maciço da midia, do establishment do partido democrata e de todos os setores mais poderosos da economia, além da simpatia popular por ser mulher e por estar há 8 anos na fila para a presidencia.

Mesmo assim está dando uma canseira danada e ainda vai dar muito trabalho na convenção democrata, e se bobear saindo como independente se o partido continuar forçando a barra em favor da Hilary.

O autêntico Coração Valente que tanta falta nos faz na tragica farsa político-econômica que nos massacra.

Cintra Beutler

- 2016-04-20 11:58:52

É impossível mencionar os EUA

É impossível mencionar os EUA sem sofrer retaliação. Ainda que os 3 reinos saibam que os EUA ainda interferem na AL e têm interesse em derrubar governos por aqui, Dilma não irá mencionar isso sem sofrer retaliações ou ser redarguida por algum comunicado "indignado" pelas "declarações infundadas", reforçado pela notificação de que os EUA sempre tiveram uma honrosa relação diplomática com o Brasil, que não interferem nos processos políticos de nenhuma nação, etc, etc. Toda aquela ladainha hipócrita e pseudo-imparcial que os EUA fazem sempre.

A mentirada toda é quando você tem uma golpista como Liliana Ayalde comandando a filial da CIA (embaixada americana) e que conta com os vendidos lesa-pátria de sempre a apoiar tudo isso.

Jaide

- 2016-04-20 11:58:46

O Obama já caiu na real desde

O Obama já caiu na real desde a posse do primeiro mandato.

Teve um momento de bom senso no golpe de Honduras, mas foi enquadrado em seguida.

E o Bernie Sanders, caso chegue lá, também cairá na real deles.

Ou ...

lfmrodrigues

- 2016-04-20 11:50:49

só confirmando

já tem um pré-candidato à prefeitura de são paulo que se compara a bernie sanders. qual era o nome dele mesmo?

é. a vergonha não vai ter fim.

Marcos Antônio

- 2016-04-20 11:34:55

Todos SABEMOS! A Dilma

Todos SABEMOS!

A Dilma sabe!

Ela não falou o NOME ESTADOS UNIDOS AINDA, para "preservar(?)" a relação de alto nível entre os 2 paises!

E ai Obama?

Cai na real...

Está passando da hora...

JSFMarcelo

- 2016-04-20 11:21:10

Por essas e outras não será

Por essas e outras não será presidente. As corporações norte americanas jamais o apoiaram.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador