Continua o aumento de nível do sistema Cantareira

Jornal GGN – A Sabesp ampliou a retirada de água do sistema Cantareira. Mesmo assim, nos últimos três dias o nível das represas aumentou em meio ponto percentual. Ontem, domingo (20), o sistema já contava com 20,3% de sua capacidade, índice que já o qualifica a sair do volume morto.

Da Folha de S. Paulo

Cantareira se mantém em alta apesar de retirada maior de água

Por Fabrício Lobel

Apesar do aumento de retirada de água do sistema Cantareira pela Sabesp (empresa paulista de saneamento), o conjunto de represas continua aumentando seu nível. Nos últimos três dias, as represas aumentaram meio ponto percentual.

Neste domingo (20), o sistema tinha 20,3% de sua capacidade. O índice já qualifica o Cantareira a sair de seu volume morto (porção de água que ficam abaixo do nível zero da represa e que é captada por meio de bombas), o que deve ocorrer até o fim do ano, quando ele chegar a 23%.

O Cantareira está “[há 18 meses]http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/12/1721065-sao-paulo-deixara-o-volume-morto-apos-18-meses.shtml no volume morto.

AUMENTO DE CAPTAÇÃO

Na semana passada, a Sabesp conseguiu a autorização de órgãos reguladores para aumentar a quantidade de água retirada do crítico Cantareira, de 13,5 mil litros por segundo para 15 mil litros de água por segundo.

A Sabesp justificou o pedido dizendo que o aumento de temperatura no fim de ano somado ao período de festas elevaria o consumo de água.

Segundo a empresa, caso a captação não fosse aumentada, as ocorrências de famílias com torneiras secas, fenômeno que ocorre todos os dias durante horas em milhares de casas há quase dois anos, se agravariam.

A estatal também poderá escolher se usará parte dessa água a mais para levá-la a bairros hoje abastecidos pelo sistema Alto Tietê.

A operação ajudaria a aliviar esse segundo sistema de represas, que fornece água para a porção leste da Grande São Paulo e que está com 21,5% de sua capacidade.

A Sabesp conseguiu esse aumento de captação porque, pela primeira vez desde o início da crise hídrica, o volume de água que entra no sistema Cantareira conseguiu se aproximar da média para o mês.

Neste dezembro, a água que chegou às principais represas do Cantareira está 5% acima da média histórica.

Desde 2013, o segundo melhor resultado para o Cantareira foi em outubro daquele ano, quando a entrada de água ficou 22% abaixo da média. Desde então, as chuvas não caíram sobre o Estado e o volume de água que nutre as represas chegou a ficar ficar 87% abaixo da média em fevereiro de 2014.

Para se ter uma ideia, no pior momento da crise, no início deste ano, o Cantareira recebia 8 mil litros de água por segundo. Neste mês, em um dia, essa taxa chegou a ficar em 93 mil litros por segundo.

A Sabesp e os órgãos reguladores esperam que essa tendência de volta à normalidade do regime de chuvas avance pelos próprios meses.

Assim, a captação de água no Cantareira poderia permanecer em 15 mil litros por segundo no início de 2016 se o reservatório continuar armazenando água.

6 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Orlando Soares Varêda

- 2015-12-21 18:57:22

Senhor Doug, se acalme. A

Senhor Doug, se acalme. A oposição ao desastrado governador tucano, não tem como competir, neste particular, com a competente elite PSDB tucana. Os tucanos entreguistas, não tem o menor comprometimento com o Brasil. Por eles, o bom mesmo é detonar o pré-sal, fazer o mar pegar fogo pra comerem peixe moqueado.

Orlando

Doug_SP

- 2015-12-21 16:51:38

Otima noticia! O triste é ler

Otima noticia! O triste é ler comentários de pessoas torcendo contra o aumento no nível das represas.

Como é aquela estória? Ah é, torcida do quanto pior melhor né? E que se dane o povo que fica sem agua.

Vixe

- 2015-12-21 15:26:06

Se tivem os "gestores"

Se tivem os "gestores" (palavra maldita) iniciado um plano de contenção de gasto de água aos primeiros sinais meteorológicos a uns anos atrás de que terímaos períodos londos de estiagem, certamente isto não teria chegado ao pé que chegou.

Mas os "gestores" (palavra maldita que está na moda) preferiram continuarem preocupados com o porque na flexibilidade da cauda da lagartixa e esqueceram de GERIR o consumo de água na região metropolitana de São Paulo.

O resultado está aí.

Somos obrigados a conviver com torneiras secas e gastando rios de dinheiro comprando água de caminhões pipas (para quem mora em condomínio)...

Fred.KG

- 2015-12-21 15:12:15

3 índices

A matéria da Folha escolheu usar o índice 2 - que hoje 21/12; marcava 20,5% de volume armazenado...

Abaixo, os 3 índices utilizados pela Sabesp:  

Índice 1: 26,5 %
Índice 2: 20,5 %
Índice 3: -2,7 %

O índice 3, por utilizar o mesmo método de medição de antes da adição dos volumes mortos no calculo do volume de água armazenado no Cantareira, possibilita melhor comparação com os níveis pré- crise hidrica. É o que dá uma ideia mais clara sobre o estado atual do Cantareira e o quanto falta para alcançar um nível similar ao do pré-crise.

Por exemplo:

Em 21/12/2013 o nível do Cantareira era de + 29% - sem "adição" de volumes mortos...Por estes critérios, apesar das boas chuvas, hoje 21/12/2015; o nível ainda está inferior em - 31,7% ; quando comparado ao volume de água armazenado dois anos atrás...

Luiz Antonio Antunes Machado

- 2015-12-21 14:45:04

Alívio

Que boa notícia, embora seja cedo para festejar,m mas já é um alento. Falta de água noverão é catástrofe. Apesar de toda a péssima administração de recursos hídricos neste país que já vem de muito tempo, talvez tenhamos mais sorte que juizo. Já que se ganhou esse "respiro", deveríamos estudar cuidadosamente como manter um nível mínimo de segurança para não passar "sufoco".  Boa notícia, mas é mais que necessário aumentar as medidas de segurança.

Fabio SP

- 2015-12-21 12:42:27

Justo em ano de eleição?

Justo em ano de eleição? Sacanagem...

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador