Ministro da Educação será ouvido em comissão do Senado sobre áudios

Ministro da Educação seria convocado por requerimento do Senador Randolfe Rodrigues, mas governista Wellington Fagundes conseguiu transformar solicitação em “convite”

Agência Brasil

A Comissão de Educação do Senado agendou para a próxima quinta-feira (31) o depoimento do ministro da Educação, Milton Ribeiro, sobre sua postura de favorecer pedidos de pastores aliados ao governo ao distribuir verbas públicas, segundo áudio revelado pelo jornal Folha de São Paulo.

A presença de Ribeiro na comissão atende a requerimento do senador Randolfe Rodrigues (Rede- AP), e inicialmente se daria através de uma “convocação”. No entanto, o senador Wellington Fagundes (PL-MT), da bancada governista, disse que a solicitação foi transformada em “convite”.

Ainda segundo a Folha, Ribeiro teria enviado um ofício confirmando sua disposição em ir ao Senado dar explicações.

O ministro também divulgou nota à imprensa dizendo que “não há nenhum tipo de favorecimento na distribuição de verbas. “Não há nenhuma possibilidade de o ministro determinar alocação de recursos para favorecer ou desfavorecer qualquer município ou estado”, diz a nota.

No áudio revelando esta semana, Milton Ribeiro detalha um esquema informal de obtenção de recursos do Ministério da Educação, com a intermediação dos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura (ambos sem cargos públicos) que negociam com prefeituras a liberação dos recursos do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) para obras ou investimentos em determinadas cidades.

A declaração do ministro teria sido feita durante uma reunião com prefeitos e os dois pastores. Sem cautela, Ribeiro afirmou, por exemplo, que sua prioridade era “atender primeiro os municípios que mais precisam e, em segundo (lugar), atender a todos os que são amigos do pastor Gilmar”. Também deu a entender que sua postura atenderia a orientação do presidente Jair Bolsonaro.

Outros que devem depor na Comissão são o presidente do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), Marcelo Lopes da Ponte, e os pastores Gilmar Silva dos Santos (presidente da Convenção Nacional de Igrejas e Ministros das Assembleias de Deus no Brasil) e Arilton Moura (assessor de Assuntos Políticos da Convenção Nacional de Igrejas e Ministros das Assembleias de Deus no Brasil) – o segundo chegou a ser identificado pedindo um quilo de ouro para facilitar a entrega de verbas do Ministério da Educação para determinados municípios.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador
[Fancy_Facebook_Comments]