Quase dobram as importações brasileiras da Rússia

Mesmo com a guerra, o valor total das exportações para a Rússia aumentou 16%, em relação ao acumulado dos últimos 12 meses

A Rússia não é um grande parceiro comercial brasileiro. Dentre os 20 produtos de maior peso na pauta de exportações brasileiras, não fica entre os 5 maiores compradores em nenhum.

  • Mesmo com a guerra, o valor total das exportações para a Rússia aumentou 16%, em relação ao acumulado de 12 meses atrás.
  • A maior exportações foi de soja, com US $ 1,4 bilhão de vendas, seguido do processamento de carnes, com US$ 908 milhões e fabricação de açúcar (US$ 788 milhões).
  • O produto com maior crescimento nas exportações com Açúcar (+181,4%) e a maior queda foi em Frutas e Legumes (-19,1%).

Na ponta das importações, houve um crescimento de 86,2% dos produtos da Rússia. A Rússia é o maior fornecedor de fertilizantes. Nos 12 meses terminados em julho ela vendeu US$ 22,2 bilhões, 86,2% a mais do que no ano passado. Houve aumentos expressivos também na venda de carvão (+129,3%), e petróleo refinado (+311,7%); As quedas foram em fabricação de ferro e aços básicos (-46,3%) e metais preciosos (-63,3%).

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Calabeto Costa

- 2022-08-08 07:28:22

A política e um jogo de interesse onde os autores envolvidos participam para aumentar os ganhos e lucros. O Brasil e a Turquia definiram claramente as suas políticas: ganhar. A UE e a NATO atiraram tiros contra os seus próprios pés. Cá se faz e cá se paga.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador