Estudo aponta redução no déficit habitacional no país em cinco anos

Jornal GGN – O déficit habitacional do país recuou quase 2% em cinco anos, segundo levantamento do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) com base na PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) de 2012. Em 2007, o déficit era de 10% do total dos domicílios brasileiros registrados, mas o índice caiu para 8,53% em 2012. Em valores absolutos, a queda representa 5,24 milhões de residências.

A única elevação no período foi o ônus excedente de aluguel, que passou de 1,75 milhões de domicílios para 2,293 milhões – aumento de cerca de 30%. O Ipea faz a ressalva de que o mercado de locação de imóveis urbanos pode ter sofrido da mesma alta observada no mercado de compra e venda de imóveis, o que explicaria, em geral, o aumento.

A maior parte do déficit do país é na área urbana (85% do total), enquanto a área rural contabiliza 742 mil famílias nesta condição em 2012. O déficit urbano praticamente manteve-se estável no período, ao mesmo tempo que o rural caiu aproximadamente 25%. Quando avaliado o déficit pela renda, os dados mostram que 73,6% do déficit era composto por domicílios com famílias com renda de até três salários mínimos, em comparação a 70,7% em 2007.

Paralelamente, também houve aumento de três pontos percentuais nessa fatia. Porém, também foi registrada queda do déficit em números absolutos: de 3.954.386 domicílios em 2007 para 3.859.970 em 2012, entre as famílias com renda de até três salários mínimos. As demais faixas passaram a responder menos pelo déficit habitacional.

Com informações do Ipea

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome