Brasil ganha apoio da África do Sul e Índia contra espionagem

Da RFI

Índia e África do Sul apoiam Brasil contra espionagem

O Brasil ganhou apoio dos governos da Índia e África do Sul, parceiros no grupo Ibas, para sua proposta de uma nova “governança global da internet”, destinada a garantir a segurança de dados de todos os cidadãos. O grupo divulgou um comunicado conjunto nesta quarta-feira, em Nova York, em que condena as ações de espionagem dos Estados Unidos no Brasil e apóia a iniciativa brasileira.

O documento reconhece a espionagem como contrária à soberania das nações e foi divulgado após reunião entre o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, e os chanceleres da Índia e da África do Sul.
 
“Os ministros expressaram sua preocupação com as práticas não autorizadas de interceptação ilegal de comunicações e dados de cidadãos, empresas e autoridades governamentais por governos e empresas estrangeiros”, diz o texto. E sublinha que isso “constitui grave violação da soberania nacional e dos direitos individuais e é incompatível com a convivência democrática entre países amigos”.
 
Antes de retornar ao Brasil, a presidente deu entrevista e comentou a tensão provocada pelo discurso anti-espionagem: “Nada do que foi dito era de desconhecimento das autoridades americanas”, afirmou.

 
“Todo o processo (…), no qual nós não temos a menor responsabilidade, ele implica necessariamente numa atitude do país. Nenhum governo pode transigir nem com os direitos civis e a privacidade da população, nem tampouco pode negociar sua soberania”. Para a chefe de Estado, o futuro das relações depende de um pedido de desculpas e de “uma clara determinação de não acontecer” fato semelhante.
 
Dilma também explicou que não espera uma interferência direta das Nações Unidas na questão do acesso aos dados na rede mundial de computadores. “Nós não estamos pedindo que a ONU controle a internet e nós não concordamos com esse tipo de controle. Nós queremos que a ONU preserve a segurança e não deixe que a nova guerra se dê dentro do mundo cibernético”, concluiu a presidente.

12 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rodrigo Negrão

- 2013-09-27 14:19:54

Elite é todo mundo que por

Elite é todo mundo que por qualquer motivo crítica o Governo ?

Tomei onibus minha vida toda, carreguei geladeira na cabeça dentro de uma fábrica

Arrumei emprego em um escritório de advocacia e trabalhei por 5 anos em troca do pagamento das mensalidades do curso de direito 

Comprei meu primeiro carro aos 32 anos de idade

Ai quando exponho minha opinião pessoal sobre alguns assuntos, eu sou um coxinha elitista ........

Tem muita gente doente neste país, e isso faz muito mal para o Brasil

Edsonmarcon

- 2013-09-26 17:48:35

Reparem só!

 Observem que ele quer que o Brasil atue contra Argentina, Bolívia e Venezuela.

 

Os EUA subsidiam o algodão e taxam o suco de laranja brasileiro, sempre atrapalhou o programa espacial brasileiro e deu apoio aos milicos de 1964,  mas ele não pede ações contra os EUA.

 

Ele quer que o Brasil fale grosso com os fracos e fino com os EUA.

 

 Típico dos submissos aos ianques.

 

   E se tivéssemos sido espionados pela Rússia?  Ese pessoal estaria berrando por medidas enérgicas....

Rodrigo Negrão

- 2013-09-26 16:53:28

É uma questão de estratégia "

É uma questão de estratégia " discursal" e não econômica.

Não devemos massacrar ninguém e muito menos usar de demagogia no campo internacional.

Discursar na ONU falando de espionagem sofrida pelo Brasil, pasmém e diga-se, pautada em reportagem que o  FANTÁSTICO comprou do jornalista da BBC que  namora um Brasileiro, afirmando que Snowen TERIA DITO que o Brasil é o grande alvo. A título de documento, foi usado um POWER POINT com a imagem da Presidente no meio, e uns quadrinhos com risquinhos indicando "circulos próximos", " ministros".

Acho que a título de apresentação, o Brasil cede a qualquer violação de acordos por parte de países em que o Governo possui aquele discursinho de socialismo, mais quer falar grosso com a maior economia do mundo.Não sei para que serve, mais  agrada meia dúzia de hopócritas,

Acho que o Brasil deveria aproveitar as POUQUISSÍMAS oportunidades de se apresentar no campo da política internacional de forma mais coerente, porém, comportamentos "bolivarianos" nos colocam cada vez mais longe de uma cadeira fixa no Conselho de Segurança da ONU.

A leniência do Governo Brasileiro junto aos países do Mercosul traz numeros incontestáveis, o Chile que o diga, mesmo com um Governo Socialista, possui acordos comerciais com os Estados Unidos que  os colocam entre os países que mais cresceram no mundo nos últimos anos, alias, o Peru se beneficia disso por meio da área de livre comércio formada entre oa países que não aceitaram a brincadeirinha de Mercosul.

Enquanto o Brasil finge que o Mercosul funciona, e os outros países que o compõe finge que respeitam nossa posição de protagonista ( e você acha que partido político é time de futebol). 

Segundo a sua visão,  para que o Mercado da America Latina( América Latina ????? haha) esteja em nossa órbita, devemos aceitar todo tipo de desrespeito às regras básicas do comércio entre países ??? É lucrativo essa lógica de que eu vendo, não recebo e não cobro para que eles continuam a comprar e não me pagar.

A experiência desenvolvimentista do mundo mostra que paises omissos no campo da política internacional não alcançaram desenvolvimento. No caso do Brasil é pior, porque além de omissivos, andamos acompanhados de pessoa que não são convidadas a sentar nas grandes mesas. 

 

 

 

janes salete

- 2013-09-26 16:33:59

Nossinhaaaaaaaaaaaaaaa!!!!! S

Nossinhaaaaaaaaaaaaaaa!!!!! Sr. Rodrigo Negrão, esse é o pensamento do seu fígado, né? Mudando um pouco de assunto, asssiti uma reportagem na tv record, onde uma senhora, com a mãe alzaimer, urrava indignada com o plano de saúde que não aceitava nem pagamento mensal de 3000,00 reais, porque a senhora tinha mais de 60 anos. A senhora essa, começou a atacar o governo federal criticando não ser real a política de inclusão, porque ela não conseguia ser aceita pelo plano PRIVADO. Essa senhora, que parecia pertencer a elite tupinica, deve desconhecer que, nesses casos, para resolver seu problema de "exclusão", deve procurar a justiça. Impressionante é perceber que virou mania da elite, culpar o governo federal por tudo que ela mesma não consegue resolver para poder se beneficiar. Nossa justiça é uma droga, mas é ela que tem que ser acionada. Tenho certeza, que se procurar pelo SUS, encontrará menos demora de atendimento do que na nossa justiciaria. Mas ela deve ter ojeriza do SUS, porque a mídia assim, provavelmente, diz para ela pensar.

André LB

- 2013-09-26 16:31:43

  CARAMBA, CARA!!!

  CARAMBA, CARA!!! OBRIGADO!!!

  AGORA eu entendi que essa indignação é bobagem porque espionagem "é do jogo". Poxa, precisamos, eu e você, avisar urgentemente o resto do mundo! Vamos lá:

  1) avisar o governo dos EUA de que a epsionagem chinesa "é do jogo", então é bobagem esquentar a cabeça;

  2) contar para os povos da Alemanha, França, etc que a espionagem americana "é do jogo";

  3) ensinar aos historiadores para que revisem suas obras, e registrem que a espionagem nazista e depois soviética nos EUA "era do jogo", etc etc etc

 

  É isso. Ah, não esqueça: vou mudar o âmbito e te contar que, caso te assaltem e digam "perdeu, Playboy", não esquenta a cabeça não. "É do jogo".

ruyacquaviva

- 2013-09-26 16:29:55

A direita entrou direto neste

A direita entrou direto neste post para defender os abusos dos EUA, de quem são capachos.

Ná nojo ver os puxa-sacos puxando...

Walter Barbosa Lacerda Filho

- 2013-09-26 15:51:24

olha ai os alunos de dra.

olha ai os alunos de dra. maristela basso mostrando as asinhas de fora!

kiko marinho

- 2013-09-26 15:11:59

Grande Estrategista da Diplomacia!

Grande contribuição do comentarista. Realmente devemos usar a força e todos os mecanismos globais de pressão para massacrar os vizinhos da América Latina, que compram pelo menos um quarto dos nossos produtos exportados, com preços médios de mais de mil dolares por tonelada (produtos industrializados com alto valor agregado, diferente da China, Europa e EUA, que só compram comodities de menos de 500 dólares a tonelada) e ignorar anos de esforços para trazer o mercado latino americano para a órbita do Brasil por causa de atritos ocasionais, e perdoar os poderosos EUA por suas pequenas vigarices. Depois é o governo que está preso a um modelo mental dos anos 50...

Rodrigo Negrão

- 2013-09-26 14:17:41

Agora sim a Presidenta tomou

Agora sim a Presidenta tomou providências em relação as violações que somos vítimas no campo da Política Internacional.

Agora aguardo ansiosamente que :

- Tome medias em relação ao descumprimento por parte da Argentina em relação  as regras do livre comércio no Mercosul. Não é novidade que todos os dias o Governo Argentino impede a entrada de produtos Brasileiros em seu país, com o intuito de equilibrar a balança economica, neste momento por exemplo, há quase 200 caminhões aguardando a virada do mês para poder ingressarem no País. Isso representa violação as regras do Mercosul e do Comércio Internacioal, além de afrontar contra a nossa Economia.

- Denuncie a Bolívia no campo internacional por ter expropriado a unidade da Petrobras no país, sem que a devida indenização fosse paga. Isso é motivo até mesmo para um embargo econômico no País, Isso representa grave afronta a soberânia brasileira e coloca em risco todos os investimentos feitos por empresas brasileiras em outros paises, diante da existência de precedentes de inércia do Brasil diante da grave situação.

- Que Organização Internacional do Comércio seja chamada a intermediar a situação do acordo feito pelo Brasil com a Venezuela para a expansão de gasodutos no País. A Venezuela ofereceu a parceria, o Brasil destinou recursos, porém, a obra parou e não houve prestação de contas a respeito da destinação dos recursos.

-  Que o Brasil exponha que foi avalista na venda de fralda, papel higienico e pasta de dente para a Venezuela, que por sua vez deu o calote, tanto nas empresas Brasileiras quanto no próprio Brasil.

 

Ah, não, o discurso na ONU foi só para agradar o ranso esquerdista que faz o mesmo discurso desde a decada de 60 ?

O que ? esse mesmo ranso esquerdista da decada de 60 gosta de fazer festa com o chapeu alheio na América do Sul ? O que ? sério !!

Marcel Santo

- 2013-09-26 13:38:21

é mais um trunfo para negociar e não para lutar!

o apoio e importante apenas como solidariedade sem compromisso, e isso que o governo brasileiro deve ter em mente.  nos estamos com um trunfo bom nas mãos, e hora de sabermos usa-lo para o beneficio principalmente do Brasil, sem infantilidades de querer um mundo melhor bla bla bla!!!   o Brasil tentar conseguir vantagens junto aos EUA e por um fim nisso, até porque espionar e regra do jogo, se o Brasil não a pratica problema nosso, mas e sempre bom lembrar que a espionagem e uma ferramente da diplomacia, pelo menos nos paises adultos!!!

Heber Folco

- 2013-09-26 13:17:42

informação

tb quero o direito de ler todos os telegramas e mensagens para Washington e para as 7 irmãs.

Fabio (o outro)

- 2013-09-26 13:04:06

India e Africa do

India e Africa do Sul.

Coadjuvantes perfeitos para o teatro da indignação !

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador