Imprensa chinesa destaca “valores compartilhados” com Brasil

Tatiane Correia
Repórter do GGN desde 2019. Graduada em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Com passagens pela revista Executivos Financeiros e Agência Dinheiro Vivo.
[email protected]

Ao abordar visita de Wang Yi (foto) ao país, mídia diz esperar que viagem dê continuidade à parceria consolidada com visita de Lula

Wang Yi, ministro das Relações Exteriores da China. Foto: Department of Foreign Affairs and Trade – via Wikipedia

A visita do ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, ao Brasil nos próximos dias tem sido avaliada de forma positiva pela mídia do país, que destaca a importância estratégica da aliança e a complementariedade da estrutura econômica entre ambos.

“Este ano marca o 50º aniversário da fundação das suas relações diplomáticas”, lembra o jornal China Daily, ressaltando que ao longo do período China e Brasil se tornaram “os maiores países em desenvolvimento nos hemisférios Oriental e Ocidental”, ao mesmo tempo em que passaram a ser “atores importantes na cena mundial”.

O jornal ressalta que o significado da visita de Yi ao Brasil não pode ser exagerado, dado “o importante papel que o gigante latino-americano desempenha no mundo”.

“Espera-se que a visita dê continuidade ao impulso positivo do desenvolvimento da parceria estratégica abrangente China-Brasil que foi efetivamente consolidada pela visita de estado do presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva à China em abril do ano passado”, ressalta a publicação.

Além de destacar a complementaridade da estrutura econômica entre Brasil e China, o jornal China Daily diz que Brasil e China estão “na mesma trincheira contra o unilateralismo, a hegemonia e o protecionismo”, ressaltando “a sua crença partilhada e firme no verdadeiro multilateralismo e a defesa da ordem internacional centrada nas Nações Unidas e na globalização econômica”.

Tatiane Correia

Repórter do GGN desde 2019. Graduada em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Com passagens pela revista Executivos Financeiros e Agência Dinheiro Vivo.

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. A China tem se destacado com sua diplomacia focada no relacionamento mutuamente vantajoso, sem tentar impor a sua vontade. Assim podemos observar o seguinte: A China precisa da paz para prosperar; já os EUA, precisam da guerra para dominar.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador