Repercussão negativa leva Israel a investigar ação policial em funeral de jornalista

Agressões registradas durante rito fúnebre de Shireen Abu Akleh pegaram mal até entre aliados israelenses, como os EUA

Foto: Reprodução/Movimento Pelos Direitos do Povo Palestino e Pela Paz no Médio Oriente

A agressão cometida contra palestinos durante o funeral da jornalista palestina-americana Shireen Abu Akleh repercutiu negativamente até mesmo entre aliados tradicionais de Israel, como os Estados Unidos, o que levou a polícia israelense a investigar as ações.

Comunicado divulgado pela polícia de Israel afirma que o comissário de polícia ordenou uma investigação sobre o incidente, em coordenação com o ministro da Segurança Pública.

A defesa da democracia exige um jornalismo independente.

Junte-se a nós https://www.catarse.me/jornalggn

As ações ocorrem depois que forças de segurança israelenses investiram contra pessoas que portavam bandeiras da Palestina, e aqueles que carregavam o caixão da jornalista sobre os ombros.

Estados Unidos, União Europeia, representações europeias em Jerusalém condenaram as ações israelenses durante o cortejo fúnebre, e o Conselho de Segurança da ONU exigiu uma investigação “imediata, exaustiva, transparente e imparcial” sobre o assassinato.

Shireen Abu Akleh era repórter da rede de televisão al-Jazeera, e foi morta com um tiro na cabeça durante uma operação militar israelense na Cisjordânia, mesmo utilizando capacete e um colete à prova de balas que a identificava como profissional de imprensa.

Com informações do jornal O Globo

Leia Também

O que se sabe sobre o assassinato de jornalista na Palestina

Israel ataca cortejo fúnebre da jornalista da Al Jazeera, Shireen Abu Akleh

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

AMBAR

- 2022-05-15 15:46:59

Israel vai investigar e concluir que a ação policial foi "legítima".

+almeida

- 2022-05-15 14:41:21

Será que se não houvesse uma repercussão negativa Israel fecharia os olhos para a execução covarde da profissional de jornalismo que estava totalmente identificável pelo colete e capacete? É assim que se comportam as autoridades israelense?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador