Vítimas e refugiados “brancos e loiros” da Ucrânia chocam: racismo na cobertura da TV

"Desta vez, a guerra está errada porque as pessoas se parecem conosco e têm contas no Instagram e Netflix. Não em um país pobre e remoto"

Correspondente da CBS News diz que Ucrânia “não é o Iraque ou Afeganistão”, mas cidade “civilizada” – Foto: Reprodução CBS News

Por Alan MacLeod, no Twitter

A cobertura mais racista da Ucrânia nas notícias de TV.

1. BBC: “É muito emocionante para mim porque vejo pessoas europeias de olhos azuis e cabelos loiros sendo mortas”, diz Procurador-Geral Adjunto da Ucrânia, David Sakvarelidze

2. CBS News: “Isto não é o Iraque ou o Afeganistão… Esta é uma cidade relativamente civilizada, relativamente europeia”, diz o correspondente estrangeiro da CBS, Charlie D’Agata.

3. Al-Jazeera: “O que é interessante é olhar para eles, a maneira como estão vestidos. São pessoas prósperas, de classe média. Não são obviamente refugiados tentando fugir do Oriente Médio… ou do norte da África. Eles parecem como qualquer família europeia que mora na casa ao lado.”

4. TV BFM (França): “Estamos no século 21, estamos em uma cidade europeia e temos disparos de mísseis de cruzeiro como se estivéssemos no Iraque ou no Afeganistão, você pode imaginar!?”

5. The Daily Telegraph: “Desta vez, a guerra está errada porque as pessoas se parecem conosco e têm contas no Instagram e Netflix. Não está mais em um país pobre e remoto”, escreve Daniel Hannan.

6. ITV (Reino Unido): “O impensável aconteceu… Esta não é uma nação do terceiro mundo, ou em desenvolvimento. Aqui é a Europa!”.

7. BFM TV (França) novamente: “É uma questão importante. Não estamos falando aqui de sírios fugindo… Estamos falando de europeus.”

8. Se você fala francês, uma prova dos tipos de racismo oferecidos:

9. Um homem no canal de notícias espanhol La Sexta: “Essas não são como as outras crianças que nos acostumamos a ver sofrer na TV, essas crianças são loiras de olhos azuis, [então] isso é muito importante”.

Redação

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador