A maioria dos militares não tem a menor ideia do que seja comunismo”, afirma PM

“Perguntei para os outros militares: Alguém pode me explicar o que é comunismo? A resposta foi: Comunismo é uma ferramenta do diabo para destruir a família”

Por Martel Alexandre del Colle

Do Justificando

Eu tenho uma curiosidade natural que me impede de parar de estudar os mais diversos assuntos. Isso também me faz não ter muito tempo para acompanhar os delírios que rondam a internet. Entretanto, a partir do ano de 2016 eu decidi me envolver de maneira mais intensa com as mídias, pois estava ouvindo absurdos e achei que poderia mostrar que ninguém deve acreditar em uma versão da história sem antes ouvir as outras versões. Eu estou sempre aberto para contradizer a mim mesmo, a mudar. Prefiro ser essa “metamorfose ambulante” do que um manipulado por fakenews de internet.

E foi em 2016 que eu voltei a ouvir a palavra comunismo em todos os lugares. E, para minha grande tristeza, ela era muito utilizada por militares. O problema não era usar a palavra, mas não ter nenhuma noção dos conceitos capazes de se encaixarem nessa palavra. E dos conceitos que não são capazes.

Certo dia, abri o meu facebook e estava lá o post de um policial militar, contemporâneo da escola de oficiais, dizendo: “Parabéns ao Coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra que teve a coragem de fazer o necessário para nos livrar do comunismo!“

Em primeiro lugar, esse oficial poderia ser preso por apologia ao crime/criminoso, mas eu não o quis denunciar. Talvez eu devesse, mas se acho que esse sistema punitivista não funciona para quase ninguém, por que funcionaria para ele?

Ustra era um criminoso, gente que o oficial em questão deveria combater conforme juramento que fez à sociedade brasileira. Ser militar não é apenas ser capaz de usar a força, isso qualquer bandido como o Ustra é capaz de fazer. Qualquer miliciano é capaz. Ser militar é ser capaz de usar a força para propagar o bem.

Sei que não deveria, mas fui aos comentários da postagem e encontrei um mar de policiais militares elogiando o oficial, elogiando Ustra, elogiando a tortura e as execuções. Eu poderia taxá-los de ignorantes, mas eu sempre procuro investigar antes, como disse. Então perguntei: Alguém aqui pode me explicar o que é comunismo?

A resposta foi: Comunismo é uma ferramenta do diabo para destruir a família.

Eu respondi: Está explicado este post sem sentido.

Eles não haviam estudado nada, só reproduzido. Sem argumentos, partiram para o tradicional Ad Hominem: Quem é você para falar isso? Nós militares nos sacrificamos pela nação e só defende o comunismo quem não é militar e não sabe das coisas.

Eu respondi: Eu sou militar.

Eu não vejo o comunismo como a solução para nosso planeta, nem como modelo ideal ou viável, entretanto eu respeito quem o defende, pois eu ainda tenho muito para estudar antes de fechar tal assunto em minha cabeça. Por enquanto eu engordo os quadros da esquerda reformista.

Alguns ficaram em choque quando descobriram que eu era militar. Depois descobriram que eu era aspirante e ficaram com receio de debater. Não entendo esse medo de debater com um superior, mas não os julgo. Não fui praça. Talvez o curso de formação de soldado encha o policial de temor, o que eu acho um absurdo. A opinião no Brasil ainda é livre, que eu saiba. Você deve poder discordar de seu superior hierárquico, basta ter argumentos.

Leia também:  Xadrez do efeito Bolívia sobre o jogo político brasileiro, por Luis Nassif

Qual é a dificuldade de estudar antes de falar? Eles só estavam reproduzindo o que ouviram dentro dos quartéis. Estavam defendendo a versão de realidade que permitiu que Ustra não vivesse na prisão e não pagasse por seus crimes. E por que será que ele queria que você defendesse a versão dele? Não descobriu ainda?

Por que as pessoas insistem em falar sobre algo que não estudam? Está no google. É só pesquisar. Isso evitaria a vergonha de afirmar que Marx não trabalhava. Eu imagino o que um escritor deve sentir quando vê alguém falando uma asneira dessa. Então escrever livros não é trabalho? A obra de Marx foi tão importante que você ouve falar dele até hoje por um rio de gente que nunca leu nada do que ele escreveu. Por que todo esse medo? Marx foi tão importante que todos os cursos de economia dedicam um tempo interessante às obras produzidas por ele, mesmo que você estude em uma organização estudantil de baixa qualidade, como o Instituto Mises, você ouvirá falar de Marx.

Não sei, mas eu odeio que mastiguem conhecimento para mim. Conhecimento mastigado é mais fácil de ser manipulado, por isso eu prefiro ouvir o que a pessoa tem a dizer. Procuro ler Mises, Marx, Mill, Keynes, Hayek. Aconselho que você faça o mesmo, ou tenha a humildade de não se colocar como expert num assunto que você não domina. Falta muita humildade por aqui…

Caso pior é o dos cristãos que criticam o comunismo de maneira geral. Eles não falam de Maoismo, ou Leninismo-Marxismo, mas de comunismo. Será que essa galera não possui o livro de Atos dos Apóstolos na Bíblia deles? Será que eles estão na igreja e não sabem o que é o comunismo cristão? Será que eles não ouviram falar da igreja primitiva, na qual todos os bens eram comuns. Onde todos os novos membros entregavam tudo para os líderes para que eles dividissem. Que nenhum cristão considerava alguma coisa sua, mas tudo era coletivo. Será que eles não sabem do caso do casal que tentou ficar com seus bens e caiu morto pelo poder do Espírito Santo?

E eu nem vou entrar na figura de Jesus Cristo. Aquele cara que dividia comida, ajudava pobres, não queria matar ninguém.

Eu já vi cada malabarismo para tentar por palavras na boca de Cristo. Tanto de militares para justificar assassinatos como “solução pra segurança”, como de pastores para justificar uma vida de luxos. Certa vez, na Igreja Batista do Bachareri, igreja que já abrigou Moro e Dalagnol, e da qual eu já fiz parte, lembro-me de um pastor usar o “dai a César o que é de César” para dizer que os “comunistas de plantão” (termo utilizado por ele) deveriam aceitar o capitalismo, pois Jesus dizia que exploração era top.

Acho que Deltan até está indo bem, sabendo do lugar de onde ele absorve a sua autoestima e sensação de herói na luta contra a corrupção. É muita inocência.

Ainda tem gente que acredita na falácia da iminência do golpe comunista em 64. O golpe comunista era tão iminente que quando os militares tomaram o poder, ninguém se opôs com armas. Os primeiros atentados ocorreram anos depois, e alguns dos atentados eram forjados pelos próprios militares para ter uma desculpa a fim de centralizar ainda mais os poderes. Se tivesse algo organizado, você não acha que eles tentariam impedir os militares de tomar o poder? Bora pensar antes de engolir uma versão da realidade? Bora?

Se você ainda acredita em golpe comunista em 64, então pesquise sobre um cara chamado Carlos Lacerda. Talvez lhe ajude. Talvez ajude o país se pararmos de passar pano para torturador, estuprador e assassino também.

O golpe comunista era um perigo tão grande que durante a revolução cubana Fidel Castro sequer era comunista. O que revoltava o povo por lá, e por aqui também, era a exploração, a pobreza, a desigualdade. Fidel conquistou Cuba com um exército muito menor do que o exército nacional, e só conseguiu porque o povo não aguentava mais os abusos e explorações do Estado e das multinacionais. Fidel se tornou comunista após a revolução, devido a necessidade de apoio para governar. E tal apoio era importante devido a pressão que Cuba começou a sofrer quando nacionalizou empresas que exploravam a ilha. Nem sei por que estou falando isso. Afinal, aposto que todos os críticos de Cuba e do comunismo já sabiam disto, não é?

Não tenho a menor pretensão de ser a voz que sabe de tudo. Estou sempre disposto a aprender, a mudar, a questionar, a me admitir errado e a mudar de novo. E isso me dá coragem para não engolir nenhuma história sem antes investigar um pouco.

Para finalizar, eu me questiono: Por que Bolsonaro e a extrema direita insistem em dizer que “o Nazismo é de esquerda”?

Eu sou de esquerda, e a gente não acorda e dorme falando que o Nazismo é de direita. Ele, de fato, é de direita, mas isso é uma questão acadêmica para nós, não uma questão moralizante. Então, por que eles querem tanto jogar o Nazismo para a esquerda? Vou lhe explicar.

Acontece que todas as atitudes de Bolsonaro e da extrema direita são iguais as dos nazistas: gostam de uma ditadura, acham que existem grupos superiores e inferiores na sociedade, pregam o extermínio do diferente, pregam a violência como solução para o desenvolvimento de uma nação forte, um nacionalismo exacerbado e pregam uma “grande burrice”, se posicionando contra a ciência, contra a educação e contra a autonomia das pessoas para pensarem por si próprias.

A questão é que o filho é tão parecido com o pai que eles precisam de algo diferente. Ou seja: “ser de esquerda”. Então o discurso vira: Nós fazemos tudo o que o nazismo fazia, mas não somos nazistas, pois “o nazismo é de esquerda”.

No meio do processo eles vão adocicando o nazismo e o autoritarismo. É por isso que Bolsonaro elogia torturadores, estupradores, e companhia limitada, seja no Chile, no Paraguai, no Peru ou no Brasil. A ideia é dizer que esses ditadores são feios, mas não tão feios, porque feia mesmo é a esquerda. Como Mises que achava boa uma ditadura, desde que ela obrigasse o povo a trabalhar em nome do progresso. Para ele, era necessário “quebrar alguns ovos para fazer a omelete”. Pena que ovos aqui são a sua vida, a sua liberdade, os seus direitos e a sua felicidade.

Primeiro eles acusam a esquerda de ser “feia” e “fazer atrocidades”, depois dizem que a esquerda é feia porque é de esquerda, e não por causa das atrocidades. Aí eles fazem atrocidades, enquanto convencem a população a demonizar a esquerda e o “comunismo”. E está concluído o plano. O alienado aceita qualquer coisa para derrotar a esquerda. E é importante destacar que o conceito de esquerda dos extremistas de direita é bem amplo. Para eles o Reinaldo Azevedo é de extrema esquerda já.

Muita gente morreu para que você tivesse a chance de questionar, de pesquisar, de estudar. Muita gente morreu na ditadura pela sua liberdade. Não desperdice essas vidas não. Use o poder que te deram. Pesquise, procure, tente me refutar. Só não seja massa de manobra de gente sem coração.

A finalidade da vida é ser feliz, o resto é maquiagem de gente malvada. Vai por mim. Vai por mim nada! De agora em diante é só na base da pesquisa, né?

E se quiser uma ajudinha para entender o que são comunismo, socialismo, democracia, eu recomendo os canais Saia da MatrixTese Onze e Jones Manoel.

Martel Alexandre del Colle é policial há 10 anos. É aspirante a Oficial da Polícia militar do Paraná.

 

Obrigada, Martel. Você escreveu o que venho falando pra muita gente, ou tentando falar, já que os que não leem nem estudam tem por hábito refutar tudo que não condiz com suas crenças arraigadas. Fiquei muito feliz por ler seu texto, sem mágoas, iras e outros sentimentos exacerbados pelo espírito de nossa época. Amei tb saber que vc é cristão (ando odiando a palavra evangélico). Possa o Senhor, nosso amado Salvador, renovar dia a dia Sua Graça e Misericórdia sobre a sua vida.

Marilene de Fátima Silva

10 comentários

  1. Parabéns pela coragem de se expor, em especial por ser militar.
    Todas as suas conclusões são pertinentes, a não ser o fato de achar que o nosso “mandatário danação” entende que o nazismo é de esquerda porque a esquerda é feia.
    Ouso dizer que o ” presidento ” não tem a menor noção de qualquer teoria política.
    Ele vai para onde os ventos da conveniência o levam, assim com se vergam pela conveniência política os atos, os fatos e as versões sobre a realidade dos acontecimentos.
    Admitamos ainda, que o fato de se contar com excessivo volume de informações, que de modo deliberado têm única e tão somente o objetivo de confundir, em breve tempo o marxismo de Karl Marx, servirá aos interesses dos manipuladores tanto quanto cristianismo tem servido, com as suas inúmeras versões no fluir dos tempos, e de tal modo, que em breve tempo quase ninguém mais saberá quem foi ou o que realmente Karl Marx pensava.
    Veja você que o “marxismo cultural” de que se tem notícia, rigorosamente contrário ao marxismo de Karl Marx, não deixa de ser um marxismo, só que de Groucho Marx, o irreverente humorista, que também era um Marx , afinal ( créditos a um primoroso comentário aqui no GGN)

  2. Obrigada, Martel. Você escreveu o que venho falando pra muita gente, ou tentando falar, já que os que não leem nem estudam tem por hábito refutar tudo que não condiz com suas crenças arraigadas. Fiquei muito feliz por ler seu texto, sem mágoas, iras e outros sentimentos exacerbados pelo espírito de nossa época. Amei tb saber que vc é cristão (ando odiando a palavra evangélico). Possa o Senhor, nosso amado Salvador, renovar dia a dia Sua Graça e Misericórdia sobre a sua vida.

  3. Muito obrigado! MUITO OBRIGADO!

    Sou Comunista desde criancinha e fico abismado com esta COMUNISTOFOBIA! Fiz lutas cívicas pelo meu povo, lutei por mais vagas nas universidades, pelas cotas, pelo aumento de renda! Sempre pela inclusão de nosso povo no que há de melhor nas tradições mineiras desde Tiradentes misturadas com o Bolchevismo Russo! MINHA BANDEIRA SEMPRE FOI VERMELHA! “LIBERTAS QUAE SERA TAMEN”!

    USO SMARTPHONE CHINÊS! QUERO 5G Comunista para me ajudar no meu empreendedorismo Social focado em sustentabilidade e aumento de renda com agroecologia para grupos excluídos da SOCIEDADE BURGUESA! ABSURDO!

  4. Sr. Praça especial, Boa noite! Tb sou militar estadual na graduação de CB e concordo que muitos de nossos colegas desconhecem o comunismo e suas variáveis, inclusive cultural, com as escolas da Alemanha e da França.
    Porém, as demais afirmações não concordo por sofrer de leves ou pesadas distorções… começando pela citação das ofertas voluntárias em Atos, muito utilizada erroneamente por pessoas engajadas na canhota e espero esclarecer esse ponto.
    Após o pentecostes, muitos cristãos de outras regiões postergaram suas estadias em Jerusalém para aprenderem mais sobre o cristianismo primitivo para depois voltarem para suas terras e expandir o evangelho. Como que eles ficariam ali sem ter planejado despesas extras? Aí que começou a coleta de ofertas para a manutenção daquela comunidade temporária em paralelo aos demais nativos mais necessitados q tb estavam ali sendo catequizados e isso conquistou a simpatia dos q não criam. Era um compartilhamento voluntário (essa é a diferença para o comunismo) sem apego. Dividir, para o cristão, é algo nobre e sinal de humildade e desapego das coisas terrenas e não pode se tornar algo compulsório para os demais (inclusive para quem não comunga da mesma fé). Sobre Ananias e Safira, “o casal”, foram castigados em consequência da mentira, o q Deus abomina.
    Poderia enumerar outras distorções, mas essa ferramenta de comentário não é tão satisfatória para isso.
    Por fim, acho que o cristão não deveria se colocar em nenhuma bolha ideológica, mas compreendo tb que, como Aristóteles disse, “somos seres políticos por nossa natureza” e estamos sujeitos à essa tentação terrena. Rechaço tanto direita quanto esquerda, pois são acessórios terrenos, transitórios e corruptos, mas não consigo compreender quando a pessoa se diz cristã e abraçar a cosmovisão de esquerda (respeitando o contexto da revolução francesa) com discurso marxista. É uma ideologia totalmente hostil ao exercício da fé, aos valores e ao metafisismo cristão, ainda mais casados com o niilismo de Focault e de Nietzsche. Fonte?? O manifesto comunista.
    Um abraço e contingências!

  5. Cristaos que se apegam ao antigo testamento, onde o mais importante e o milagre de ossadas humanas adquirirem vida, nao se iluminam com as primicias da colheita. Jesus se assemelha a uma pilula, que o cristao toma com agua, e seus problemas estao resolvidos. Nao conhecem e nao praticam os mandamentos de Jesus, aceitam a violencia em nome de Deus. Quando Pedro sacou sua espada e decepou a orelha do oficial Romano Malcom, Jesus o repreendeu. E melhor perder uma braço do que praticar o mal a seu semelhante.

  6. Gostei do comentário do Thiago da Hora.
    Realmente um comentário da hora e de sentido essencialmente cristão:
    Se não for para dividir com os cristãos é comunismo.

    “Dividir, para o cristão, é algo nobre e sinal de humildade e desapego das coisas terrenas e não pode se tornar algo compulsório para os demais (inclusive para quem não comunga da mesma fé)”

    O problema, segundo se infere de seu pensamento, é dividir quando não se não quer dividir ou, talvez, ofertar as sobras.
    O cristão da hora só praticaria a generosidade para sentir-se bom e virtuoso. Seria uma espécie de vaidade e auto compensação. Um merecimento.
    O sistema comunista enquanto política vai implicar em dividir, por entender que num estado justo, ninguém pode passar necessidade enquanto o outro ostenta riquezas oriundas da necessidade alheia. Não dá pra ser feliz vendo o outro em miséria.
    Difícil explicar isso a quem dá graças a deus por não ser miserável como seu vizinho e nem se importa em explorá-lo.

  7. Muito apropeiado o post.
    Ja escrevi aqui que a maioria das familias não faz qualquer esforço para que seus filhos tenham conhecimento. Que leiam. Basta que tenham uma profissão ou seram “empreendedores”. Como resultado temos multidões de desinformados…Alguns, poucos,até que ficam ricos mas ignorantes.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome