Além da Petrobras, Justiça dos EUA investiga empreiteiras brasileiras

 
Jornal GGN – A Justiça norte-americana ampliou o foco das investigações sobre as empresas brasileiras acusadas de corrupção. Agora, além da Petrobras, as empreiteiras nacionais Odebrecht, Andrade Gutierrez, Braskem e OAS também serão alvos. 
 
Do Estado de S. Paulo
 
 
Além da Petrobrás, empresas como Odebrecht, Andrade Gutierrez, Braskem e OAS também estariam sendo monitoradas pelo Departamento de Justiça
 
Por ALTAMIRO SILVA JUNIOR
 
A Justiça dos Estados Unidos resolveu ampliar as investigações de empresas brasileiras acusadas de envolvimento em corrupção. Inicialmente, apenas a Petrobrás vinha sendo investigada, mas advogados em Nova York e Washington afirmam que outras empresas que aparecem na Operação Lava Jato – como Odebrecht, Andrade Gutierrez, Braskem e OAS – também estão sendo monitoradas pelo Departamento de Justiça (DoJ) dos Estados Unidos.
 
As investigações são feitas com base na Lei sobre Práticas de Corrupção no Exterior (FCPA, na sigla em inglês). Segundo os advogados ouvidos pelo Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, não é preciso que a empresa tenha negócios ou ações listadas nos Estados Unidos para ser alvo do monitoramento do Departamento de Justiça. Basta, por exemplo, o fato de a companhia estrangeira ter emitido bônus no mercado americano para captar recursos, como é o caso de algumas construtoras brasileiras citadas na Lava Jato. Essas investigações podem ou não se transformar em processos contra as empresas pelo DoJ.
 
Funcionários do DoJ têm tido contato permanente com autoridades judiciais brasileiras em busca de informações sobre corrupção e também para colaborar com as investigações brasileiras, afirmam as fontes. Recentemente, o chefe da unidade de FCPA do Departamento de Justiça, Patrick Stokes, foi a Curitiba, onde ficou quatro dias e conversou com o juiz Sergio Moro e membros da força-tarefa da Lava Jato. Outros técnicos foram ao Rio em busca de informações sobre a Petrobrás e construtoras envolvidas em denúncias de corrupção.
 
Uma apresentação do escritório de advocacia Mayer Brown destaca que o Departamento de Justiça tem contribuído com assistência, formal e informal, para a Justiça do Brasil, como o rastreamento de recursos que passaram pelos EUA e que podem ser dinheiro de pagamento de propina. “Empresas apanhadas nas investigações da Petrobrás estão enfrentando escrutínio em múltiplos países”, destaca o documento, citando que, além do Brasil, as justiças dos EUA, Holanda, Suíça e Argentina monitoram essas companhias.
 
As investigações do DoJ na Petrobrás começaram no fim de 2014 e a empresa foi uma das que divulgaram publicamente que estava sendo alvo do monitoramento. Um documento de outra firma de advocacia americana também ressalta que o DoJ vem investigando a Petrobrás e, citando informações de seus advogados em Washington, afirma que a instituição mais recentemente passou a monitorar outras empresas que fizeram negócios com a estatal. Entre elas, especifica o texto, estão a Odebrecht, Braskem, OAS e Andrade Gutierrez.
 
Em documento enviado à Corte de Nova York na quinta-feira, os advogados do escritório Cohen Milstein Sellers & Toll, Christopher Lometti e Steven Toll, responsáveis por uma ação coletiva de investidores contra a Braskem, mencionam que a empresa estaria sendo investigada pelo Departamento de Justiça e que foi recentemente intimada pela Securities and Exchange Commission (SEC). O órgão federal, que regula o mercado de capitais dos EUA, teria pedido informações sobre as supostas irregularidades. Na ação, a Braskem é acusada de pagar propina para políticos e para a Petrobrás para conseguir preços favoráveis de sua principal matéria-prima, a nafta (ver texto abaixo).
 
Os advogados do Cohen Milstein Sellers & Toll, que colocaram a Odebrecht como ré na ação coletiva da Braskem, mencionam que a construtora, além de ter lançado bônus nos EUA, tem uma empresa sediada na Flórida, a Odebrecht Construction, e que, por isso, pode ser alvo das autoridades americanas.
 
Respostas. Procurado pelo Broadcast, o Departamento de Justiça afirma que “não confirma e nem desmente” as investigações e que não se pronuncia sobre companhias específicas, assim como a SEC. A Andrade Gutierrez diz desconhecer as investigações. A Braskem afirma que, quando soube das denúncias de corrupção, em março de 2015, passou fazer investigações internas e contratou escritórios de advocacia no Brasil e no exterior para relatar o andamento do monitoramento a autoridades, como o DoJ e a SEC. Além disso, a empresa criou uma comissão com finalidade específica de acompanhar o assunto no âmbito do conselho da companhia. Odebrecht e OAS não se pronunciaram.
 

30 comentários

  1. Ridículo!

    Curioso…se eles nos espionam desde sempre, agora vão nos julgar? Mas se inventaram a corrupção antes de nós? Se massacraram os índios norte-americanos? Tenha paciência! Que cuidem da sua casa que está cheia de problemas, muito maiores que os nossos! Investiguem a Chevron, por exemplo, quanto que ela investiu no golpe que acontece aqui!

  2. ELES ESTÃO INVESTIGANDO…

    ELES ESTÃO INVESTIGANDO DAS EMPRESAS MESMA COISA QUE MORO E JANOT, ISSO É SINAL QUE ELES NÃO BOTAM FÉ NAS INVESTIGAÇÕES DOS DOIS… TODAS ESSAS EMPRESAS SÃO DE NOME PRINCIPALMENTE A ODESBRECHT COMO CITADA POR TER UMA FILIAL NS ESTADOS UNIDOS, MAS EU ACHO QUE A ALÉM DESSA INVESTIGAÇÃO, TEM A INVESTIGAÇÃO DE LULA QUE COM CERTEZA ELES TAMBÉM IRÃO QUERER FUÇAR. OS AMERICANOS NÃO DÃO PONTO SEM NÓ. ELES COM CERTEZA NÃO ESTÃO INVESTIGANDO APENAS AS EMPRESAS.

    • primeiro testou…

      uma devassa diretamente na sociedade, contribuições particulares para condenados petistas

      se pôde na sociedade, e ninguém reclamou oficialmente, pode sobre qualquer autoridade

  3. bem…

    ficam as perguntas e o que a visão sugere

    respostas? pouco importa

    porque só surgirão, da forma que antecipei ao perguntar, com o tempo

    já estou acostumado a conversar com o tempo

  4. A grande oportunidade para quebrar o Brasil de vez

    O Judiciário brasileiro – junto com o PIG e os partidos que gostam de pobres – está levando o Brasil para a bancarrota.

    Teremos, diante disto tudo, dias muito tristes, com retorno do Brasil colônia.

    Conseguiram, depois da eleição de Dilma, acaber com todo o progresso que tivemos durante 13 anos.

    A final, parece que é o que estas corporações queriam.

  5. Tinha o tira sapatos no fhc
    Jurista consegue ser diplomata? fhc conseguiu responder, dentro da pior forma possível: no terreno do pouco significando muito, e tudo até, a Diplomacia, Celso Lafer, ministro e chanceler tirou os sapatos. Agora este pessoal da Republiqueta das Araucárias inventou o lambe sapatos internacional. E lá foi o PGR praticar…

  6. Falta de pudor é total.

    Falta de pudor é total.  Depois de reconhecer o golpe, USA finalmente deixa explícito que o objetivo é torpedear toda e qualquer empresa brasileira que um dia ousou se tornar multinacional. A operação Zelotes não pegou a RBS a Globo, mas tentou pegar o filho de Lula e pegou a Gerdau. Antes disto a LavaJato  preparou as ações no USA contra a  Petrobras e a Eletrobrás, e agora Oderbrecht e OAS. E no meio do caminho Temer coloca Serra, a peça que faltava para destruir as relações das nossas empresas, com a América Latina e Africa. Além é claro de destruir o mercosul e os BRICS.  Agora esta notícia despudorada onde a justiça de um pais, que até hoje não puniu os principais artifices criminosos da crise mundial , os tais CEOS de wall street, querem agora posar de justiceiros. Continuo perguntando porque a FIFA está sendo julgada nos USA. Afinal eles não tem sequer futebol, embora é claro eles tenha cadeias de televisão, e duzias e duzias de empreses de material esportivo e de patrocinadores. Enquanto a justiça americana age para preservar os lucros de suas empresas, aqui temos um procurador que fornece dados para a justiça americana e faz de tudo para condenar a unica política que nos deu independência.

  7. Dinheiro é que faz o mundo girar.

    Nossa, quanta hipocrisia nesses comentários… Quer dizer que os investidores que aplicavam na petrobrás devem se conformar com suas perdas? É absolutamente normal que uma empresa que mostrava resultados e balanço sempre positivos e de uma hora pra outra vem a bancarrota seja alvo de investigação, inclusive as empresas parceiras, que são estas citadas por receberem as propinas milhonárias. Fazer comparações com casos nos EUA que não deram em nada não traz o dinheiro de volta aos investidores, que eram o coração da petrobrás. E vocês realmente acreditam que só existiam investidores nos EUA? No mundo inteiro existiam investidores da petrobrás, e eles aplaudem a atitude que o juiz nos EUA está fazendo. Petrobrás, uma empresa de renome e credibilidade que o governo conseguiu destruir ao longo de muitos anos de má gestão, corrupção e feijoada, inclusive era fonte de muito orgulho para os brasileiros. Agora só remete a falcatrua e gera desconforto em lembrar que os funcionários ali alocados perderam suas aposentadorias. Att.

+ comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome