Augusto Aras é o novo Procurador-Geral da República

Seu nome despontou como um dos favoritos da família Bolsonaro ainda em agosto, como o candidato mais alinhado ideologicamente ao presidente

Foto: Divulgação

Jornal GGN – Jair Bolsonaro não acatou aos três elegidos pelos procuradores e membros do Ministério Público para o comando do órgão. Fora da listra tríplice, teria decidido escolher o subprocurador-geral Augusto Aras para assumir a Procuradoria-Geral da República. O nome foi confirmado pelo presidente no Twitter.

Será a primeira vez em 16 anos que o novo PGR não é um dos três mais votados internamente pelos membros do Ministério Público. Aras, que substituirá Raquel Dodge, decidiu colocar seu nome à disposição para ser escolhido em abril deste ano, mas fora da lista tríplice, apresentando-se como o nome conservador e mais alinhado ideologicamente à Bolsonaro.

Ele já detinha apoio interno do governo, como por dos filhos do presidente e do ministro Tarcisio de Freitas, de Infraestrutura, e adotava em seu discurso bandeiras como “superação” do “aparelhamento” do Ministério Público.

Seu nome despontou como um dos favoritos da família Bolsonaro ainda em agosto, após declarações polêmicas da mesma linha do eleitorado do mandatário. Em entrevista à Folha de S.Paulo, no dia 12 de agosto, por exemplo, rebateu ideias da esquerda, mas discordou que se alinhava ao discurso de direita ou de esquerda.

Ao mesmo tempo que criticou “ideologia de radicalização”, elogiou o mandatário, afirmando que “o presidente Bolsonaro vem buscando a segurança pública e a segurança nacional como valor essencial”.

Ao lado de Augusto, o procurador Vladimir Aras havia pensado em se postular na disputa interna, mas acabou desistindo para dar espaço ao primo. O nome de Vladimir foi levantado recentemente pelos vazamentos da Operação Lava Jato por ser o nome de apoio ao comando da PGR pela força-tarefa de Curitiba e por Deltan Dallagnol.

O subprocurador é natural de Salvador, tem 60 anos, é doutor em direito constitucional pela PUC-SP, foi professor da UFBA e atualmente é professor da Universidade de Brasilia (UnB).

Leia também:  O vídeo de Bolsonaro à luz do impeachment, por Rafael Mafei

O GGN prepara uma série de vídeos sobre a interferência dos EUA na Operação Lava Jato. Quer apoiar esse projeto? Acesse www.catarse.me/LavaJatoLadoB

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

5 comentários

  1. “O nome de Vladimir foi levantado recentemente pelos vazamentos da Operação Lava Jato por ser o nome de apoio ao comando da PGR pela força-tarefa de Curitiba e por Deltan Dallagnol.”
    O cara é Morista também? Que pensa o ministro da justiça a respeito do novo PGR?

  2. Janot ajudou a destruir a democracia brasileira, prender o Almirante Othon e etc e tal e foi escolhido por Dilma. Que não foi nada coerente com o que dizia defender como democracia a soberania nacional e outras coisas mais. Não vejo portanto motivos para a surpresa,indignação ou escândalo com a escolha de Bolsonaro. Está apenas sendo coerente com o que sempre defendeu.

  3. Augusto Aras recebe o apoio dos 3 filhos de Bozzo. Será que podemos deduzir, nas entrelinhas, que o sr. Aras vai arquivar o processo contra Flávio Bozzo e que foi escolhido principalmente por causa desse detalhe?

    3
    1

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome