Cai por terra a história de Moro não julgar tucanos porque não recebia denúncia

Juiz da Lava Jato abriu mão de processo que atinge governo Richa envolvendo propinas que equivalem a mais de 30 unidades do triplex atribuído a Lula

Jornal GGN – Em meados de 2016, em passagem pelos Estados Unidos, Sergio Moro disse que não julgou casos relacionados ao PSDB porque investigações que atingem o partido não chegaram até ele em forma de acusação. Pois, agora, essa desculpa cai por terra.
 
Ontem (11), o juiz da Lava Jato desistiu oficialmente de julgar uma ação penal que atinge nomes do governo Beto Richa (PSDB), no Paraná. Para isso, alegou que está muito ocupado julgando os casos da Lava Jato derivados do esquema na Petrobras.
 
O argumento do juiz é questionável por dois motivos: primeiro porque ele tem encontrado bastante tempo para viagens internacionais. Foi, inclusive, duramente criticado pelo jornalista Kennedy Alencar por causa dessa sanha com holofotes. Em segundo lugar, há 7 meses era Moro quem fazia questão de abraçar a ação penal.
 
Em novembro de 2017, Moro argumentou que era o juiz prevento do caso porque vislumbrou o envolvimento de dois investigados da Lava Jato: Adir Assad e Rodrigo Tacla Duran. Os dois teriam operado lavagem de dinheiro para os integrantes do esquema de corrupção que funcionou logo abaixo do nariz do governador Beto Richa.
 
Tacla Duran e Moro rivalizam publicamente desde que o ex-advogado da Odebrecht decidiu denunciar à imprensa a cobrança, por parte de Carlos Zucolotto (advogado e padrinho de casamento de Moro) de 5 milhões de dólares em propina, com a finalidade de “melhorar” um acordo de delação premiada com os procuradores de Curitiba.
 
Moro, numa dobradinha com o Ministério Público Federal, extraiu Duran – que é considerado um “foragido” na Espanha – do processo que envolve servidores do governo Richa com a desculpa de não atrasar o julgamento dos demais réus. O delator da indústria da delação premiada ganhou um procedimento paralelo. Isso ocorreu há cerca de 1 mês.
 
No documento assinado ontem, Moro não diz o que fará com este processo de Duran, mas manda sortear as acusações contra os agentes do governo Richa para outras varas em Curitiba.
 
No despacho em que se declara incompentente para julgar a denúncia, Moro resume as acusações: o grupo Triunfo, incluindo a Econorte (Empresa Concessionária de Rodovias do Norte), concessionária da exploração de rodovias federais no Paraná, teria efetuado propina a servidores de Richa.
 
Os beneficiados foram  o então diretor do DER (Departamento de Estradas e Rodagens) Nelson Leal Júnior, Oscar Alberto da Silva Gayer e Gilson Beckert (ambos também do DER) e o ex-braço direito de Richa, o então chefe da Casa Civil Carlos Felisberto Nasser. 
 
Nelson Leal é, segundo Veja, “homem de confiança de Richa”. O DER, onde era diretor à época dos fatos denunciados, é subordinado à Secretaria de Infraestrutura e Logística (SEIL), comandada por José Richa Filho, irmão de Beto.
 
José Richa, aliás, teria indicado Nelson Leal para o cargo no DER. Ele teria recebido um apartamento de luxo como pagamento de propina. Sua defesa é feita por uma das bancas mais atuantes na Lava Jato, dos advogados Tracy Reinaldet e Gustavo Sartor – o primeiro era sócio de Adriano Bretas.
 
Segundo Moro, na denúncia ainda constam “diversos crimes de peculatos e fraudes havidas na exploração das rodovias federais no Paraná, com a apropriação de recursos obtidos na concessão mediante a simulação de despesas fictícias.”
 
Para lavar o dinheiro que foi entregue em espécie aos agentes do governo Richa, o grupo Triunfo fez depósitos nas contas de empresas de Adir Assad, em valores que somam R$ 79 milhões. Dá para comprar mais de 30 unidades do triplex atribuído a Lula pela Lava Jato com este montante.
 
A mesma operação se repetiu em outros momentos com empresas de Tacla Duran, diz Moro, sem que existam provas de que o escritório do advogado tenha prestado serviços pelos pagamentos que somam quase R$ 6 milhões.
 
“Pela denúncia, a causa dos pagamentos subreptícios efetuados pelo Grupo Triunfo aos agentes públicos estaduais seriam favores por ele obtido na exploração das rodovias federais no Paraná. Da mesma forma, as condutas de peculato estariam relacionadas à apropriação de recursos obtidos na concessão mediante a simulação de despesas fictícias pela concessionária.”
 
Se o modus operandi da Lava Jato em Curitiba fosse aplicado neste caso, não estaria Beto Richa encrencado por manter e avalizar a indicação de funcionários da DER que praticaram irregularidades?
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Como frear o assédio judicial ao jornalismo independente?, por Leda Beck

14 comentários

  1. justiça putrefata

    No curso da história mascaras caem e fantasias são desfeitas . moro, a cara vingativa, do judiciario está se mostrando em detalhes . Apenas um ator de 2ª classe colaborando com  interesses dos EUA e atendendo demandas da rede de mídia por manchetes espetaculares.

  2. A turma da republiqueta está se enrolando em seu próprio rolo

    Toda a gente do partido do judiciário-mídia-tucanos vai continuar gastando tempo, energia e dinheiro público além de atrasar mais a vida do país e desrespeitar os direitos de cidadãos com o único interesse de encobrir esta roleira fétida que este golpe está se tornando? Quem pensa que vai virar ministro do stf (minúsculo) bajulando e protejendo tucanos, com a mídia corporativa escondendo as mãos sujas, pode ser que uma hora se torne boi de piranha quando decidirem usar de fogo amigo para salvar a maioria. 

    1
    2
  3. moro e a tchurma

    Este é o melhor dos mundos pros tucanos. Tem um juiz seu correndo atrás do PT , Outros 2 no STF para ajudar se algo der errado e os processos chegarem lá. No embalo tem tambem os delegas da PF que o aecio diz serem amigos , e o mp vesgo , maneta e manco quando se trata do psdb e assemelhados.

    O problema do moro era grave ja que ia ter que correr atras do governador e ex prefake da capital da lava jato onde se achavam que se cumpriam as leis.

    E qual a melhor forma de ajudar os parças de partido do PR do que mandar pro caminho normal da justiça do PR que deve levar uns 40 anos para chegar a alguma decisão em 1ª instância?

  4. O tom tem de ser este: de denúncia, sem medos e firulas

    Não tenho procuração para defender o advogado Rodrigo Tacla Durán e há indícios de que ele sabe de muita coisa acerca do submundo da contabilidade do grupo Odebrecht. Tacla Durán declara que prestou serviços advocatícios ao grupo empresarial, no limite da legalidade. Independentemente de ter se envolvido em ilicitudes (NENHUMA delas provada até agora), Rodrigo Tacla Durán vem prestando serviço público de inestimável valor, pois foi ele o único até aqui a não se vergar às chantagens ameaças e coações da Fraude a Jato e aquele que, enfrentando essa ORCRIM institucional, apontou provas cabais (documentais e testemunhais) da prática de crimes diversos por procuradores lavajateiros, o lavajateiro “juiz” sérgio moro, bem como Carlos Zucolloto Júnior, amigo íntimo e padrinho de casamento desse “juiz”, além de mostrar que  Rosângela Wolf Quadros Moro, esposa do “juiz’ lavajateiro recebeu pagamentos do escritóro dele, Tacla Durán.

    Outro crime público de Sérgio Moro, denunciado por Eugênio Aragão e outros juristas, foi o grampo e divulgação para a TV Globo, de uma conversa entre a Presidenta Dilma Roussef e o Ex-Presidente Lula, em março de 2016, o que acelerou o processo de golpeachment e alimentou as maltas e matilhas manipuladas e cegadas pelo ódio, além das alas golpistas, privatistas, e entreguistas das FFAA.

    O GGN e outros blogs e portais da chamada “mídia alternativa” sabem de muitas outras ilegalidades e crimes cometidos pelos lavajateiros, mas por medo de perseguições, ameaças, coações, processos judiciais e outras razões não explicadas até agora, não tem dado a devida ênfase e contundência às denúncias. Se o GGN, o DCM, o 247 e outros tivessem se unido numa cruzada para desmascarar a ORCRIM Fraude a Jato, boa parte dos estragos e prejuízos causados ao Brasil por essa ORCRIM institucional que domina o sistema judiciário poderiam teriam sido evitados; munição para isso os leitores mais atentos e observadores sabem que esses blogs e portais possuem. As reportagens da brava Cíntia Alves mostram isso; uma amostra é esta que estou comentando.

    No 5º parágrafo desta reportagem Cíntia Alves vai direto ao ponto, de forma clara e jornalística:

    “Tacla Duran e Moro rivalizam publicamente desde que o ex-advogado da Odebrecht decidiu denunciar à imprensa a cobrança, por parte de Carlos Zucolotto (advogado e padrinho de casamento de Moro) de 5 milhões de dólares em propina, com a finalidade de “melhorar” um acordo de delação premiada com os procuradores de Curitiba.”

    Faltou apenas um complemento: Tacla Durán apresentou provas periciadas dessa denúncia.

    Por fim, vale lembrar que o Duplo Expresso, há mais de três meses, apresentou prova documental de outros crimes de Sérgio Moro e procuradores lavajateiros, mas o GGN e outros blogs e portais ditos ‘progressistas’ em vez de apurar e ecoar a denúncia provada feita pelo DE optou por tentar assassinar a reputação dos jornalistas respsonsáveis por esse blog. Quem sau perdendo com isso não foi o DE, mas o GGN, o DCM, o 247, O Cafezinho e outros que embaracaram nessa canoa furada, pois pegou  muito mal esse teatro bufão encenado pela chamada blogosfera e os deputados falsos guerreiros, que fingem defender o Ex-Presidente Lula, mas que o levaram a se entregar aos seus algozes lavajateiros.

     

  5. Saiu no

    Saiu no Tijolaço:

    http://www.tijolaco.com.br/blog/moro-e-seus-x-9-nao-poe-mao-neles-porque-sao-meus/

    O que está noticiado aí, mais do que o deslumbramento basbaque diante do mundo dos ricos, mais do que a admiração genuflexa pelo Império do Norte, é o que demonstra que Moro é um mentecapto. um capadócio, um néscio, enfim, o adjetivo que for.

    Porque há alguns meses atrás, não lembro exatamente quando, ele liberou – e, salvo engano, em decisão judicial pública e publicizada, – o uso das provas obtidas pela operação que comanda aos orgãos em questão.

    Como não pensa, não reflete, e não tem discernimento político algum, não atentou para o fato de que essas provas levariam, inevitavelmente, aos seus superiores: o PSDB e assemelhados, em peso.

    Terá ele percebido a arapuca em que se havia metido, por si só? ou terá sido necessário que algum emissário dessas altas paragens tenha vindo, e após limpar-lhe o nariz e pentear seu cabelo, explicar-lhe a situação?

    Me inclino mais para a segunda hipótese.

  6. Moro o super juiz
    Vejo com indignação , tristeza e medo de atitudes da alta esfera deste país. Políticos bandidos fazendo leis, juízes a mando de poderosos . Exemplo este juiz Sérgio Moro. Como que uma pessoa pública assim julga tão parcialmente e fica por isto mesmo? Atropela tudo e todos, não respeita hierarquia e pior está julgando segundo leis americanas , para proteger quem quer . Onde vamos? Creio que este país só mesmo uma guerra ou revolta de todo o povo brasileiro. Não temos mais apoio de nenhum dos três poderes. Assim me sinto.

  7. juiz tucano.
    Um juiz que passa 30 horas por dia cacando uma prova contra LULA, nao tem mesmo tempo para julgar seus correligionários tucanos. ISSO E UMA VERGONHA QUE DENIGRE A PF E O JUDICIÁRIO, QUE CONIVENTEMENTE
    NAO TOMA NENHUMA PROVIDÊNCIA PARA QUE ELE PASSE A CUMPRIR SOMENTE A CONSTITUICAO E NAO A VONTADE DE SEUS AMIGOS.

    • CONTRADIÇÃO

      Se o Juiz é mesmo Tucano, por que abriria mão de julgar um caso, que tem como réus politicos do PSDB, se ele poderia fazer como faz os vagabundos dos serviçais do judiciário subserventes ao LULA e inocentar todos eles? 

      • Se ele julgasse, não poderia fazer vista grossa para as provas dia autos e teria que condenar o Tucano. E sua situação ficaria feia no partido

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome