Dallagnol mostra apoio ao novo PGR, Augusto Aras, em mensagem a procuradores

Em comunicado aos demais procuradores, o coordenador da Lava Jato mostra intenção de angariar apoio interno para validar Aras como o novo PGR que quer "fortalecer forças-tarefas"

Foto: Divulgação / Montagem: Brasil247

Jornal GGN – O novo procurador-geral da República escolhido por Jair Bolsonaro, Augusto Aras, teria se reunido com o coordenador da Lava Jato de Curitiba, Deltan Dallagnol, nesta quinta-feira (12), comprometendo-se com o procurador a “fortalecer o trabalho das forças-tarefas”.

Em mensagem interna atribuída a autoria de Dallagnol, divulgada pelo site O Antagonista, o procurador teria comunicado a outros membros do Ministério Público Federal, que se encontrou com Aras, o nome escolhido por Bolsonaro para assumir a PGR no lugar de Raquel Dodge.

No texto, Dallagnol diz que “tudo aponta” que Aras será o novo PGR e entra em contradição ao afirmar que se inicialmente ele mesmo defendia a manutenção da chamada lsita tríplice para a escolha do comando do órgão, como uma “ideia/prática que merece ser fortalecida e institucionalizada”, agora era “hora” de superar e “trabalhar pelo MPF”.

Conforme o GGN havia divulgado, Aras é primo do procurador Vladimir Aras, que recentemente apareceu entre as mensagens dos vazamentos da Lava Jato, coo o nome de apoio da força-tarefa de Curitiba e de Dallagnol ao comando da Procuradoria e que teriam trabalhado para levar o nome de Vladimir Aras à disputa interna. Entretanto, o procurador acabou desistindo de disputar a lista tríplice da ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República).

Nos últimos meses, o subprocurador despontou como um dos favoritos da família Bolsonaro ainda em agosto, quando fez declarações polêmicas da mesma linha do eleitorado do mandatário.

Em entrevista à Folha de S.Paulo, no dia 12 de agosto, por exemplo, rebateu ideias da esquerda, criticou “ideologia de radicalização”, e elogiou o mandatário, afirmando que “o presidente Bolsonaro vem buscando a segurança pública e a segurança nacional como valor essencial”, obtendo o apoio dos filhos do presidente e do ministro de Bolsonaro, Tarcisio de Freitas, de Infraestrutura.

Augusto Aras, que substituirá Raquel Dodge, não participou da lista tríplice, mas decidiu colocar seu nome à disposição para ser escolhido em abril deste ano, apresentando-se como o nome conservador e mais alinhado ideologicamente à Bolsonaro.

Leia também:  Amapá: Juiz afasta diretorias da Aneel e do ONS por apagão

Agora, neste comunicado, Dallagnol mostra-se favorável à escolha de Bolsonaro, ainda que por fora da prática apoiada pelos procuradores, da votação interna. “Manifestei-me diversas vezes em apoio à lista tríplice, uma ideia/prática que merece ser fortalecida e institucionalizada. Contudo, a indicação foi feita e tudo aponta que se consolidará”, introduz.

No texto que serve como um pedido de apoio interno do Ministério Público ao nome escolhido por Bolsonaro, Dallagnol clama: “neste momento, e escrevo em nome próprio, concordo com José Alfredo e Vladimir: é hora de trabalhar pelo MPF. A atuação da Lava Jato, especialmente, depende de permanente coordenação entre instâncias, inclusive entre primeira e PGR.”

“É importante o trabalho conjunto para continuar expandindo as investigações para responsabilizar criminosos e recuperar recursos, dentro da nossa atribuição. Com esse propósito, tive um contato inicial com o Dr. Aras, ontem, que expressou seu compromisso de manter e até fortalecer o trabalho das forças-tarefas, sua abertura ao diálogo e sua disposição para uma atuação coordenada”, continua.

Nesta linha, Dallagnol ainda chega a elogiar a decisão de Aras, como o mais novo PGR, de “convidar para continuarem na Lava Jato os colegas Hebert, Victor, Clara, Alessandro e Luana, assim como o convite para que Thamea a integre”. Ao fim da mensagem aos demais membros do Ministério Público, o coordenador da Lava Jato fala em “diálogo” e “cooperação” para validar o novo PGR.

O GGN prepara uma série de vídeos que explica a influência dos EUA na Lava Jato. Quer apoiar o projeto? Clique aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

5 comentários

  1. Uma demonstração de que estamos vivendo uma crise moral, institucional, política, judicial etc, é este moço ainda estar dando pitaco, livre, leve e solto!!!!

  2. Nassif: pelos menos, nessa troca da dona Charged, há coerência. São farinha do mesmo saco.

    PS: desostp — sou robô!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome